Itália: Damiano comenta declarações de Emma Marrone sobre sexismo no Festival Eurovisão 2014



Damiano David, vencedor do Festival Eurovisão 2021 enquanto membro dos Måneskin, comentou as alegações feitas por Emma Marrone, que apontam para uma dualidade de critérios e sexismo no Festival Eurovisão.

Emma Marrone, representante italiana no Festival Eurovisão 2014, prepara-se para lançar um novo album, entitulado 'Best of me'. Neste contexto, a artista concedeu uma entrevista ao jornal Il Corriere della Sera, onde comentou a sua participação na competição europeia. Na mesma, Emma Marrone fala do sexismo que experienciou no Festival Eurovisão 2014, evidente na dualidade de critérios entre si e Damiano David: "Em vez de ser apoiada por ter levado uma canção rock como 'La mia cittá', uma atitude que não é a de uma cantora italiana clássica que se foca na voz ou feminidade, eu fui massacrada: só falavam dos shorts dourados que apareceram debaixo do vestido e sobre os meus movimentos. Agora que o Damiano dos Måneskin aparece sem camisa e em saltos altos, isso é ok: é claro que aí há sexismo". Emma mencionou ainda a possibilidade de ter sido boicotada por alguns júris: "Eu não dei entrevistas com países homofóbicos e racistas e não recebi votos deles"

Damiano David já comentou as declarações de Emma Marrone, confirmando a existência de uma dualidade de critérios entre os dois géneros: "Como homem sou privilegiado, o assédio que eu sofro não é comparável ao que é experienciado por uma mulher, os comentários sobre a minha estética focam-se só na minha estética e não insinuam nada sobre o meu profissionalismo e a minha competência, enquanto que as mulheres são vítimas deste tipo de pensamento numa maneira sistémica. Mas eu acabei por me encontrar do nada com alguém que me puxou para si para uma selfie, e começou a lamber a minha cara...mas o que é que tu queres, perguntaste-me? O consenso existe e é obrigatório"

Emma Marrone foi selecionada internamente pela emissora RAI, como representante de Itália no Festival Eurovisão 2014. A artista interpretou "La mia cittá" na Grande Final da competição, não conseguindo mais do que um 21º lugar, o pior resultado italiano desde o regresso do país à competição, em 2011. 


 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: EscUnited.com / Imagem e Vídeo: Eurovision.tv

5 comentários:

  1. Anónimo22:06

    Não tem nada a ver com a notícia mas a Federação Portuguesa de Futebol lançou um vídeo de apoio à Seleção Nacional com a música da Maria Guinot - Silêncio e Tanta Gente. Está fenomenal.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo23:07

    O que a Enna no entanto se esqueceu aqui de referir, para além de tudo o que comentou e tem o seu fundo de verdade, é que a sua prestação e canção deixaram muito a desejar, e eu entendo que admitir isso para si mesma deve custar muito ao ego. Misturar prestação musical questionável com problemas de ordem social e ética é que não em parece bem, senão passa a ideia de que o sexismo só se verifica, quando o resultado é mau?

    ResponderEliminar
  3. Anónimo00:21

    Talvez a Emma teria tido mais votos se tivesse levado uma canção melhor. Tenho dito.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo14:53

    Ela não disse que o resultado foi devido ao sexismo. Os anónimos acima têm de aprender a ler.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo02:32

    O anónimo das 14:53 tem de aprender a ler. Devagar. Eu não disse que a Emma disse que o resultado foi devido ao sexismo. O artigo do escportugal diz:

    'Emma mencionou ainda a possibilidade de ter sido boicotada por alguns júris: "Eu não dei entrevistas com países homofóbicos e racistas e não recebi votos deles".'

    O meu comentário é em resposta a essa declaração, o que é óbvio para quem sabe ler!

    ResponderEliminar