[Rumo a Roterdão] Evi Reçi: "A minha participação no Festivali i Këngës será um auto-desafio"


Evi Reçi é uma das cantoras que fará a sua estreia no Festivali i Këngës deste ano. A artista esteve à conversa com o ESCPORTUGAL na rubrica Rumo a Roterdão.

Tal como tem sido habitual nos últimos anos, a Albânia será o primeiro país a realizar a sua final nacional para o Festival Eurovisão 2021, apesar do adiamento para a próxima semana, com 26 artistas a concurso no Festivali i Këngës 59. Depois de Orgesa Zaimi (AQUI), Rosela Gjybegu (AQUI) e Gjergj Kaçinari (AQUI), o ESCPORTUGAL esteve à conversa com Evi Reçi, cantora que faz, este ano, a sua estreia no concurso albanês.

"Sinceramente, quero tentar a minha sorte. É a minha primeira participação neste festival e, como é claro, queria testar-me neste tipo de competição. Auto-desafio, poderei dizer" afirmou a cantora quando questionada sobre a estreia no concurso deste ano. Contudo, a música apareceu há muito mais tempo na sua vida, "A música entrou na minha vida há imenso tempo. A minha mãe é música e comecei a tocar piano muito nova. Aprendi também música clássica e canto em Atenas.".

Ao longo dos anos, Evi Reçi tem estado dedicada ao teatro musical, contando com prestações em vários países: "Participei em muitos espetáculos musicais, nos quais tinha papéis principais, na Grécia, na Albânia e em Itália. Na Albânia, desde 2005, fiz parte, como artista, de muitos concursos, videoclipes e programas de televisão. Agora, também sou apresentadora de televisão com o meu programa diário na Vizion Plus TV. ".

Descrevendo a sua canção como "algo obrigatório para todos os cantores albaneses, mesmo que seja apenas uma vez na vida artística", Evi Reçi partilha também as suas recordações sobre o evento, "Sei que é uma óptima experiência. Conheço a maioria das músicas que participaram e se tornaram hit. Para além disso, a minha mãe fez parte da orquestra do festival e, por isso, tenho um sentimento especial por este espetáculo".

Questionada sobre a atuação no evento, a cantora prefere manter em segredo: "Quero manter a surpresa, mas estarei sozinha. Será uma performance muito sensual em palco" defendeu Evi Reçi, garantindo que atuar ao ar-livre será uma experiência interessantes, "Estamos a viver momentos muito estranhos e esta é outra situação diferente com a qual temos de lidar. Para nos protegermos, bem como a nossa família, iremos cantar no exterior. Cantar sob o céu não é, afinal, assim tão mau". 

Relativamente ao Festival Eurovisão, a cantora garante que, em caso de vitória, pretende interpretar a sua canção em albanês, "Gostaria de mantê-la em albanês, já que a palavra “Tjerr” é fácil de pronunciar e muito agradável de se ouvir.". E falando no concurso internacional, Evi Reçi fez questão de recordar a vitória de Salvador Sobral em 2017, "Relembro-me do Salvador! Adorei-o, bem como a sua performance gentil e artística. Sabia que ele iria vencer naquele momento e votei nele!". E para breve ficará a viagem entretanto cancelada a Portugal: "Nunca estive em Portugal. Tinha planeado visitar o país este ano mas a pandemia de COVID-19 não nos deixou sair da Albânia. Adoraria visitar este país lindo!".

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários