Slider

[Olhares sobre o FIK61] Quem representa a Albânia no Festival Eurovisão 2023?

 

A sétima temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais com a escolha da Ucrânia para o Festival Eurovisão 2023. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no Festivali i Këngës 61?


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, e depois do sucesso da edição da temporada passada do Olhares sobre as Finais Nacionais, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma nova edição alargada da iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

A edição deste ano do Olhares sobre as Finais Nacionais continua, hoje, com a escolha da Albânia, país que volta a usar o Festivali i Këngës como final nacional para o Festival Eurovisão. Contudo, ao contrário dos anos anteriores, o vencedor do concurso não será propriamente o representante do país em Liverpool, sendo que a escolha eurovisiva será feita com uma votação exclusiva do público. Os vários integrantes do painel do ESCPORTUGAL Regiões foram desafiados a votar nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar a Albânia em Turim.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:


2Farm - "Atomike" - 1 pontuação máxima

André Pereira - "Atomike" acaba por ser a minha canção favorita desta edição do FiK. Com um bom número de canções que podem chegar â Eurovisão, "Atomike" destaca-se pela sua irreverência, tem uma letra que fala sobre o que acontece em alguns países atualmente e isto eleva bastante a canção. Destaco também "Duje" da Albina e sua família que ao vivo com a orquestra resulta bastante bem, mas depois de ouvir a versão de estúdio, a mesma parece perder qualidade. 



Albina dhe familja Kelmendi - "Duje" - 5 pontuações máximas

Adão Nogueira - E pumba, este ano o Fik perde o título de primeira final nacional. E veio com mudanças pois as músicas só foram reveladas nas galas. Mas tudo isto não fez com que está final nacional perdesse valor, pois continua com um leque de boas e variadas canções. Não tendo nenhuma favorita tenho que destacar a Fifi, a Albina e Elsa Lila, pois sendo 3 propostas completamente diferentes são as que mais me chamaram a atenção. Destaco assim a Albina  e “Duje” para representar a Albânia. Se ao início os elementos todos em palco fizeram uma pouco confusão, a forma como interagiam e a presença acabou por fazer sentido. A voz de Albina e a sua presença são algo de fantástico e a música acaba por ser dramática e animada ao mesmo tempo o que a eleva.

Alina Aleixo - Relativamente a esta final nacional devo dizer que não a considerei nada de especial, mas que, pelo menos, consegui fazer um top 10 sem problemas, incluindo apenas canções que gostei genuinamente. Para mim, a canção que merece representar a Albânia é "Duje". Acho uma proposta interessante, começando pelos ritmos étnicos a que a Albânia já nos habituou. O facto desta canção ser interpretada (e bem!) por uma família e da letra apelar à união familiar, ao tocar na questão dos conflitos que por vezes ocorrem e destroem famílias, é também um aspeto positivo e cativante. A canção ao início não é o que parece, o que faz com que esta se torne ainda mais surpreendente à medida que a vamos ouvindo. Acredito que seja esta a escolhida para representar a Albânia, e se assim for, espero que um possível revamp não lhe venha tirar o encanto.

Diogo Quintais - "Duje" de Albina & Familja Kelmendi é para mim a melhor opção de todas as canções a concurso do Festivali i Këngës! Foi a única que senti que tinha uma certe etnicidade nacional e a única que tem capacidade de fazer uma performance boa em Liverpool!

Ivo Mendonça - Albânia apresenta-nos uma final muito característica, com um elevado nível de etnicidade, sem grandes riscos ou performances fora da caixa. Creio que têm aqui algumas performances que podem, de facto, transformar-se em algo mais épico, em Liverpool. De qualquer das formas, a canção que me pareceu manter a estrutura, princípios e forças da Albânia, e que pode voltar a levar este país à final do concurso seria a performance da Albina e "Familia Kelmendi" - a expressão que, de imediato, me fez lembrar a canção foi "old but gold", misturando o tradicional com o sentimento de família - performance muito bem conseguida vocalmente. Não sei se é por esta final nacional coincidir com a época natalícia, mas esta atuação mais familiar fez-me todo o sentido e certamente que será única até maio de 2023. Destaco ainda a performance da Elsa Lila, talvez a performance mais "diferente" daquilo que a Albânia nos tem habituado. Boa sorte! 

Pedro Dias - Numa extensa final nacional, onde seria preciso mais tempo para conseguir digerir todas as propostas, não é fácil eleger as favoritas. Há várias propostas interessantes, mas nenhuma que consiga apontar como clara favorita à vitória. Gosto bastante da elegante proposta da Vanesa, mas vou optar pela canção defendida pela Albina e a família pois as sonoridades étnicas são sempre o meu ponto fraco, e tornam esta canção bastante original. Será sem dúvida uma final nacional bastante interessante de acompanhar. E que vença a melhor! 


