[ESPECIAL] No Dia Nacional de Itália, recorde connosco todas as presenças do país no pódio eurovisivo

 Itália comemora hoje, 2 de junho, a Festa Della Republlica Italiana, tradicionalmente denominado Dia Nacional de Itália. Para assinalar a data, o ESCPORTUGAL convida-o a recordar todas as presenças de Itália, o vencedor em título no certame, no pódio eurovisivo.


O Dia Nacional de Itália ou Festa della Repubblica Italiana celebra-se anualmente a 2 de junho, data que corresponde ao referendo institucional que teve lugar em 1946, quando, terminada a Segunda Guerra Mundial e a queda do fascismo, o povo italiano foi convocado a decidir qual a forma de governo a adotar, acontecimento que originou a formação da República de Itália.

Para assinalar a data festiva, o ESCPORTUGAL traz até si um artigo especial onde recorda todas as presenças de Itália, vencedor em título do Festival Eurovisão, no pódio eurovisivo. Desfrute connosco e recorde algumas das mais memoráveis participações italianas no certame:

1956: Duplo segundo lugar na estreia do Festival Eurovisão 
Enquanto membro fundador do Festival Eurovisão, Itália disfrutou da possibilidade de, na primeira edição do concurso, se fazer representar por duas canções, algo que apenas aconteceu na edição de 1956. Como os resultados completos nunca foram revelados pela organização, que apenas anunciou Lys Assia e "Refrain" como vencedores, todos os restantes participantes ficaram colocados na segunda posição. Deste modo, Itália conquistou as suas duas primeiras presenças no pódio com Franca Raimondi a interpretar "Aprite Le Finestre" e Tonina Torrielli a defender "Amami Se Vuoi".

1958: A canção de maior sucesso da história eurovisiva ficou em 3.º lugar
Vencedora do Festival di Sanremo 1958, a canção "Nel blu, dipinto di blu", interpretada pelo seu compositor Domenico Modugno, foi escolhida para representar Itália no Festival Eurovisão de 1958. Na terceira edição do certame, o tema ficou em 3.º lugar com 13 pontos, sendo ultrapassada pela proposta de França e da Suíça. No entanto, "Nel blu, dipinto di blu" (ou "Volare", como é tradicionalmente conhecida) tornou-se num dos maiores sucessos mundiais da história do concurso: ocupou a liderança da Billboard Hot 100 durante cinco semanas, venceu dois Grammys e vendeu mais de 22 milhões de cópias em todo o mundo.

1963: Emilio Pericoli levou Itália novamente ao pódio eurovisivo
Cinco anos depois do terceiro lugar de Domenico Modugno, que entretanto também regressara ao evento, Emilio Pericoli e "Uno per tutte" voltou a levar Itália ao pódio do Festival Eurovisão. A canção vencedora do Festival di Sanremo 1963, onde foi defendida por dois intérpretes diferentes, ficou na terceira posição da geral com 37 pontos, a escassos 3 pontos do segundo lugar da Suíça e a cinco da vitória que foi alcançada pela Dinamarca.

1964: "Non ho l'età" deu a primeira vitória de Itália no Festival Eurovisão
Na nona edição do Festival Eurovisão, Itália alcançara a sua primeira vitória eurovisiva, tornando-se no sexto país a vencer o concurso internacional. O triunfo aconteceu com a jovem Gigliola Cinquetti, que com 16 anos tornou-se numa das mais jovens vencedoras da história do concurso, e o tema "Non ho l'età", que havia ganho o Festival di Sanremo. A canção arrecadou um total de 49 pontos dos 65 possíveis, com destaque para a pontuação máxima (5 pontos) do júri português, conquistando mais do dobro do alcançado pelo Reino Unido, segundo classificado.

1974: Gigliola Cinquetti voltaria a colocar Itália no pódio eurovisivo
Dez anos depois da vitória em Copenhaga, Gigliola Cinquetti voltaria, em 1974, a representar Itália no Festival Eurovisão com "Sì", canção que acabou por causar grande polémica no país, devido à campanha para o referendo sobre a legalização do divórcio. A RAI censurou a canção durante mais de um medo, com receio de acusações sobre uma alegada propaganda ao ato eleitoral, visto que a canção repetia a palavra "Sì" por dezasseis ocasiões. No entanto, em Brighton, a canção ficou em 2.º lugar com 18 pontos, um deles oriundo de Portugal, sendo apenas ultrapassada por "Waterloo" dos ABBA.

