[Olhares sobre o Melodifestivalen] Quem representa a Suécia no Festival Eurovisão 2021?


A quinta temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais termina, hoje, com a escolha da Suécia para o Festival Eurovisão 2021. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no Melodifestivalen2021?


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, e depois do sucesso da edição da temporada passada do Olhares sobre as Finais Nacionais, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma edição alargada da iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

O Olhares sobre as Finais Nacionais 2021 chega hoje ao fim com a última decisão da temporada: a Final do Melodifestivalen 2021. Depois de cinco galas, 12 canções estão na corrida pelo triunfo, sendo que os elementos do ESCPORTUGAL Regiões votaram nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar Suécia em Roterdão.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:

Adão Nogueira aposta em "Voices" e Tusse
E mais uma vez o Melodifestivalen encerra os comentários sobre as finais nacionais. Continua a ser de longe uma das melhores finais nacionais, quer em termos de produção quer na qualidade das músicas apresentadas. Continua a apresentar entre os candidatos vários retornados, que este ano são dos candidatos principais à vitória. Não se torna fácil escolher um vencedor mas destaco entre as minhas preferidas as The Mamas, Dotter, Tusse e Eric. Músicas muito diferentes mas que qualquer uma delas poderia ser a vencedora e obter um bom resultado na Eurovisão. Mas como tem que haver um vencedor a minha aposta vai para a “Voices” de Tusse, a cara nova da competição. Apresenta uma música eletro-pop mas um pouco dark com uma letra que captou desde logo a atenção dos fãs.

Ana Branco aposta em "Little Tot" e Dotter
Esta é mais uma final super díficil para os eurofãs. Não há nenhuma canção no certame sueco que eu diga que não mereça estar na final. Sim, até o Alvaro Estrella. E mais uma vez temos um duelo renhido entre Dotter e The Mammas. Qualquer um destes dois actos merece ir à Eurovisão. Contudo este ano dou os meus 12 pontos à Dotter. Excelente produção e com um refrão que fica no ouvido. De qualidade não tenho nada a apontar de defeito (nem às Mamas!). Reitero que ficaria feliz com quer a Dotter quer as Mamas na Eurovisão. Merecem igualmente.


André Fernandes aposta em "Behöver Inte Dig Idag" e Clara Klingenström
Um Melodifestivalen telenovelesco com o Eric Saade de volta e pronto a ganhar, mas com a Dotter a tentar vingar a derrota de 2020, e as The Mamas que não largam "o osso". Tudo isso sem contar com mais um regresso, revival kitsch, da diva Charlotte Perrelli ou a grande revelação Tusse. Mas eu gosto é de surpresas, e por isso, a minha favorita é a Clara Klingenström que surpreendeu em classificar-se até à final do certame com um tema pop em sueco muito agradável, e longe... muito longe dos habituais temas scandi-pop super formatados e sem alma.
André Pereira aposta em "Voices" e Tusse
E chega uma das finais mais esperadas da época eurovisiva. Desde 2017, o Melodifestivalen tem vindo a baixar imenso na qualidade musical, mas mesmo assim conseguem estar presentes no top10 no Festival Eurovisão! Este ano, a minha favorita ficou eliminada na sua semifinal, que é a canção "Tears Run Dry" do Patrick Jean. Nesta grande final, a minha favorita à vitória é "Voices" do Tusse! Destaco também a excelente performance do Eric Saade.

Carlos Fernandes aposta em "In The Middle" e The Mamas
Escolho "In the Middle" como a minha canção favorita para vencer o Melodifestivalen e representar a Suécia no Festival Eurovisão. É um bom tema com uma letra positiva que aquece o coração. O playback vocal dá-lhe muita força e as The Manas cantam bem.

Cláudio Guerreiro aposta em "Little Tot" e Dotter
A Suécia volta a presentear-nos com uma final de grande qualidade. Apesar de considerar que assistimos a algumas injustiças nas semifinais, as passagens diretas acabaram por ser, na sua maioria, das músicas que mais se destacaram. A Klara Hammarström e o Tusse apresentam-se com canções que são bastante do meu agrado, mas a minha preferência recai, pelo segundo ano consecutivo, naquele bicho de palco que é a Dotter. “Little Tot” é uma daquelas canções pop cujo refrão cola facilmente, possuindo um nível de produção a que estamos muito habituados por parte da Suécia. A música ganha toda uma vida na atuação, devido ao grande talento e presença em palco da sua intérprete. O melhor elogio que se pode fazer a um artista e à sua capacidade de elevar o nível das suas canções é querermos constantemente ver as suas atuações ao ponto de nos esquecermos que até existe uma versão estúdio. E é precisamente o que me acontece neste caso.


