ESC2022: Espanha escolhe representantes para o Festival Eurovisão 2022 em janeiro

 

A emissora espanhola RTVE realizará duas semifinais e uma final em janeiro para eleger o representante de Espanha no Festival Eurovisão 2022.


O presidente da RTVE, José Manuel Pérez Tornero, o presidente da Comunidade Valenciana, Ximo Puig, e o presidente da Câmara de Benidorm, Toni Pérez, assinaram, esta tarde, um acordo para a realização da final nacional de Espanha para o Festival Eurovisão 2022 em Benidorn, Alicante. O evento, que terá lugar em janeiro, contará com duas semifinais e uma final, realizadas em dias consecutivos, integra a estratégia da RTVE para o concurso "que será de longo prazo (...) Queremos focar a promoção, levar boas canções com grandes artistas, um grande espectáculo e sons bastante atuais. Vamos criar um grupo de trabalho com especialistas internos e com consultores externos" frisou Martínez de Velasco, diretora de conteúdos da RTVE.

Apesar de não terem sido revelados grandes detalhes sobre o evento, cujo título não será Festival de Benidorm, foi confirmado que o concurso "será de inscrições públicas e contará com nomes consarados e novos artistas, bem como artistas submetidos pela indústria musical", frisando que o vencedor será escolhido "por um sistema misto de júri nacional e televoto, havendo também a possibilidade de um júri internacional". Por sua vez, a RTVE revelou que os nomes do apresentador do formato e do novo chefe de delegação do país no Festival Eurovisão serão conhecidos nas próximas semanas, bem como novos detalhes do formato de seleção.

Até ao momento, o Festival Eurovisão 2022, que será realizado em maio do próximo ano em Itália, conta com 18 países provisoriamente confirmados: Albânia, Alemanha, Austrália, Dinamarca, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Israel, Itália, Noruega, Países Baixos, São Marino, Sérvia, Suécia, Suíça e Ucrânia. Por outro lado, Andorra e Eslováquia continuam fora do concurso internacional em 2022.

Estreante em 1961, Espanha conta com 60 participações no Festival Eurovisão, tendo ganho as edições de 1968 e 1969. Escolhido internamente pela emissora espanhola, Blas Cantó representou Espanha no Festival Eurovisão 2021 depois do cancelamento do concurso de 2020. Em defesa de "Voy A Quedarme", o cantor ficou em 24.º (e penúltimo) lugar com apenas 6 pontos, todos oriundos da votação do júri da Bulgária (4) e do Reino Unido (2).

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: RTVE / Imagem e Vídeo: Eurovisiontv

7 comentários:

  1. Anónimo21:02

    Ou seja, basicamente o modelo do FDC lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:38

      Foi o que pensei. Os Espanhois estão a por o olhinho aqui e em Itália (por ser em dias seguidos e pelos nome de Festival de Benidorm)

      Eliminar
    2. Anónimo14:11

      O modelo do fdc é um excelente modelo de final nacional, a França têm um modelo idêntico.
      Infelizmente no caso português as músicas a concurso são muito aquém do que se procura, mas isso é outra conversa...

      Eliminar
    3. Anónimo15:58

      Não, é basicamente o modelo do San Remo mesmo.

      Eliminar
    4. Anónimo16:13

      E o modelo do FdC é idêntico ao modelo do ESC. Até parece que Portugal o inventou.

      Eliminar
    5. 14:11 discordo, penso que a maioria das canções tem boa qualidade, for a comparar as do fdc pre 2017 e pôs 2017, a diferença é abismal, podem não gostar as canções por não soar tanto a Eurovisão mas é o melhor modelo que aproxima aos músicos profissionais e que as canções não ficaram esquecidas, que passem as canções pelas rádios e são ouvidas nos Streamings e basta olhar o caso de sanremo, é o festival não é muito pensada para Eurovisão e nem por isso que Itália deixa de ter bons resultados na Eurovisão e também a maioria das canções de sanremo são passadas pelas rádios italianas.

      Eliminar
    6. Anónimo20:59

      @Marcos Teixeira, concordo que a qualidade musical está melhor do que estava antes de 2017, mas acho que há ainda muito a melhorar.
      Um dos problemas que sinto é que a rtp convida certos artistas com o objetivo de ter determinados géneros representados, porém esses artistas acabam por enviar algo que nada têm a ver o seu trabalho(ver Capicua ou Frankie Chavez em 2019) ou que acaba por ser um fraco exemplo das músicas que produzem(ver Dino d'Santiago ou Blasted Mechanism em 2020).
      Tenho esperança que com o sucesso que os Black Mamba tiveram internacionalmente e com o sucesso que o Neev teve em Portugal que os artistas façam-se representar por uma canção que funcione como cartão de visita, porque nem sempre é o caso.

      Eliminar