[Olhares sobre o FIK60] Quem representa a Albânia no Festival Eurovisão 2022?

A sexta temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais continua com a escolha da Albânia para o Festival Eurovisão 2022. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no Festivali i Këngës 60?


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, e depois do sucesso da edição da temporada passada do Olhares sobre as Finais Nacionais, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma nova edição alargada da iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

Depois da escolha da República Checa e da semifinal da Albânia, o Olhares sobre as Finais Nacionais 2022 continua, hoje, com a Grande Final do Festivali i Këngës 60. Dezassete candidatos estão na corrida para representar a Albânia no Festival Eurovisão 2022, sendo que a votação estará a cargo de um júri de sete elementos. Os vários integrantes do painel do ESCPORTUGAL Regiões foram desafiados a votar nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar a Albânia em Turim.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:


Denis Skura - Pse nuk flet, mama?" - 2 pontuações máximas


Alina Aleixo - De todas as canções do Festivali i Këngës 60, "Pse nuk flet, mama?" foi aquela que me emocionou assim que a escutei pela primeira vez. Uma melodia esplendorosa e agradável. Um vozeirão incrível. Soou-me a nostalgia (e, curiosamente, a uma certa vibe natalícia). Relativamente ao staging, creio que o da semifinal poderia ter sido um pouco mais interessante. Consigo visualizar tantas coisas bonitas e simples que podem ser feitas em palco com esta canção de forma a torná-la ainda mais poderosa e impactante. Não estou segura de que seja esta a escolha da Albânia, mas tenho a certeza de que iria proporcionar um momento espetacular e lindíssimo na Eurovisão, ainda que este género musical não agrade a todos. "Pse nuk flet, mama?" é sem dúvida a minha favorita e a que recebe os meus 12 pontos!

Pedro Dias - É, sem dúvida, uma final nacional com várias canções interessantes, que poderão fazer boa figura no próximo mês de Maio. Mas talvez por ser um fã confesso de música lírica, a “Pse nuk flet, mama?” conquistou-me logo após a primeira audição. A voz do Denis é poderosa e a canção, em crescendo, é bonita e melodiosa. Será sem dúvida uma excelente representante das cores albanesas em Turim, e penso que não terá dificuldade em conseguir um lugar na final, mesmo se ainda estamos no início de mais uma temporada Eurovisiva.



Gjergj Kaçinari – "Në ëndërr mbete ti" - 1 pontuação máxima


Márcia Santana - Sinto-me a jogar ao totoloto nesta Final Nacional Albanesa. Não existe uma canção avassaladora e por isso fico-me pelo pop rock muito competente dos/do Gjergj Kaçinari. É despretensiosa e foi a que mais captou a minha atenção na primeira audição, aniquilando as supostas favoritas do público, para mim. Não irá vencer mas é uma canção bastante agradável ao meu ouvido e por isso tem os meus 12 pontos. 


Ronela Hajata - "Sekret" - 4 pontuações máximas


Jorge Durões - Numa final nacional marcada pela falta de qualidade... estou por tudo. A minha escolha vai para a Ronela Hajata e "Sekret", uma espécie de Daniela Mercury da Wish, que é o melhor que a Albânia poderá levar ao Festival Eurovisão 2022. Por que tudo o resto, Deus Nos Free a todos.

Manuel Farinha - Proposta musical que começa ao som do piano e desde logo me faz gostar da mesma, pelo que a melodia ao longo dos 3 min evolui de uma forma que mobiliza definitivamente a minha atenção, o que está relacionado com a heterogeneidade sonora presente que vai do mais convencional ao mais étnico. Esta é definitivamente uma música de fusão. Em termos performativos a atuação que se lhe viu na semifinal é muito potente, ainda que tenha achado despropositado e desnecessário o número  de bailarinos em palco, parecendo um momento de interval act. Por fim, e transportando o que se viu para o palco eurovisivo, temo que caia no espectro de uma pop mais descartável ou artificial.

Marcelo da Silva - O Festival do Revamp está no ar, e está prestes a escolher o seu novo Revamp. Este ano, o FIK não traz muito por onde escolher e, na minha opinião, a decisão irá recair entre a Ronela e o Alban. Ambos são boas escolhas para Turim, mas as canções precisam de um óbvio... revamp. A Ronela, uma das artistas mais conhecidas da Albânia, e com um devido e apropriado revamp conseguirá levar uma boa proposta a Turim. Por outro lado, o Alban tem a canção perfeita para a Eurovisão, que apela ao voto do público e do júri, mas tem o intérprete errado...

Pedro Caramba - A minha escolha não foi fácil. Numa edição, a meu ver, das mais fracas deste festival, escolho a canção "Sekret". Canção pop/dance, que vai buscar algumas sonoridades étnicas e que conta com uma entrega enorme da interprete. Que é, quanto a mim, o ponto mais forte desta presença da Ronela Hajati no Festivali I Kenges. Caso seja a eleita, será sem dúvida um "hit" da pista de dança do Euroclub em Turim. 


Rezarta Smaja - "E jemja nuse" - 1 pontuação máxima


Rodrigo Pinto - Rezarta Smaja é uma mulher que já tentou algumas vezes vencer o Festival, e destaco não só a qualidade brutal na sua voz, mas também a individualidade de estilos que ela tende a mostrar no FIK - e este ano é um enorme exemplo disso. "E jemja nuse" é brutal - ares latinos e de samba - um check enorme para mim. É daquelas músicas que uma pessoa não ligaria diretamente à qualidade distintiva do Festival da Eurovisão, mas caramba que faz sentir tão bem quando a ouvimos; e a Rezarta é um puro animal de palco. Puro. Resultado: sons latinos + samba + animal de palco = satisfaction. 

Alban Ramosaj - "Theje" - 15 pontuações máximas


Aan Gomes Branco - "Theje" de Alban é provavelmente a primeira canção no leque das semi-finais eurovisivas que me fez sentir algo por dentro - desde a letra, produção musical, carisma e poder vocal. O Alban tem o pacote todo. Não é à toa que me apaixonei pela lingua albanesa, pelos seus sons. Com um bom staging (o efeito trovoada é um ponto-chave) e boa performance, acho que o Alban pode dar um grande lugar à Albania em Turim.

Adão Nogueira - E não é que após alguns anos como primeira final nacional a Albânia perdeu esse estatuto. Mas isso não é motivo para ficarmos desiludidos pois mais uma vez este país apresenta um leque de variadas e boas canções. Como não podia deixar de ser, logo que disponibilizadas as candidatas, saltaram logo 2 das propostas para a dianteira e que ficaram como favoritas. Alban apresenta-nos uma balada épica (muito ao estilo do enviado nos últimos anos) enquanto que Ronela com uma proposta com tons modernos e dinâmicos. No meio dessas diferenças acaba-se por encontrar um ponto em comum nas prestações ao vivo, ambos deixaram muito a desejar pois não tiveram ao nível desejado, quer vocalmente quer na performance. Dito isto, e sendo uma escolha efetuada apenas por júri, penso que a vitória irá pender para o Alban.

André Gonçalves - Dividido desde o início entre "Sekret" e "Theje", os 12 pontos acabam por ir para o tema de Alban Ramosaj. Com o seu poder e impacto inquestionáveis o intérprete consegue fazer com que a audiência acredite nele, mesmo não entendendo as palavras da sua canção. Ao analisar a tradução da letra, a canção e interpretação ganham ainda mais sentido e profundidade. Já não vemos um intérprete masculino albanês desde 2018 e acredito que Alban Ramosaj seja a aposta ideal com a sua poderosa balada. A Albânia nunca desilude com o poder vocal dos seus intérpretes e este ano, caso "Theje" leve a melhor, não será diferente. 