1975: Wess & Dori Ghezzi ficaram em terceiro lugar no Festival Eurovisão
Pela primeira vez desde 1963/64, Itália conquistou duas presenças consecutivas no pódio do Festival Eurovisão. O país foi representado por Dori Ghezzi e o norte-americano Wess Johson com a canção "Era" tendo ficado em 3.º lugar com 115 pontos, a primeira vez que o país ultrapassou a barreira dos 100 pontos. A canção foi apenas ultrapassada pela proposta dos Países Baixos (152) e Reino Unido (138), sendo a segunda mais votada pelo júri português.

1987: "Gente Di Mare" voltou a levar Itália ao destaque eurovisivo
Doze anos depois da última presença no pódio eurovisivo e após ter falhado os concurso de 1981, 1982 e 1986, Itália ficou em terceiro lugar no Festival Eurovisão de 1987. Representada por Umberto Tozzi e Raf com "Gente Di Mare" alcançou 103 pontos, sendo ultrapassada pela Irlanda (172) e Alemanha (141), e recebido a pontuação máxima do júri de Portugal. A canção tornou-se também num sucesso de vendas no verão de 1987, tendo entrado nos tops de vendas da Áustria, Bélgica, Países Baixos, Suécia, Suíça e Alemanha.

1990: Itália conquista a segunda vitória com uma mensagem de união na Europa
Vinte e seis anos após o primeiro (e único) triunfo, Itália regressa, pela mão de Toto Cutugno, à segunda vitória no Festival Eurovisão em 1990. "Insieme: 1992", canção que abordava o aproximar das nações europeias e fazia referência a 1992, ano em que a União Europeia entraria em ação, conquistou a maioria dos júris do concurso, recolhendo 149 pontos na edição que teve lugar em Zagreb, tendo sido a segunda mais votada pelo júri português.

2011: De regresso ao concurso, Itália surpreende tudo e todos ao ficar em 2.º lugar
Depois de um interregno de 14 anos, Itália regressou, em 2011, ao Festival Eurovisão, conquistando um lugar direto na Grande Final do concurso, ao ser um dos elementos dos recém-nomeados Big5. Com Raphael Gualazzi a conquistar o passaporte eurovisivo pela categoria secundária do Festival di Sanremo 2011, a canção "Madness Of Love" surpreendeu tudo e todos ao conquistar o 2.º lugar na Grande Final. Com um total de 189 pontos, dez oriundos de Portugal, a canção venceu a votação do júri, enquanto o televoto colocou-a em 11.º lugar na Final.

2015: Com uma votação recorde no televoto, os Il Volo não subiram além do 3.º posto
Vencedores do Festival di Sanremo 2015, os Il Volo aceitaram o convite para representar Itália no Festival Eurovisão 2015 com "Grande Amore", canção que rapidamente chegou ao topo das preferências para vencer o certame internacional. Contudo, em Viena, a proposta italiana ficou no 3.º lugar com 292 pontos, tendo recebido a pontuação máxima de Portugal, fruto do 1.º lugar no televoto e do 6.º lugar no júri internacional. De realçar que, em termos percentuais, "Grande Amore" foi a canção mais votada de sempre no televoto ao recolher 78,21% dos pontos possíveis (366 em 468 pontos).

2019: Mahmood ameaçou uma nova vitória de Itália no Festival Eurovisão
Seguindo os seus antecessores, Mahmood adquiriu o direito de representar Itália no Festival Eurovisão em 2019 com a vitória no Festival di Sanremo 2019, tendo aceite o convite da RAI. Com "Soldi", a delegação italiana conquistou um dos melhores resultados de sempre no certame: o 2.º lugar com 472 pontos, 13 deles oriundos de Portugal (6 do júri e 7 do televoto). A canção apenas foi ultrapassada por "Arcade", que amealhou 498 pontos, tendo sido a terceira mais votada do público e a quarta classificada do júri.

2021: Maneskin alcançam a terceira vitória italiana no concurso internacional
Depois da surpreendente (e inesperada) vitória no Festival di Sanremo 2021, o grupo Maneskin e "Zitti E Buoni" mantiveram-se fora do lote de favoritos à vitória no concurso internacional... até ao primeiro ensaio, altura em que saltaram para a liderança dos apostadores. Na Grande Final do certame, a representação italiana recolheu 524 pontos, fruto do primeiro lugar no televoto (318) e o quarto no júri (206), sendo a primeira vez desde a instauração do sistema 50/50, que uma canção vencedora fica de fora do pódio de uma das parcelas. De Portugal, a canção italiana recebeu 10 pontos: 3 do júri e 7 do público.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem e Vídeo: Eurovision.tv

Sem comentários