ESC2021: Final do Festival Eurovisão 2021 acompanhada por 1 milhão e 200 mil espectadores em Portugal


 A Final do Festival Eurovisão 2021 foi acompanhada por 1 milhão e 200 mil espectadores em Portugal e liderou as audiências durante toda a transmissão.

Com o segundo melhor resultado de Portugal no Festival Eurovisão dos últimos 20 anos, a transmissão da RTP1 liderou destacamente durante toda a sua duração. Em média, o concurso foi acompanhado por 1 milhão e 198 mil espectadores, com uma audiência média de 12,7 e um share de 26,9%.

No final da transmissão, quando os The Black Mamba e "Love Is On My Side" alcançaram o 12.º lugar na Final, a RTP1 estava a ser vista por mais de 1 milhão e 400 mil espectadores, conseguindo 15,5/39,3%.

Durante a transmissão do Festival Eurovisão, entre as 20h00 e as 23h56, a TVI ficou em segundo lugar com um share de 15,6% e a SIC ficou-se pelos 14,6%. No total do dia, a RTP1 foi a líder das audiências em Portugal com 15,9%, seguida da SIC (14,9%) e da TVI (13,8%).

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Zapping/Imagem/Vídeo: EurovisionTV 

14 comentários:

  1. Ora aqui está uma boa notícia! Valeu a pena à RTP!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo13:08

    Até que enfim que a RTP percebeu que com um bom investimento é um programa que dá audiência e retorno para todos. 1,2 milhões triplica, a um Sábado, a audiência que o Joker faz à semana. E estava a competir com as audiências das novelas da SIC e da TVI. Muito frliz mesmo por estes resultados!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo13:11

    E a RTP liderou o dia! Coisa rara que nem com futebol acontece. Agora é perceberem que o hype é para ser mantido e que há que continuar a apostar!

    ResponderEliminar
  4. A RTP tem personalidades capazes de fazer bem e alcançar coisas boas, falta-lhes é às vezes um pouco de coragem para arriscar com receio dos gastos por causa do orçamento que é curto. Mas se pouparem em programas fúteis e sem interesse poderão ter mais umas reservas.

    ResponderEliminar
  5. Acredito que a partir deste ano, a postura da RTP vai mudar. Já percebeu que promover o nosso representante no canal do Eurovision e investir algum tempo no staging é importante. E isso viu-se este ano. A RTP nem precisa de gastar muito dinheiro com staging, basta que aproveite os recursos disponíveis no palco da Eurovisão, que são de graça, para fazer uma coisa bonita, com classe e bom gosto,tal como fez este ano. Esperemos que tenha aprendido finalmente a lição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:56

      Agradeçam ao guitarrista da banda. Se não fosse ele tínhamos um staging igual ao do FdC. Essa é que é a tristeza. Vamos ver como corre para o ano.

      Eliminar
  6. Anónimo14:52

    Será que a RTP percebeu que a Eurovisão, bem pensada e planeada, como este ano, é a mina de ouro anual que ainda lhe resta?

    ResponderEliminar
  7. Anónimo15:13

    Fico mesmo contente!

    ResponderEliminar
  8. Mas uma boa canção também ajuda! Assim como representantes que aceitem a componente cénica e que tenham bom gosto! Coisa que os Black Mamba nitidamente têm! Na final do fdc a minha favorita era a canção da Carolina Deslandes mas única e exclusivamente pela melodia e voz, porque quanto à parte visual... foi simplesmente pavorosa! Como sempre, aliás. Imagino que se tivesse sido ela a nossa representante, o mau gosto visual repetir-se-ia. Por isso, fomos muito bem representados com qualidade, bom gosto e elegância! Pena a ordem de atuação ter sido a que foi. De uma vez por todas, deveriam terminar duas aberrações: Big 5 (que de big nada têm, exceção este ano para a França e a Itália, e esta última apenas porque ganhou) e a ordem de atuação determinada sem sorteio! Num concurso destes, deveria haver muito maior equidade entre todos. Sendo uma competição em que, com uma canção, as estações de televisão podem concorrer, desde que integrem a EBU/UER, então todas deveriam estar em igualdade. Assim como o processo de votação tem muito pouco de transparente. Sempre houve troca de galhardetes entre júris nacionais e com o televoto a coisa repete-se! Para além de haver sempre problemas com as questões técnicas em vários (muitos?) países!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo20:51

    Alguém tem ideia se estas audiências são suficientes para cobrir as despesas associadas ao investimento? Afinal, entre os grafismos da Gravity, os ordenados da comitiva, os custos com viagem e alojamento de 20 pessoas, etc. deve ser uma despesa considerável. Claro que estou a adorar tudo este ano mas tenho curiosidade de saber se este investimento da RTP fica saldado com estas audiências.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:33

      Mesmo que não seja um retorno imediato, pode ser a longo prazo. Se as pessoas ao verem ficarem contentes, sentirem orgulho e que foram bem representadas, o interesse aumenta, ao aumentar o interesse, aumentam as audiências. Passando o Festival e a Eurovisão a ser encarados como um produto televisivo de importância em termos de interesse e audiência chama imediatamente o interesse da publicidade, dos grandes "monstros" em termos publicitários, que pagam e bem. Quanto mais interesse gerar nas várias plataformas maior adesão publicitária.
      O que aconteceu este ano, seguindo o impulso dado pela grande vitória do Salvador e pela organização do evento cá, se não se deixar murchar, vai confirmando este produto como um produto no qual vale a pena apostar, e é assim que vai interessando mais também a nível de encaixe financeiro.

      Uma coisa que acho que deu para perceber claramente este ano, é que nós portugueses falamos, falamos, mas adoramos mas é o nosso país e por isso queremos o melhor, quando sentimos que fomos bem representados, que se preocuparam mesmo em apresentar o melhor, aderimos e somos os primeiros a sair em defesa dos nossos, como foi o caso deste ano.

      Espero que a aposta na qualidade a todos os níveis continue.

      Eliminar
    2. Anónimo20:13

      Era melhor a comitiva toda ter levado tendas e terem ido acampar. Depois iam ao continente lá do sítio e faziam uns churrascos, e umas sandes para poupar.

      Eliminar
  10. Anónimo01:40

    Ouvi dizer que foi o guitarrista que teve a ideia do staging...se for verdade para o ano voltamos à estaca zero. Nao podemos depender sorte.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo20:07

    Não sei se a RTP lê estes comentários.
    Mas já era tempo das pessoas dos paises das canções puderem votar nas respectivos canções e não só quem vive nos outros paises
    Davam o mesmo número de votos a cada pais. Não interessando se tinham 10 milhões de habitantes ou 50 milhões.
    Os habitantes votavam na própria canção se quisessem.
    Tudo bem, cada numero de telemóvel não podia votar mais de X vezes
    Eu, e muitos portugueses franceses, italianos, russos, etc. que vivemos nos países das canções não temos direito a votar porquê?

    ResponderEliminar