A emissora ucraniana UA:PBC já reagiu à multa imposta pela EBU/UER, descartando responsabilidades do processo que proibiu Julia Samoylova de participar no concurso em Kiev: "Não acreditamos que a SBU ou o Governo queiram comparticipar a multa".

Depois de terem sido reveladas as sanções à Ucrânia (AQUI) e à Rússia (AQUI), o diretor geral da emissora estatal ucraniana, Zurab Alasania, confirmou que a UA:PBC vai apelar à EBU/UER que a multa imposta seja anulada. "Formalmente, não fomos nós que tomamos a decisão de proibir a entrada de Julia Samoylova, mas acho que o SBU (serviços de segurança do Estado) ou o Governo queiram comparticipar a multa" afirmou à Reuters, revelando que a multa é de 200 mil euros.

De realçar que, esta manhã, a União Europeia de Radiodifusão (EBU/UER) revelou as sanções impostas pelo Grupo de Referência à Ucrânia e à Rússia: a emissora ucraniana foi sancionada com uma multa devido aos atrasos na organização do Festival Eurovisão e pela não-cooperação para garantir a participação da Rússia, enquanto a Rússia levou uma repreensão por não participar na reunião obrigatória de chefes de delegação em março e por não ter transmitido o Festival Eurovisão 2017.

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: Reuters / Imagem: Depo.ua

2 comentário(s):

  1. Anónimo22:33

    Ai agora nao querem pagar

    ResponderEliminar
  2. Anónimo10:44

    Aqui é que se vê a máfia da EBU: O menino que fez birra tem direito ao rebuçado, enquanto o que assistiu é que leva uma enchente de porrada (uns são filhos outros enteados!). Está bonito, está! Para o que resta do bom nome da EBU, espero que esta dê a Ucrânia também uma "repreensão", em troca da multa.

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top