[ZONA DE DISCOS #122] Céline Dion - "Courage"

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. 
Esta semana, a análise recai no novo disco de Céline Dion.
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.



Lançamento: 15 de novembro de 2019
Nota: 6/10
É o aguardado regresso de Celine Dion aos álbuns em inglês. “Courage” sucede a “Loved Me Back to Life” (2013) e o título não se limita a transmitir apenas uma atitude psicológica positiva. Mesmo os não apreciadores do trabalho de Céline Dion dificilmente não terão conhecimento das importantes perdas pessoais pelas quais a imortal voz do “Titanic” passou.  Contudo, René Angélil era mais do que o companheiro de Céline, sendo também o pilar e motor da sua carreira. Assim, já sem  nada para provar ao mundo da música, é necessária uma boa dose de coragem para, aos 51 anos, recomeçar um percurso que, em muitos aspectos, como a própria artista afirma na entrevista abaixo, é quase como começar uma nova carreira.
“Courage” é confessional, é pessoal, e embora não represente nenhuma tentativa desesperada para fazer de Céline o nome mais sonante da pop atual, há uma preocupação em estar no compasso sonoro de 2020, não querendo passar ao lado da contemporaneidade. Em bom rigor, essa parece ter sempre sido uma preocupação de Céline Dion e da sua equipa. Ao relembrar os álbuns “Unison” (1990), “D'eux” (1995) ou até mesmo os singles “That's the Way It Is” (2000) e “Incredible” (2014), todos eles denunciam a época em que foram originados.
Desta vez, nos créditos é possível encontrar nomes como David Guetta, Sia, e uma série de compositores e produtores de origem sueca que conseguem, como ninguém, dar aquele toque fresco e agradável a melodias pop.
Como álbum, “Courage” é um regresso decente. “Flying on my own”, o tema que abre o disco, é uma boa surpresa dance, mas no seu todo é apenas um álbum morno com alguns momentos interessantes. Se o tema “Courage” vai ao encontro do reportório mais tradicional de Céline Dion, “Change my mind” faz uma ponte entre o “clássico” e o novo. “Look at us now” carrega uma sonoridade que traz remanescência de Roxette e “How Did You Get Here” destaca-se pela leve lembrança dos anos 60. No entanto, não ficamos com a sensação de estarmos perante um álbum indispensável da atual pop. Até o single “Imperfections” vale mais pelo vídeo do que pela música.
A nível de sugestões, se já destacámos o início do álbum – “Flying on my own” – o final merece nota individual. “Perfect goodbye” é dos temas mais fortes do novo conjunto de canções. Curiosamente, os outros dois temas que nos pareceram mais pujantes não se encontram na versão regular, mas sim na  “Deluxe edition”, valendo assim a pena adquirir a versão alargada do álbum. “Heart of glass” e “Boundaries” são as nossas grandes sugestões.
A nível comercial, “Courage” foi, na primeira semana, um mega sucesso em praticamente todo o mundo, destacando-se o #1 nos EUA e #2 no Reino Unido, embora tenha registado uma queda vertiginosa na segunda semana, pela terras do Tio Sam, passando do #1 para fora do top 100 em apenas sete dias. Em Portugal, para já, conta com quatro semanas no nosso top 50, sendo o seu percurso o seguinte: 5-21-36-46.

Temas promocionais
Flying On My Own (Official Lyric Video)

Imperfections (Official Video)

Courage (Official Video)

Temas destacados por Carlos Carvalho

 “Heart of glass” e “Boundaries”

Alinhamento
Flying on my own
Lovers never die
Falling in love again
Lying Down
Courage
Imperfections
Change my mind
Say yes
Nobody’s watching
The chase
For the lover that I lost
Baby
I will be stronger
How Did You Get Here
Look at us now
Perfect goodbye
(Deluxe Edition)
Best of all
Heart of glass
Boundaries
The hard way
(Japanese bonus track)
Soul

A ver

Céline Dion - Flying On My Own (Live from Las Vegas)

GMB Meets Celine Dion - World Exclusive, Full Uncut Interview | Good Morning Britain


Pode ouvir o disco AQUI.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários