Espanha: Karina tece duras críticas à RTVE pela falta de investimento no Festival Eurovisão

 A cantora Karina, representante espanhola no concurso de 1971, teceu duras críticas à postura da RTVE no Festival Eurovisão, frisando que os cantores não podem ser responsabilizados pelos maus resultados.


Em entrevista ao programa Liarla Pardo do La Sexta, a cantora Karina, representante de Espanha no Festival Eurovisão de 1971, teceu duras críticas à TVE pela falta de investimento no concurso internacional depois de um novo desaire eurovisivo com Blas Cantó. A artista afirma que "a RTVE não aposta no Festival Eurovisão" e que "não podemos culpar os intérpretes nem as canções", exultando a necessidade de realizar um maior investimento económico e criativo.

Blas Cantó representou Espanha no Festival Eurovisão 2021 com "Voy A Quedarme" terminando em 24.º (e antepenúltimo) lugar na Grande Final com apenas 6 pontos, oriundos do júri da Bulgária (4) e do Reino Unido (2).

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte e Imagem: EurovisionSpain/ Vídeo: EurovisionTV 

11 comentários:

  1. Concordo totalmente.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo12:29

    Ya es hora de que se empiece a tomat medidas al respecto, No solo en relacion con el concurso sino con el estado actual de la cadena que va de mal a peor, en general los cantantes No son malos pero las canciones, puestas en escena y los coros son para mear y No echar fota, Si Tve No tiene interés pues que se abstenga en vez de hacer el ridiculo, de Paso queria felicitar a Blas por du profesionalidad y decir que la cancion portuguesa es preciosa y que me dejé el sueldo votandola, Muchas gracias hermanos y saludos!!!

    ResponderEliminar
  3. Nao concordo. Acho que um dos problemas de Espanha é precisamente inventar demais. Às vezes fazer as coisas mais simples é a melhor decisão
    Outro dos problemas de Espanha é sistematicamente ir atras do ultimo vencedor e tentar imitar

    Outro problema tem sido a fraca qualidade das cançoes. Desde 2014 tem sido sempre a descer...

    ResponderEliminar
  4. Anónimo13:16

    O problema de Espanha é a forma como escolhe os seus representantes, olhem para França ou até para Portugal, crien uma final nacional com cabeça, tronco e membros e os resultados irão melhorar

    ResponderEliminar
  5. Anónimo13:52

    Porra 600 mil euros foi pouco ?? A Espanha precisa de uma boa canção ... apenas

    ResponderEliminar
  6. Anónimo17:05

    O problema de espanha é que sempre tenta copiar a formula do vencedor anterior.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo18:53

    gostei da musica, mas achei o cantor muito sozinho em palco. Cenário muito escuro, pouca luz.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo19:27

    Em 2019 a delegação gastou imenso do dinheiro com o staging do La Venda e o rapaz foi a todos a todas as pre-parties e a todos os programas de tv por essa Europa fora que foi possível, o resultado não foi muito melhor que o deste ano...

    ResponderEliminar
  9. Anónimo23:22

    Por acaso devo confessar que o que se tem passado com Espanha na Eurovisão é um mistério para mim.
    Não acho nada que a televisão espanhola não invista, antes pelo contrário, acho até, como aqui já alguém disse, que se preocupa demasiado e com isso talvez invente um bocadinho mais do que o necessário, concordo.
    Tirando uma vez ou outra, Espanha não é, de todo, um país que concorra com as piores canções e, por norma, manda grandes vozes, por exemplo, eu gostei, quer da música, quer do staging, deste ano e, sinceramente, estava à espera de uma melhor classificação, sinceramente, acho que foi injusta a pontuação dada a Espanha.
    É espanhola uma das músicas da Eurovisão que, de vez em quando, sinto vontade de rever, aliás é de um dos fantásticos anos "eurovisivos" e uma das últimas excelentes classificações de Espanha, a magnífica Pastora Soler, acontece que, é também desse ano essa grande campeã "Euphoria" a provar que, comercial, pode também ser muito bom, cheio de qualidade, e a derrubar barreiras do preconceito musical (e sim, eu votei como se não houvesse amanhã no nosso Salvador e este ano nos Black), talvez tivesse sido o ano de Espanha, o da Pastora, não fosse o azar de ter sido um ano tão forte em termos de canções. Mas também estou a lembrar-me de dancing in the rain, por exemplo, não tem sido assim tão mau, acho que lhes tem faltado a estrelinha.
    E também concordo que deveria escolher os representantes de outra forma, sim, por que não da nossa forma?
    Dicas para o país vizinho, onde fui sempre tão bem tratada e onde ouvi dizer tantas coisas bonitas e com tanto entusiasmo das visitas que fazem ao nosso país.

    ResponderEliminar
  10. Espanha está a sofrer o mal de que todos sofrem, falta de inspiração e às vezes falta de uma pontinha de sorte. O maior problema é que se põem a cismar que é tudo uma questão de escolha e dos meios que estão a ser utilizados. Então, o que fazem? Inventam e tornam a inventar e os resultados em vez de aparecerem pioram de ano para ano. " Manhã Clara", é um exemplo de uma belíssima canção e o que é pena é já ter alguns cabelos brancos.

    ResponderEliminar
  11. No meu comentário anterior devo retificar o título que realmente é "En un mundo nuevo".

    ResponderEliminar