FC2015: Semifinal 1 sobe mas não surpreende as audiências

A semifinal 1 do Festival da Canção 2015 foi o 3.º programa mais visto na noite de ontem, com uma média de 826500 espetadores.


De acordo com os dados audiométricos difundidos pela GFK/CAEM, a semifinal 1 do Festival da Canção 2015 foi o 3.º programa mais visto na noite de ontem de entre os canais portugueses e durante o período da sua transmissão, com um rating de 8.7% e um share de 17,3%. Isto significa que um total de 826.500 espetadores contactaram o programa da RTP1 e, de entre os espetadores de televisão naquele momento, 17,3% estavam sintonizados na RTP1. A concorrência esteve bastante mais forte, com 1.444.000 espetadores a preferirem a novela Mar Salgado da SIC e 1.149.500 o reality show Secret Story, da TVI. De entre todos os programas da RTP, a semifinal 1 foi o 3.º programa do dia, superado pelo Telejornal (1.140.000 espetadores) e pelo concurso Preço Certo (1.035.500).

Boas notícias: recuando um ano, a semifinal do Festival da Canção 2014, transmitida a um sábado, conseguiu um menor número de espetadores. Tal como publicámos AQUI  , a semifinal do FC2014 registou um rating de 7,6% e 17,1% de share, sendo então vista por 740 mil espetadores.



Esta e outras notícias também no nosso Facebook. Visite já!
Fonte: ATelevisão / Imagem: ESCPortugal

36 comentários:

  1. Anónimo12:19

    Esperava pior me termos de audiencias. Mas é smp uma desilusao ver que o festival naobesta a crescer em portugal!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo12:19

    Festival da Canção mediano. Por um lado, quase não houve promoção ao evento. Por outro, as pessoas andam um pouco desligadas do festival. Ainda assim, fez resultados melhores do que faria se desse Bem Vindos a Beirais e Água de Mar. Além de que teve melhor audiência do que no ano passado

    ResponderEliminar
  3. Anónimo12:21

    Um festival da canção local irrelevante com canções irrelevantes.

    As músicas seleccionadas eram para competir no ESC? Nada diria isso. Pensava que estavam a competir para atuarem nos talkshows da tarde ou no "Somos Portugal".

    Aliás, algumas acham que estavam a competir para o ESC como era em 1995, não em 2015.

    ResponderEliminar
  4. Pedro Carvalho12:21

    O festival tem de ter nomes sonantes a cantar, e não só a compor, para que as pessoas se interessem. E depois, mais importante, os compositores têm de ter TEMPO para compor, produzir a tratar dos arranjos. Tudo parecia maquetes e algo improvisado.

    ResponderEliminar
  5. Rita Martins12:26

    Canção da Iola e da Leonor com arranjos melhores ficarão Top no ESC. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita,concordo contigo.Tivemos para ja 2 boas cançoes neste FC,as da Leonor e da Yola. Apesar do nome(de boa pessoa) a cançao da Rita Seidi nao me convenceu,mas a Rita ,sim,nao podia ter feito melhor,apesar de ir "mascarada"nao sei de que,e ter aquela desastrosa encenaçao e coreografia.

      Eliminar
    2. Rita,ainda outra coisa: Tinhas razao ha tempos ao me colocares a pergunta se o Jorge Gabriel nao tem maneirismos.Sim tem-nos e muitos.Pior:Ao entrevistar o Kalaf teve de mencionar nao estar habituado com aquele tipo de nomes.O que interessa isso ao espectador?Falta de profissionalismo chocante!

      Eliminar
  6. Se desse a programação "normal" ( Bem vindo a Beirais e Agua mar) a audiencia era possivelmente bem pior lol
    Não surpreende pois a publicidade do festival não foi muita... E se continuarmos assim com fracos resultados no ESC , os portugueses continuaram a não ligar ao FC... Precisa se de atualizar o FC, precisa-se de canções atuais, comerciais e internacionais!
    Se tivermos um top 5 no ESC, as pessoas voltaram a falar do ESC, certamente.
    Nesta semifinal, a maior tristeza que tive foi a não qualificação da Flipa ;-( . As canções da Leonor e da Yola são boas , mas prefiro da Leonor :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ( Correção)
      * Filipa ; * voltarão ; continuarão

      Eliminar
  7. Anónimo12:39

    Festival pobrezinho, com temas pobres e sem sal. Desculpem a comparação, mas qualquer gala do Got talent ou da Casa dos Segredos transmite mais animação e emoção. Público adormecido, cenário paupérrimo, apresentação longe de ser grande coisa, canções básicas, um espectáculo que se tem vindo a superar de ano para ano... em pior...