André Pereira - "Theje" é a minha canção favorita para vencer o Festivali i Kenges 60. O Alban tem uma voz fantástica, apesar de, durante os ensaios, não ter estado nos seus melhores dias. Contudo, é de facto a única canção capaz de trazer um bom resultado para a Albânia em 2022.

Cláudio Guerreiro - A corrida pela vitória na final albanesa aparenta ser apenas a dois este ano. Ainda assim, é importante assinalar que esta é uma final que, por vezes, oferece algumas surpresas em termos de resultados no top3, especialmente devido ao facto da votação ser totalmente da responsabilidade do júri. Ronela Hajati, uma das favoritas à vitória, mostra toda a sua confiança numa performance enérgica e que poderia dar ao país uma atuação poderosa no palco do ESC. A segurança que já demonstra em palco poderá ser um fator de desempate decisivo na batalha contra a balada épica com toques étnicos de Alban Ramosaj. Apesar de alguns deslizes vocais e de uma atuação não tão bem pensada como a adversária direta, Alban tem espaço de manobra para corrigir o que se passou de menos bom e lutar pela vitória. "Theje" prendeu-me logo na primeira audição, não só pelo instrumental com toques étnicos, mas também pela intensidade vocal do intérprete. Agora só falta passar essa intensidade de forma mais assertiva para a atuação final…  

Diogo Quintais - Mesmo sabendo que a qualidade desta Final Nacional não ser nada de extraordinária, para mim a única que sobressai é a de Alban Ramosaj com o tema “Theje”. Tem força e algo de étnico e com um pouco mais controlo vocal por parte de Alban é a única que tem uma chance no ESC2022.

Hugo Sepúlveda - Albânia fecha o ano a escolher o seu representante, como de costume. Só é habitual ser a primeira final nacional da temporada, o que não foi o caso este ano. E também como não é de estranhar, voltam a estar duas em grande destaque. Desta vez, Alban, com “Theje”, e Ronela, com “Sekret”. Pela versão estúdio, Alban estava na dianteira, o que estremeceu com a actuação ao vivo. Ronela traz-nos uma performance impactante, mas um pouco confusa e “messy”, fazendo jus à canção. No entanto, o estilo de música é muito apreciado pela generalidade da comunidade eurovisiva. E como li algures, desta vez a berrona albanesa também dança! Apesar de ser algo que pode ser melhorado e até correr bem, a minha aposta é em Alban! “Theje” é uma power ballad étnica bem construída e, apesar de ter ficado um pouco aquém na primeira performance e ter soado demasiado “berrada” – Albânia na sua essência – é algo que pode facilmente ser trabalhado até Maio! E obviamente nem estou a pôr a hipótese de que com o revamp mudem para inglês!

Ivo Mendonça - Para além de ser uma final com 17 finalistas, e de ter o seu estilo próprio, a Albânia trocou-me as voltas com estas performances. Se até à gala me perguntassem qual a canção que mais gostei, responderia sem hesitar "Sekret". Porém, com as atuações ao vivo, senti em "Theje" algo que adoro sentir quando se trata de uma atuação balcã - honestidade, sinceridade e paixão com uma sonoridade que nos prende em crescendo. No fim de contas, Alban Ramosaj cativou-me a ouvir mais vezes a sua canção, e escolho-o como o favorito de todo o leque de concorrentes. Não sendo uma performance altamente inovadora, cumpre e poderá surpreender em Turim. E os albaneses têm sido exímios na forma como tratam as suas baladas / atuações. P.S. Ronela, podemos continuar a ser amigos! Faltou-me um clique entre a canção e a atuação.

João Pedro Vargas - Na minha opinião, e conhecendo o registo baladeiro da Albânia na Eurovisão, Alban e o tema "Theje" são os grandes vencedores do grande show esta noite. Alban tem uma voz poderosa e o tema "Theje" carrega uma carga emocional muito grande. Albânia mais uma vez não vai sair so seu registo, o que uma pena. Ainda não será desta que a Albânia vai ganhar a Eurovisão. 