Diogo Quintais aposta em "Little Tot" e Dotter
Como todos os anos, o Melodifestivalen oferece-nos várias canções dignas de bom resultado na Eurovisão o que torna a escolha de uma só canção muito difícil. As minhas duas canções favoritas são as propostas do Eric Saade e da Dotter. Mesmo sendo um fã desde 2011 de Eric Saade, a minha escolha final vai recair em "Little Tot" de Dotter. Entre as duas "Little Tot" consegue passar muito mais sentimentos do que "Every Minute". Tem bom staging fãs mostrar nos últimos anos que gostam bastante de Dotter e esta canção não desiludiu. Para mim é este ano que Dotter vai até à Eurovisão!

Emanuel Filipe aposta em "Little Tot" e Dotter
A Dotter é a minha vencedora pelo segundo ano consecutivo. Há uma coisa que aprecio imenso nela: o facto de conseguir oferecer uma atuação memorável, sem ser exagerada. Gosto da iluminação em palco, o styling está perfeito, e penso que é uma canção que consegue ter impacto. Eu pelos menos ouço com bastante frequência. Enquanto canção, talvez prefira "Bulletproof", mas a nível vocal, ela está muito melhor este ano. Digamos que é uma canção menos desafiante nesse aspeto. Não me parece que vá ganhar, a vitória deve recair sobre Tusse, mas seria a minha canção preferida da Suécia desde 2014.

Gonçalo Canhoto aposta em "Voices" e Tusse
É um enorme prazer acompanhar o Melodifestivalen - uma final nacional coesa, que se reinventa anualmente e que valida a Suécia como uma das grandes superpotências do mercado musical mundial. Quando escutei "Voices" pela primeira vez, soube que iria disputar a vitória, já que tudo nesta proposta grita "winner vibes". Uma canção forte, memorável e extremamente comercial, cantada por um vocalista competente e popular - que já deu provas ao vencer o Idol em 2019. A atuação contou com uma realização ao mais alto nível, que agigantou globalmente a proposta. Caso se sagre vencedor, creio que se avizinhará mais um merecido top 5 eurovisivo para o país nórdico.

Hugo Sepúlveda aposta em "Voices" e Tusse
E eis que acabamos a última final nacional em grande: o aclamado Melodifestivalen! Há inúmeros candidatos ao pódio, mas penso que Dotter e Clara são as que vão ficar às portas dele! As retornadas The Mamas não sei se vão conseguir ganhar novamente, apesar de puxarem mais o voto júri! Do lado do televoto, Eric Saade que nos traz um banger actual que não é nada de novo, mas com uma performance incrível! Pelo consenso, acredito que ganhe Tusse! “Voices” tem uma boa actuação, quase “on point” (há aqui uns retoques que sugeriria), ganhando uma dimensão ainda maior ao vivo! Traz-nos uma vibe empoderadora em que nos conseguimos rever, directa ou indirectamente, e pode ser muito apelativa por isso mesmo! De resto, entranha-se muito facilmente, o que é um bónus!


João Diogo aposta em "Voices" e Tusse
Talvez uma das edições mais fracas do Melodifestivalen de que me lembro mas, ainda assim, com algumas boas canções. Parece não haver um claro favorito à vitória e vejo facilmente 4 concorrentes a vencer: Tusse, Dotter, The Mamas e Eric Saade. O meu favorito é o estreante Tusse com "Voices". É uma simples canção pop, extremamente bem produzida, e bem apresentada em palco. O seu ponto fraco será a letra porque se analisarmos bem não diz absolutamente nada. Mas isso não será impedimento para a vitória. Tenho Dotter como um segundo lugar muito próximo mas Tusse convenceu-me mais com a sua atuação ao vivo.

João Vargas aposta em "Voices" e Tusse
Não tenho dúvidas que será o Tusse a ganhar. A grande notoriedade do mesmo neste momento na Suécia vai lhe dar a vitória. Este tema é muito apelativo e cai agradará muito ao júri. Tusse tem uma voz incrível. Que final nacional fantástica vai ser.


Marcel Pessoa aposta em "Every Minute" e Eric Saade
Chegamos a mais uma final do Melodifestivalen, e apesar de eu achar que as semifinais foram um pouco óbvias, a final reuniu um bom lote de canções e a vitória não está certa para ninguém. Há bastante equilíbrio. Gostaria de ver Eric Saade como vencedor: 1° porque seria simbólico ele retornar 10 anos depois à Eurovisão, 2° porque adoro a atmosfera que sua canção cria. É sedutora, misteriosa e um pouco melancólica. Não acho o stage uma maravilha, porém a interpretação carrega bem a proposta e acaba por convencer.

Nuno Carrilho aposta em "In The Middle" e The Mamas
Comentar sobre a Suécia é difícil... mas escolher entre The Mamas e Charlotte Perrelli é uma tarefa quase impossível. "Move" foi, sem dúvida, a canção mais marcante do meu ano de 2020, o que fez com que as expectativas estivessem altas para "In The Middle"... expectativas essas que não foram defraudadas. A atuação é arrepiante (especialmente aquele início) e sinto que a canção é bastante forte. Por outro lado, temos Charlotte Perrelli, aquela que é, para mim, a verdadeira diva eurovisiva. "Still Young" é uma das melhores canções que já levou ao Melodifestivalen e, apesar de aceitar quem a descreve como "datada", sinto que faria grande figurão em Roterdão. Opto pelas The Mamas, mas a Charlotte logo em segundo na minha classificação.


Pedro Caramba aposta em "In The Middle" e The Mamas
E aí está o Melodifestivalen, uma das finais mais aguardadas pelos fãs eurovisivos e que conta sempre com uma grande promoção. Este ano, acho que a vitória pode ser discutida entre 5 canções. Porém, a minha escolha vai para as "The Mamas" e a sua canção "In the middle". Desde que foram back vocals do John Lundvik em 2019, que a sua energia me deixou muito fã. Merecem em absoluto a presença nesta final, depois do cancelamento do festival em 2020. Grande harmonia, presença em palco e excelentes vozes, são as minhas favoritas à vitória. Acho que, caso ganhem, são grandes favoritas a uma vitória em Roterdão. Realço o facto espectacular de terem usado umas imagens pré gravadas com os vestidos do ano passado no início da sua actuação. 

Tiago Silva aposta em "Little Tot" e Dotter
Cada vez gosto menos do Melofestivalen, final nacional onde apostam mais nas performances do que na qualidade musical. No entanto, a Final é muito forte com 4 candidatos principais à vitória. Eu escolho a Dotter, que leva uma canção muito moderna, catchy e uma forte mensagem.

Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 16 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

1.º  Dotter - "Little Tot"- 139 pontos (5 PM)
2.º Tusse - "Voices" - 137 pontos (6 PM)
3.º Eric Saade - "Every Minute"  - 135 pontos (1 PM)
4.ºThe Mamas - "In The Middle"  - 114 pontos (3 PM)


 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

6 comentários:

  1. A minha favorita é a Charlotte, o resto não me interessa. O meu top 10 já está completo e só retiraria um nome para colocar no seu lugar a Perrelli.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:37

      eu pela contraria nao a suporto mais, ja ganhou duas vezes o melfest e ate ganhou o Esc, deveria dedicar o seu tempo a tentar fazer outras coisas

      Eliminar
    2. Anónimo16:38

      pelo o que eu tenho percebido creio que acabará por ganhar o Tusse com Eric Saade e as The mamas completando o podio

      Eliminar
  2. Anónimo16:51

    Eu juro que não entendo o fanatismo pelo Tusse. É simplesmente mais do mesmo e sinceramente não acredito que vá fazer grande figura lá fora. Aliás, tenho quase a certeza que será (novamente) um flop no televoto. É uma canção bonita, mas uma que já ouvimos um milhão de vezes e há baladas este ano muito melhores. Especialmente da Suiça e França. Mas também, para ser sincero, não vou ver a final do Melodifestivalen este ano. Acho sinceramente que é dos anos mais fracos dos últimos tempos e também não há uma canção que me faça morrer de amores.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17:12

    Clara ou Paul, os melhores na minha opinião.

    ResponderEliminar
  4. As mamas desta vez não se impuseram. Há tempo para tudo. O melodifestivalen está a repetir-se o que desgasta e consome quem assiste ano após ano. Felizmente não é o meu caso porque nunca lhe dei muita importância e sei bem que tudo tem um fim.

    ResponderEliminar