    ResponderEliminar
  8. Anónimo12:48

    Disseram que nao haveria videos das musicas no youtube, mas ja la estao

    ResponderEliminar
  9. Anónimo13:13

    O festival foi o nono programa mais visto. Foi o terceiro mais visto na Rtp e não no global. Informem-se antes de colocarem as noticias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:43

      Tem razão o comentador das 14.32. Império e Jardins Proibidos também tiveram mais espetadores. Penso que o que o artigo quer dizer é que à hora a que se transmitia o FC dois outros programas (A Luta... e Mar Salgado) tinham maior audiência - então, nesse sentido, àquela hora era o terceiro mais visto.

      Eliminar
    2. Anónimo das 13.13: A semifinal 1 do Festival da Canção 2015 foi o 3.º programa mais visto na noite de ontem, durante o período da sua transmissão, tal como refere o artigo. ;-)

      Eliminar
  10. Anónimo13:57

    As duas canções escolhidas pelo público salvaram a noite. Gameiro e Feist de parabéns.
    Muita curiosidade para a 2ª semifinal.


    ResponderEliminar
  11. Anónimo13:58

    Há para aí uma "gentinha" que adora vir para aqui comentar e deitar abaixo tudo o que aparece no Festival da Canção, pois adoram ver as finais dos outros países, onde aparecem músicas sempre do mesmo género músical e com coreografias que mais parecem atuações de circo e que tornam o ESC cada vez mais um concurso do "show bizz" do que um concurso de música.

    Na minha opinião, a semifinal do FC de ontem foi de boa qualidade, onde apareceram músicas de bom nível...sim, músicas, e não danças de circo. Isto é o que Portugal representa, é a nossa cultura, contrariamente aos outros países que se esforçam por imitar a Suécia, e esta por levar sempre músicas do mesmo género. Nós esforcamo-nos por levar algo que é nosso e isso deveria ser valorizado lá fora, mas infelizmente não o é. Porquê? Por causa desta gentinha que adora mascarar-se e dançar estas músicas de "xaxa" do que prestar atenção ao mais importante.

    Para mim, só esta semifinal do FC foi superior às finais da Finlândia, Irlanda, Moldávia, etc, em termos de qualidade musical. Quanto às audiências, penso que 800.000 pessoas a assistir, com falta de propaganda ao concurso por parte da RTP prova que afinal não há assim tanto desinteresse pelo festival.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:42

      O ESC é também um espetáculo visual e todas as músicas lá apresentadas necessitam de uma encenação que esteja de acordo com elas de forma a enquadrá-las num ambiete internacional que faça sentido para toda a gente.

      A canção é o mais importante, sim, mas todo o "pacote" importa também e isso não é algo de desprezar. Aquilo que tu chamas de "circo" (não sei porque será que circo tem sempre um significado pejorativo?) eu chamo de criatividade, dá muito trabalho e exige muito talento. Na realidade, é muito mais fácil ir lá apenas cantar.

      Dito isto, não acho que seja necessário gastar recursos com isso no festival da canção, que serve para dar a conhecer as canções. Mais tarde a vencedora logo terá a encenação que lhe servir melhor.

      Tens razão acerca das finais nacionais que referiste, e muitas mais haveria ainda para mencionar. Na sua generalidade a eurovisão não é conhecida (nem nunca foi) pela grande qualidade musical.

      Falar na grande qualidade das canções apresentadas ontem, contudo, descredibiliza tudo o que possas vir a dizer. A qualidade foi muito baixa, houve canções de um amadorismo constrangedor ou no máximo, indiferentes, o nível vocal da maioria, não sendo péssimo, também não foi brilhante e de uma maneira geral tudo ficou muito aquém do que se desejaria.

      A música é muito mais do que isto, se fosse não existiria industria musical porque ninguém estaria para se ralar, lol..

      Eliminar
    2. Anónimo15:12

      Quando se refere à "gentinha", está-se a referir às pessoas que gostavam de ver Portugal enviar músicas modernas em vez de coisas datadas e que nem sequer ficam no ouvido? Epá, realmente, essa "gentinha", são pessoas intragáveis, porque gostariam de ver o seu país bem representado numa COMPETIÇÃO (repito: é uma competição, não é uma promoção "Fim de Semana em Viena" para a comitiva portuguesa ir lá passear-se!)

      E já agora, a única música de ontém que tem algo a ver com "o que é nosso" (como você diz) é aquela da tal Yola que parecia uma espécie de fado.
      De resto, sem ser o facto de serem cantadas em Português, o resto das músicas podiam ser de qualquer país, a nível de instrumentação. Se bem que a maioria tinha uma sonoridade mais própria dos anos 90 do que de 2015, e não naquele aspecto de "vintage" interessante, mais para o aborrecido e 'passé'.

      E portanto lá se vai o seu argumento de que por cantarem em Português estamos a defender "o que é nosso".

      Estamos num mercado global... you keep up with the times, or you get lost in the times.
      Quem não percebe isso... pois, fica-se pelos últimos lugares... supostamente a defender "o que é nosso" com melodias esquecíveis e numa língua que 95% da Europa não entende

      Eliminar
    3. Anónimo16:19

      A música do Miguel Gameiro, é excelente, um som completamente actual. Quem não consegue ver o potencial daquela música, não faz a mínima ideia do que está a dizer, porque já só está a dizer mal por dizer, já é teimosia. Gostava que me dissesse, quais essas maravilhas dos outros países, que já ouviu este ano, até agora, só para ter uma ideia.

      Eliminar
    4. Anónimo16:31

      eu vejo as semi finais dos outros paises pq lá tem musicas boas atuais, ja nos sempre musicas dos anos 80

      Eliminar
    5. Este ano o próprio ESC vai ser mais rasca que o dos anos anteriores, e no meu ver, Portugal tem uma grande qualidade de musicas para levar lá fora este ano. A RTP está de parabéns! E quanto às audiências não me espanto, o que Portugal prefere é futebol, novelas e o curral do secret story. Infelizmente a música, teatro, cinema e outras artes são desvalorizadas neste país -.-

      Eliminar
    6. Anónimo20:17

      Renato Pereira. Bom comentário.

      Eliminar
    7. Anónimo21:26

      16.40: Se a música, teatro, cinema e outras artes são desvalorizadas, como diz (e bem), não haverá também nisso culpa da RTP? Num ano, que/quantos programas de música com músicos e cantores profissionais organiza a RTP? Quantos filmes/telefilmes portugueses exibe em horário acessível ao cidadão comum, o chamado horário nobre? Sente que a RTP está mesmo de parabéns? Mesmo em relação ao FC, sente como correto o sistema de convite a compositores, automaticamente eliminando a oportunidade de outros (mais conhecidos ou menos conhecidos) mostrarem ao seu trabalho? Sente como correta a abertura das linhas telefónicas antes de escutada uma única canção? Sente como criativas as perguntas feitas aos intérpretes: "Qual o objeto preferido?", "Manhã, tarde ou noite?"? Sente como adequada e apelativa a promoção feita ao FC? Respeito a sua opinião, mas não consigo concordar. Não consigo dar os parabéns à RTP; não por preferir futebol ou "reality shows", mas porque concretamente o espetáculo de ontem me pareceu de grande amadorismo para uma estação tão antiga e quando supostamente se celebravam os 50 anos do FC. A propósito: digo "supostamente", porque não é necessário ser perito em Matemática para contar quantos anos vão de 1964 até 2015 e descontar 2002, 2003, 2005 e 2013...

      Eliminar
  12. Anónimo16:13

    Será que ainda vai chegar o dia, em que as pessoas vão dizer bem das coisas e contribuir com críticas construtivas, ou é só para dizer mal? isto é uma semifinal, dantes não havia semifinais só o Festival, muita gente, porque estão a seguir uma novela qualquer nem sabia que havia semifinais, só quem é mesmo fã está atento a todas as novidades, porque as outras pessoas só vão ligar à final, pensam que só há a final.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo16:19

    Fiquei surpreendido com a interação dos jovens sobre o Festival da Canção no twitter. Até agora ainda é top trend! Resultados satisfatórios considerando a qualidade musical...

    ResponderEliminar
  14. Anónimo16:19

    culpa é da rtp, se fizessem um festival da canção como melodifestivalen com grande musicas grandes palcos ganhava nas audiencias!

    ResponderEliminar
  15. Anónimo16:23

    Com a RTP a fechar tanto as informações e o acesso às canções e ate aos artistas, ate acho que foi mto bom. Ate parece que o festival começou agora, quando ja devia ter começado ha pelo menos 1 mes em termos de promoção, marketing e impacto social

    ResponderEliminar
  16. Anónimo16:29

    pensava que a RTP tinha arrasado em audiencias, no twitter a hashtag ficou no topo... e também teve muitos estrangeiros a ver pelo site oficial... apesar de claro criticarem as musicas dos anos 80 que festival costuma apresentar.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo16:36

    gente, será que a rtp para o ano podia abrir candidaturas? é que os compositores que eles convidam só fazem musicas más...

    ResponderEliminar
  18. Anónimo16:58

    As baixas audiências são sinónimo de falta de propaganda da RTP, pois se o festival fosse tão divulgado como, por exemplo, o Got Talent, não tenho dúvidas de que teria muito mais audiência.

    Acho que a estratégia tomada pela RTP para o FC não é a mais correta. Não interessa o local onde se realiza o festival, ou o design do palco, pois isso é o menos importante. Ao convidar os compositores, a criatividade e a diversidade diminuem drasticamente, ainda mais quando o fazem à última da hora. Penso que uma seleção aberta e aviso com relativa antecedência para a abertura das submissões, assim como permitir o uso do inglês (porque cantar em inglês não significa que a música deixe de ser "portuguesa") daria um festival de grande qualidade, ao nível da grande maioria dos outros países. E, claro, começar a fazer propaganda ao festival cerca de um mês antes. Esta é a receita para o sucesso. Será tão ou menos dispendioso do que o método atual.

    Por acaso, em relação ao dia de ontem, fiquei surpreendido pela positiva, pois gostei das duas músicas escolhidas pelo público e mais uma ou outra, mas obviamente, nenhuma delas, tem potencial para ganhar a Eurovisão, que era com o que a RTP se devia preocupar.

    ResponderEliminar
  19. Anónimo16:59

    Acho piada que ainda há pessoas a tentar elogiar a RTP por este "Festival"... LOL

    Em todo o lado pela internet é só críticas negativas, o festival já não tem credibilidade nenhuma pela fraca qualidade das músicas, e mesmo assim ainda há gente que defende esta mediocridade. A começar pela própria RTP, que ano após ano ignora todas as críticas e continua a fazer a mesma bosta de sempre, só mudam as moscas...

    E não venham dizer que é dizer mal só por dizer mal, pois quando o público gosta mesmo não tem pudor em elogiar, como podem ver por exemplo noutros programas quando as pessoas gostam elas elogiam no Facebook, Twitter, etc, quando têm motivos para isso. Aqui sim a hashtag #festivaldacancao foi para o topo do twitter, no entanto pelos piores motivos, toda a gente a dizer "isto outra vez?", "outra vez músicas estilo anos 80/90?" etc

    Mas claro, a maioria é que está errada, aqueles países que investem em melodias viciantes, boas coreografias e bons shows é que estão errados e "só querem circo", nós é que estamos muito bem com as Simones, Adelaides e melodias que no dia seguinte ninguém se lembra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:27

      As maiorias, muitas vezes estão erradas, porque as maiorias tendem a ir em modas e tendem a ser "umas Marias vão com as outras" e o que crítico é precisamente isso, é como fica bem, tornou-se bem, dizer mal das musicas do festival, diz-se mal para ter conversa na porcaria das redes sociais, só para estar in, muitos, aposto, que nem as músicas ouviram e os que ouvem, já vão prontos para achar uma porcaria, então, mesmo que apareçam uma ou duas muito boas musicas, é o mesmo que nada, porque não, não, não é não, é porcaria é.
      Quanto aos outros países, nos últimos anos, são tão bons tão bons, ficam tanto na memória, que as únicas que não esqueci, são duas e do mesmo ano, foi o quedate comigo da Pastora, de Espanha e a inesquecível Loreen que aqui foi criticada a torto e a direito, do resto, não me consigo lembrar de mais melodia nenhuma dos últimos anos.

      Eliminar
    2. Anónimo19:46

      falaste tudo! acho uma vergonha criticarem o melodifestivalen, quem me dera a mim que FC fosse o melodifestivalen, aquilo sim é um show de verdade!

      Eliminar
  20. Anónimo20:30

    "De volta à casa mãe, que é como quem diz aos Estúdios da RTP, a primeira semifinal teve qualidade e apagou quase que em definitivo a paupérrima imagem deixada no ano anterior, mas convém notar que ainda faltam conhecer seis temas."

    Assim começa um artigo do hardmusica.pt

    Isto não é só ler os comentários dos que vão aos programas lixo e vão dar um pulinho ao festival ou nem sequer o vêem e vêm aqui criticar por criticar.

    Quanto ao melodifestivalen, há muitos estrangeiros que nos elogiam a autenticidade e o facto de não termos embarcado nos modelos suecos copiados, recopiados, mastigados e plastificados que nunca se tornam clássicos. Para ganhar com fast food musical, mais vale mostrar algo de qualidade e nosso, algo de que nos possamos orgulhar. Imagine-se ganharmos em inglês, com uma encomenda qualquer de um escandinavo... Que vitória é essa??? Sabe a quê? A m****a. Agora comparem com a Itália, alguma vez copia o melodifestivalen? Cantam em inglês? Um redondo não. E fazem muito bem. Parabéns RTP. É só mudar o sistema de voto (júri de experts) e televoto no tempo certo + contagem apenas do último voto. Ah, e começarem o processo de seleção ou candidaturas muns meses antes.

    ResponderEliminar
  21. a rtp fechou se me copas . como queríamos ter audiencias significativas. ?

    ResponderEliminar
  22. Foi um espectculo fraquíssimo. Excelentes apresentadores

    ResponderEliminar