João Tomás Costa - "Theje" é uma canção super eurovisiva e aquela que a Albânia deve escolher para Turim. Com um staging bem conseguido e uns vocais poderosos, o Alban destaca-se nesta final e deve na minha opinião vencer o concurso. Aprecio também a "Hijena" da Ester mas parece pouco madura para ir a um festival maior.

Marcel Pessoa - E chegamos à final da Albânia, que desta vez não é o primeiro país a escolher seus representantes na Eurovisão. República Tcheca e Bulgária nos deram uma surpresa, já que para mim era quase uma tradição iniciarmos a temporada eurovisiva com a Albânia. Sobre o Festivali i Këngës, tenho duas grandes canções favoritas: Theje do Alban e Sekret da Ronela. Acredito que a vitória não escapa de um dos dois. Meus 12 pontos desta vez vão para o Alban Ramosaj, porque considero sua proposta mais pronta para Turim (em termos de música e letra, pois performance pode e deve melhorar). Além disso, Theje é uma aposta diferente do habitual albanês na Eurovisão, o que poderá gerar bons resultados para o país. 

Nuno Carrilho - Ao longo dos últimos anos, a Albânia tem sido um dos países a figurar nos top's do Festival Eurovisão, o que faz com que eu, ano após ano, seja um seguidor fervoroso do Festivali i Këngës 60. Ainda que a edição deste ano tenha, a meu ver, deixado "um pouco a desejar" com a qualidade das canções, o FIK60 apresenta-nos duas ou três canções que, depois do habitual revamp, ficarão mais que aptas para o Festival Eurovisão. "Theje", interpretada por Alban Ramosaj, foi, desde o início, a minha favorita e continua a figurar no topo das minhas preferências, ainda que a atuação tenha ficado aquém das expectativas... No entanto, é uma canção com muita força e que poderá dar um bom resultado à Albânia em Turim. Em caso de vitória, provavelmente figurará no meu top10 final do concurso internacional.

Patrícia Gargaté - Dentro do fraquíssimo lote de canções que a Albânia nos traz creio que esta é a única opção aceitável. A meu ver é a canção que apresenta o instrumental mais impactante e a voz com mais força e carisma de todas as que foram apresentadas. Tem capacidade para algumas melhorias. Não vou colocar sequer em equação o seu potencial eurovisivo, ainda é cedo para falar desse assunto uma vez que temos pouca margem de comparação.

Rui Duarte - Para mim, "Theje" é a melhor canção a concurso nesta edição do Festivali i Kenges, pela sua autenticidade e pelos sons étnicos que nela existem. Gosto da potência da mesma e com uma interpretação exímia, pode chegar longe. Entre as concorrentes, não vejo a possibilidade de existir outra canção que se possa destacar mais, pelo seu instrumental e produção. 

Tiago Silva - A minha aposta vai para Alban Ramosaj com a canção "Theje". Tem tudo o que adoro numa canção eurovisiva principalmente os sons étnicos com que a Albânia nos tem habituado ultimamente. Apesar de estar com alguns problemas vocais estou confiante de que o Alban possa melhorar até Maio pois já demonstrou o seu poder vocal no `Kenga Magjike´.


Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 23 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

1.º Alban Ramosaj – "Theje" - 236 pontos
2.º Ronela Hajati – "Sekret" - 213 pontos
3.º Mirud – "Për dreq" - 131 pontos
4.º Janex – "Deluzional" - 106 pontos
5.º Ester Zahiri – "Hijena" - 103 pontos
6.º Olimpia Smajlaj – "Dua" - 79 pontos
8.º Evi Reci – "Me duaj" - 64 pontos
9.º Urban Band – "Padrejtësi" - 61 pontos

13.º Kelly – "Meteor" - 32 pontos
14.º Eldis Arrnjeti – "Refuzoj" - 26 pontos
15.º Shega – "Një" - 22 pontos
16.º Kastro Zizo – "Kujë" - 16 pontos


 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários