Slider

[Olhares sobre o Eurovision France, c'est vous qui décidez!] Quem representa a França no Festival Eurovisão 2022?



A sexta temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais continua com a escolha da França para o Festival Eurovisão 2022. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no 'Eurovision France, c'est vous qui décidez!'?

Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma nova edição alargada do Olhares sobre as Finais Nacionais, iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

Olhares sobre as Finais Nacionais 2022 continua, hoje, com o 'Eurovision France, c'est vous qui décidez!'. Doze candidatos estão na corrida para representar a França no Festival Eurovisão 2022. Os vários integrantes do painel do ESCPORTUGAL Regiões foram desafiados a votar nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar a França em Turim.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:

Soa - "Seule" - 10 pontuações máximas


Adão Nogueira - França continua a apostar numa final nacional e ainda bem. É sempre bom ver a nacional francesa, pois apresenta variedade e boas músicas, sem deixar de parte as suas origens. O Eurovision France, c’est vous qui décidez! 2022 é a final que até ao momento me custou mais a comentar pois depois da vencedora do ano passado parece que nada lhe chega aos calcanhares, mas após deixar de lado comparações consegue-se ouvir e encontrar qualidade. Assim, a minha aposta este ano vai para os Soa e “Seule” até porque acredito que eles não vão estar nada sozinhos, até porque apostam numa letra bem construída e com um instrumental e performance muito ao estilo francês o que agradará aos fãs.

Alina Aleixo - Sobre o "Eurovision France" tenho a dizer que, relativamente à qualidade musical, as canções estão dentro do que considero razoável e, portanto, não desgostei de nenhuma delas. Contudo, não sei se este ano a França voltará a ficar perto da vitória tal como no ano passado... Os meus 12 pontos vão para "Seule", que me deixou rendida assim que a ouvi. Um pop francês forte e moderno com uma mensagem bastante positiva e motivacional para todos aqueles que se sentem excluídos neste mundo. É cantado em dueto por vozes que casam bem e a coreografia bem executada dá a ideia de que num palco maior a atuação poderá ser mais impactante. Se não for esta a escolhida, acredito que "Nuit Pauline" também seja adequada e capaz de brilhar na Eurovisão. 

Carlos Fernandes - "Seule" dos Soa é uma canção moderna com uma mensagem interessante. É bem construída, perfeita para os seus intérpretes carismáticos que sabem estar em palco e passar para o nosso lado uma prestação convincente e sólida.

Cláudio Guerreiro - Depois de um regresso aos bons resultados em 2021, França volta a apostar no mesmo processo de escolha para a Eurovisão. No entanto, com uma final mais fraca do que a da edição anterior. Confesso que senti até alguma desilusão ao ouvir este alinhamento, que mesmo sendo variado não vai ficar para a história das melhores finais nacionais da temporada. Ainda assim, houve uma canção que me conquistou logo na primeira audição. “Seule” dos SOA é uma canção pop com agradáveis dinâmicas no seu instrumental, um refrão que vicia e uma dupla que, além de não parecer comprometer a nível vocal, apresenta ainda a vantagem de ter grande química. 

Gonçalo Canhoto - Se no ano passado aplaudi a final nacional francesa pela sua estrondosa qualidade e me rendi a "Voilà", este ano o país decidiu trocar-me as voltas. Os gauleses parecem não querer repetir o sucesso alcançado em Roterdão e apresentam-nos uma seletiva morna e sem destaques óbvios. O meu favoritismo recai sobre os irmãos SOA e a sua "Seule": um pop moderno e acessível e, sem dúvida, a aposta mais impactante do leque a concurso. Intencionada a transmitir uma forte mensagem de esperança a quem se sente só e esquecido, a proposta tem como principal ponto forte a harmoniosa fusão entre as vozes dos irmãos. Embora não a veja a causar estragos em Turim, acredito que seja a melhor opção do país para alcançar um bom resultado em maio. 

Hugo Sepúlveda - França volta com a segunda edição do “C'est vous qui décidez” e consegue ter das finais nacionais mais consistentes deste ano mediano, mesmo não estando recheada de obras-primas. Há aqui várias que têm potencial e que representariam França muito bem, mas a minha aposta é SOA! Curiosamente “Seule” foi uma das músicas que se adiantou nas preferências em relação às restantes, mas que me passou despercebida inicialmente. Dei por mim e já estava a deixar-me levar por ela! É uma canção com uma sonoridade contemporânea, tem alguns versos bem “catchy” e mesmo a parte mais “rap” não destoa nem se estranha, em relação aos restantes elementos. Este duo de irmãos traz-nos um tema pelo qual todos nós nos relacionámos uma vez que seja ao longo da nossa vida: a solidão. Tentam dizer-nos que não estamos sozinhos e que encontraremos o nosso lugar… A ver se eles encontram o deles em Turim!

Ivo Mendonça - França nunca me desilude! Mais um ano em que consigo ter uma playlist rica de estilo e de muita autenticidade. Este ano as propostas são muito equilibradas. No entanto, há aqui uma proposta que junta tudo aquilo que gosto numa canção - Seule. Uma letra super inteligente, bem articulada - todos somos importantes, todos fazemos todos parte do mesmo planeta. Por mais que nos tentemos a procurar outro lugar para viver, é aqui que a nossa marca vai ficar. A sonoridade desta canção é bastante orelhuda, catchy e moderna. E, para complementar, fiquei agradavelmente surpreendido com a dupla SOA: conquistaram-me pela simplicidade, estilo musical e pela harmonia vocal. Mais um ano em que França vai lutar pelo meu pódio, depois de 2018 e 2021 terem sido o meu nº1. Deixo também uma mensagem positiva para a canção Fulenn, que também é um rasgo genial nesta seleção. Boa sorte!

Marcel Pessoa - Confesso que depois de "Voilà" estava a espera de um nível muito forte vindo da França. Ao conhecer as canções, não encontrei essa força. A maioria tem potencial, no entanto nenhuma me brilhou os olhos. Ainda assim é uma das finais nacionais mais interessantes de acompanhar. Meus 12 pontos vão para Seule, é moderna na sonoridade, possui letra com mensagem e gosto como a dupla defende sua proposta. Não sei se terá sucesso em Turim, mas acho que vale o risco. Espero que tenha um staging interessante para elevar a canção. 

Marcelo da Silva - Depois do segundo lugar o ano passado, Franca quer-se manter no pódio, pois se a escolha recair nos irmãos gémeos SOA, prevejo que seja mesmo possível isso acontecer. A música tem emoção, ritmo, letra, voz, leva-nos a um colapso musical. Esta música é um bom Pop Francês, ‘it runs in an endless loop’. A França tem-se esforçado e em um futuro próximo irá ganhar a Eurovision. 

Tiago Silva - França novamente com uma grande final nacional! Acompanham o sucesso do ano passado e as minhas 2 grandes favoritas são sem dúvidas "Seule" e "Fulenn" ambas têm grandes chances de ficar no top 10 em Turim. Uma parte de mim quer que "Fulenn" vença porque iria ser um som novo na eurovisão e uma língua que sinceramente não me lembro de ter ouvido a concurso mas por outro lado a música que mais gosto e mais internacional é ´Seule´, de qualquer das formas França será muito bem representada.

Marius - "Les chansons d'amour" - 1 pontuação máxima


Mariana Fernandes - Quando ouvi esta música senti o mesmo de quando ouvi a barbara pravi. Carrega tanta emoção que nos deixa apáticos e completamente rendidos à música. Penso que a Eurovisão precisa de um momento assim e não há como uma música cantada em francês para isto acontecer. Este é o timbre de Marius são os únicos fatores de diferenciação porque este ano, a França vai ter uma função difícil em escolher o seu representante porque quase todos são diferentes e muito talentosos.

Hélène in Paris - "Paris mon amour" - 1 pontuação máxima


Nuno Carrilho - Numa final nacional que fica muito aquém da edição do ano passado, nenhuma canção me convenceu totalmente e dificilmente França repetirá o resultado de Roterdão em Turim. Contudo, na hora de escolher, a minha pontuação máxima vai para aquela que promete ser um dos meus guilty pleasures do ano: "Paris Mon Amour" de Hélène in Paris. Acredito que possa ficar nos últimos lugares... mas foi a que mais gostei deste lote (fraco) de canções. 

Alvan & Ahez - "Fulenn" - 1 pontuação máxima


Aan Gomes - Excelente final nacional por parte de França, com variedade musical e étnica. Destaco aqui a música bretã, "Fulenn" de Alvan e Ahez, uma música moderna com inspiração regional, que traz a língua da Bretanha para o certame francês. Para mim é uma excelente canção, catchy e que traz um "je ne c'est quois" de vengeance (desforra), sendo que nos faz lembrar "Terra" das Tanxugueiras.

Saam - "Il est où?" - 3 pontuações máximas


André Pereira - E chegámos á final nacional francesa! E bem francesa! Temos 12 canções, direi bem diferentes umas das outras, enquanto o ano passado havia uma clara favorita, este ano tenho até mais que uma favorita, mas para ser sincero nenhuma está ao nível de Voilà! A minha favorita deste ano é "Il est ou" do Saam. Toda a canção, direi eu, que é fantástica, e que com uma boa performance consegue vir a surpreender no resultado! Destaco também Fulenn e Seule. 

Jorge Durões - Sejamos sinceros... depois de uma Barbara Pravi rebentar com tudo em 2021, é normal que tudo o que França nos pudesse apresentar nos soubesse a pouco. No entanto, Il est où? de Saam é um digno sucessor de Voilà. A sua atmosfera remete para a inocência e para os sorrisos, para o felizes que éramos quando éramos criança, a perda dessa inocência e a vontade de a voltar a recuperar. A voz do Saam é também muito interessante e não passa indiferente. Tudo vai depender do staging. Se conseguir transportar a essência do videoclip para palco poderá, muito provavelmente, levar o caneco francês (que espero que esteja a transbordar de champanhe)!

Pedro Dias - Uma final nacional repleta de canções muito boas que traduzem na perfeição o cuidado crescente que a França tem vindo a dar à sua seleção, nestes últimos anos. Quanto a “il esto où?” é simplesmente magnífica. Está no top 5 das minhas canções favoritas de todas as finais nacionais desta edição. Sei que não é a favorita da maioria dos fãs da Eurovisão, mas tenho confiança no bom gosto francês, e quero acreditar que vai ser a vencedora. Já li algures que se trata dum “voilà 2.0”. Não concordo, mas se fosse, só de a compararem a uma canção estratosférica, a melhor de 2021 por larga margem, já é um enorme elogio que lhe podem fazer.  

Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 16 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

1.º Soa - "Seule" - 162 pontos (10PM)
2.º Saam - "Il est où" - 139 pontos (3PM)
3.º Alvan & Ahez - "Fulenn" - 138 pontos (1PM)
5.º Elia - "Téléphone" - 75 pontos
6.º Marius - "Les chansons d'amour" - 69 pontos (1PM)
7.º Joan - "Madame" - 69 pontos
8.º Julia - "Chut" - 67 pontos
10.º Elliott - "La tempête" - 34 pontos
11.º Cyprien Zeni - "Ma Famille" - 32 pontos


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter Instagram. Visite já!
Fonte: ESC Portugal / Imagem: ESC Portugal / Vídeo: Youtube
0

Sem comentários

Enviar um comentário

Ideas

both, mystorymag

A NÃO PERDER...

TOP
© Todos os direitos reservados
Criado por templatezoo Personalizado por ESC Portugal - PG, 2022.