Slider

Ucrânia: Alina Pash ainda não assinou o contrato para a participação no Festival Eurovisão 2022

 

Depois de Alina Pash ter apresentado documentação que confirma a sua entrada leal na Crimeia em 2015, a emissora ucraniana abriu uma investigação para averiguar a autenticidade dos documentos e ainda não assinou o contrato para a participação no Festival Eurovisão.


A polémica na Ucrânia continua... Depois das acusações dos Kalush Orchestra sobre uma eventual falsificação dos resultados para permitir a vitória de Alina Pash, a polémica está (novamente) centrada na vencedora do Vidbir 2022 e na sua viagem à Crimeia em 2015. Antes da competição, a cantora foi acusada de ter visitado o território ocupado pela Rússia em 2015 com a entrada a ser realizada por um voo oriundo de Moscovo, o que violava as leis da Ucrânia e impossibilitaria a sua participação no evento.

Contudo, uns dias antes da competição, em entrevista a Timur Miroshnychenko, a cantora afirmou que entrou no território ocupado através da fronteira terrestre com a Ucrânia, tendo apresentado os dois registos do posto de fronteira de Chaplynka: a entrada aconteceu a 11 de agosto de 2015 e a reentrada no país a 13 de agosto. Além da apresentação dos documentos, a cantora afirmou que visitou o território para uma assistir a um casamento e não para uma atuação, como havia sido avançado pela imprensa.

No entanto, durante a conferência de imprensa desta tarde, a emissora estatal da Ucrânia revelou que abriu uma investigação para averiguar a autenticidade dos documentos, depois de ter recebido informações sobre uma eventual falsificação dos mesmos. Segundo o comunicado, a "emissora pública ucraniana não assinará o acordo de participação no Festival Eurovisão com o vencedor da final nacional até que a investigação e apuração dos fatos estejam concluídos", estando, deste modo, em risco a participação de Alina Pash em Turim.

Estreante em 2003, a Ucrânia conta com 16 participações no Festival Eurovisão, sendo o único país que nunca falhou o apuramento para a Grande Final, contabilizando também duas vitórias: 2004 e 2016. Em Roterdão, o país foi representado pelos Go_A e "Shum", que terminaram em 5.º lugar com 364 pontos, fruto do 2.º lugar no televoto (267) e do 9.º no júri (97). Em Portugal, a canção foi a segunda mais votada pelo público e a nona classificada no júri nacional, tendo recebido 12 pontos.

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: UA:PBC / Imagem/Vídeo: Eurovision.tv
4
( Hide )
  1. Anónimo17:45

    Então seriam os Kalush ou Wellboy a representar a Ucrânia caso os documentos sejam falsos?
    Em todo o caso a Ucrânia teria um bom resultado, a final do Vidbir foi muito forte e tinha diversas músicas que facilmente ficariam no top10 em Turim

    ResponderEliminar
  2. Anónimo18:39

    Vao estar com isto todos os anos?

    ResponderEliminar
  3. Anónimo21:26

    Até quando EBU? A EBU deveria mais firme a essas situações! Nos últimos 6/5 anos já é terceira ou quarta vez isto, ninguém estar autrar essas polémicas! Ou a ucrania que saia na EBU ou que a EBU tome uma atitude a nisto!
    Marcos Teixeira

    ResponderEliminar
  4. Anónimo23:55

    Aposto o que quiserem que a Ucrania vai desistir por causa do conflito...viram aqui primeiro

    ResponderEliminar

Ideas

both, mystorymag

A NÃO PERDER...

TOP
© Todos os direitos reservados
Criado por templatezoo Personalizado por ESC Portugal - PG, 2022.