[ESPECIAL] Curiosidades sobre o Festival Eurovisão Júnior 2021

Há precisamente uma semana, a cidade de Paris recebeu a 19.ª edição do Festival Eurovisão Júnior. Recorde connosco algumas das curiosidades sobre o certame infanto-juvenil.


Com a vitória de Malèna e "Qami Qami", a Arménia conquistou a sua segunda vitória no concurso (o país já vencera em 2010) e tornou-se no sexto país com mais de uma vitória, juntando-se à Bielorrússia (05/07), Rússia (06/17), Malta (13/15) e Polónia (18/19) e à Geórgia (08/11/16).

Esta é também a sétima vez que uma canção bilingue vence o concurso infanto-juvenil, com "Qami Qami" a ser interpretado em inglês e arménio. O inglês sobe para nove vitórias, ainda que tenha vencido a solo apenas em 2013 e 2015, e o arménio torna-se na terceira língua com mais vitórias (2), sendo superada pelo russo com quatro vitórias.

Malèna Fox havia sido escolhida para representar a Arménia no Festival Eurovisão Júnior 2020 com "Why". No entanto, a emissora arménia anunciara a retirada do concurso devido à pandemia de Covid-19 e ao conflito de Nagorno-Karabakh.

Esta foi a primeira edição do Festival Eurovisão Júnior que não contou com a presença da Bielorrússia. A emissora estatal do país, a BTRC, está suspensa da EBU/UER durante três anos, com a suspensão a terminar a 1 de julho de 2024.

Com 19 participantes, igualando a segunda melhor marca do certame, a edição de 2021 registou um recorde de regressos: Albânia, Arménia, Irlanda, Itália, Macedónia do Norte e Portugal regressaram depois de falharem a edição de 2020, enquanto o Azerbaijão e a Bulgária haviam participado a última vez em 2018 e 2016, respetivamente.

A Polónia, segunda classificada em Paris, alcançou a sua segunda maior pontuação de sempre, superando por 3 pontos a marca de Roksana Wegiel em 2018, e conquistou a sua terceira posição no pódio em quatro anos.

Por sua vez, França conquistou a sua terceira melhor classificação de sempre ao terminar em 3.º lugar, tornando-se o país com melhor média de classificação (3,4 com 5 participações), destronando o Cazaquistão que conquistou a sua pior classificação (8.º lugar) e cuja média de classificação desceu para 4,5. Contudo a França, o Cazaquistão e a vitoriosa Arménia são os únicos países atualmente a concurso que nunca ficaram fora do top10.

Representado por Sona Azizova e "One Of Those Days", o Azerbaijão conquistou a sua melhor classificação de sempre: o 5.º lugar com 151 pontos, superando a marca de 2013, em que ficou em 7.º lugar. 

Também Portugal alcançou a sua melhor classificação de sempre, com Simão Oliveira e "O Rapaz" a terminarem em 11.º lugar com 101 pontos, superando o 14.º lugar de Mariana Venâncio e Pedro Madeira em 2017 e 2006, respetivamente. Além disso, esta foi a segunda vez em seis participações que Portugal ficou fora do bottom três da classificação.

A classificação de Portugal entrou para a história como a que maior discrepância teve entre o júri e o público, com 14 posições a separarem as duas classificações. "O Rapaz" ficou em 18.º lugar no júri internacional, com apenas 9 pontos, mas foi a 3.ª canção mais votada pelo público, recolhendo 92 pontos.

Ainda que tenha ficado no bottom da edição, a Alemanha conquistou o seu melhor resultado naquela que foi a sua segunda participação. O país, representado por Pauline e "Imagine Us", ficou em 17.º entre 19 países, fugindo ao último lugar alcançado na estreia.

Por outro lado, Espanha registou a sua pior classificação de sempre, com Levi Díaz a ficar-se pelo 15.º lugar, colocando um ponto final numa série de seis participações no top4 do concurso, com uma vitória (2004), dois segundos (2003 e 2005), dois terceiros (2019 e 2020) e um quarto lugar (2006). Com 77 pontos, esta foi também a pior pontuação de sempre do país.

Os Países Baixos ficaram em último lugar pela primeira vez, sendo a sua pior classificação de sempre: 19.º lugar com 43 pontos, ficando abaixo do 15.º posto de 2015. 

A Bulgária registou a pior posição de sempre ao terminar em 16.º lugar, superando o 15.º lugar de 2008, ano em que ficou em último lugar na edição. Também a Irlanda registou a sua pior classificação ao terminar em 18.º em Paris, três lugares abaixo do alcançado em 2017 e 2018.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPortugal/Imagem/Vídeo: JuniorEurovision.tv

Sem comentários