Elsa Lila - "Evita" - 5 pontuações máximas

Carlos Fernandes - "Evita" é a minha canção favorita. É simples, elegante, mas impactante com a sua melodia forte. A Elsa interpreta este tema de uma forma muito emotiva e segura. Seria uma excelente representante da Albânia no Eurofestival. 

Cláudio Guerreiro - Numa final em que não faltam músicas que não irão ficar para a história do concurso, as mulheres dominam uma vez mais o grupo dos principais destaques desta edição. Ao ouvir as finalistas notou-se claramente que a Albânia é um país cheio de boas intérpretes. No entanto, houve uma em particular que me captou a atenção de forma mais profunda. Elsa Lila e “Evita” oferecem-me tudo o que me faz querer acompanhar mais e mais finais nacionais: uma voz que não passa despercebida, um instrumental com força e uma exímia interpretação. “Evita” é uma canção que começa calma e assim se mantém durante o primeiro minuto. Depois começa a crescer, ganhando uma força especial em todos os refrões, até chegar ao último minuto em que, aliado à interpretação carregada de emoção de Elsa Lila, nos faz sentir arrebatados e arrepiados.

Hugo Sepúlveda - Não há época de Natal sem haver também Festivali i Këngës! Nesta edição 61 há algumas propostas interessantes, sendo que algumas delas já se destacaram, como Fifi e, especialmente Albina! No entanto, aquela que tem vindo a crescer cada vez mais é “Evita”, de Elsa Lila! Nas primeiras impressões não me pareceu tão “catchy” como “Duje” ou até “Stop”, mas o seu impacto tem-se mantido! Apesar de ser mais uma “berrona albanesa”, penso que esta foge um pouco ao que costumamos estar habituados nessa categoria. “Evita” tem a força de um vozeirão, entoada de uma forma muito sublime e até bastante sóbria! Também é normal que sob o tema da maternidade, uma canção como esta ganhe uma carga emocional maior e mais intensa, transparecendo tudo isso na actuação!

Marcelo da Silva - Depois de ouvir as canções da final nacional da Albânia, cheguei à conclusão que estamos perante um concurso de demos e de músicas há muito guardadas numa gaveta. Nenhuma das canções me agradou, contudo existe alguém que me espantou no bom sentido. A voz de Elsa Lila, esta ‘newcomer’ conseguiu chamar a atenção da plateia com a sua voz grave, não é a música que está em questão, é a voz de Elsa, a interpretação da mesma que me agarrou ao visor. E por isso os meus 12 pontos vão para Elsa. 

Patrícia Gargaté - A canção da Elsa Lila é uma das poucas desta final nacional que tem “pernas para andar” uma atuação muito forte que com os devidos (e já habituais) arranjos poderá resultar em algo positivo. 


Manjola Nallbani - "Dua" - 1 pontuação máxima

Nuno Carrilho - Desde a primeira audição que "Dua" ocupou o meu primeiro lugar nas preferências do Festivali i Këngës 61 e mantém-se como a minha favorita para representar a Albânia em Liverpool, ainda que com a fortíssima concorrente de Albina e Elsa Lila (bem como de Fifi).


Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 12 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

1.º Albina dhe familja Kelmendi - "Duje" - 107 pontos (5PM)
2.º Elsa Lila - "Evita" - 105 pontos (5 PM)
4.º Enxhi Nasufi - "Burrë" - 62 pontos
5.º Vanesa Sono - "Aroma jonë" - 46 pontos
6.º Manjola Nallbani - "Dua" - 43 pontos (1PM)
8.º 2 Farm - "Atomike" - 33 pontos (1PM)
9.º Rezearta Smaja - "N'Eden"- 33 pontos
11.º Evi Reçi - "Ma Kthe" - 24 pontos
13.º Rovena Dilo - "Motit" - 17 pontos
14.º Urban Band - "Në çdo hap" - 16 pontos
15.º LYNX - "Nëse ke besim" - 13 pontos
16.º  Fabian Basha - "Një gotë"- 11 pontos
17.º Gjergj Kaçinari - "Dje" - 6 pontos
19.º Genti Hoxha - "Ajër" - 1 ponto


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem/ Vídeo: Eurovision.tv
0

Sem comentários

Enviar um comentário

Ideas

both, mystorymag

A NÃO PERDER...

TOP
© Todos os direitos reservados
Criado por templatezoo Personalizado por ESC Portugal - PG, 2022.