ESC2021: Duncan Laurence testa positivo à Covid-19

 

Duncan Laurence, vencedor do Festival Eurovisão 2019, testa positivo à Covid-19, depois de ter apresentado sintomas ligeiros de infeção.


Depois de atuar na primeira semifinal do Festival Eurovisão 2021, o cantor Duncan Laurence, vencedor da edição de 2019, testou positivo à Covid-19. O anúncio foi feito pelas emissoras anfitriãs do concurso deste ano, revelando que o artista apresentou ligeiros sintomas de infeção esta manhã, tendo registado uma testagem positiva à Covid-19 num teste de antigénio. Contudo, na passada segunda-feira, o artista deu negativo à Covid-19 num teste realizado no Eurovision Teste Pavilion, o que permitiu a sua presença na semifinal 1.

"É claro que estamos desapontandos, em primeiro lugar pelo Duncan, que merecia uma atuação ao vivo no nosso palco da Eurovisão depois da vitória de 2019 e do sucesso mundial de "Arcade"" frisou Sietse Bakker, produtor executivo do evento, "Não poderíamos estar mais orgulhosos da sua abertura na primeira semifinal. Esperamos que Duncan recupere rapidamente".

Seguindo as regras das autoridades sanitárias dos Países Baixos, Duncan terá de fazer um período mínimo de isolamento de 7 dias, algo que proibe a sua participação na Grande Final do concurso, apesar da organização ter garantido que o artista iria aparecer mas "de forma diferente". "O Duncan está muito desapontado, ele esperava por isto há 2 anos. Mas estamos felizes que ele possa ser visto na Final de sábado" revelou a manager do artista em declarações ao site oficial do certame.

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: EurovisionTV / Imagem e Vídeo: Eurovision.tv

16 comentários:

  1. Anónimo11:34

    Eurovisão virou foco de Covid. Pudera com o que se viu na semi-final 1.

    ResponderEliminar
  2. Ora aí está! Mais um positivo! Tanta segurança tanta segurança e afinal, sucedem-se os casos. Certamente também terá sido testado na 3.ª feira e nos dias anteriores. Estaria negativo e agora... Imagine-se o que sucederá aos milhares de espetadores sem máscara, sem qualquer distanciamento! É uma enorme irresponsabilidade dos holandeses e da UER! Podiam ter público mas muito menos afastados e SEMPRE com MÁSCARA! Imagine-se se fosse em Portugal o que diriam os holandeses e outros povos do norte, sempre tão lestos e ligeiros a criticar os povos do Sul! Que só gostam de vinho e... Não escrevo aqui o resto por respeito, mas os interessados podem procurar na net o que disse o sr. Djesselbloom (não sei se é bem assim que se escreve este nome mas também não me apeteceu ir confirmar), um senhor holandês por sinal, que nos tempos da Troika era alto responsável na UE (foi o antecessor do Mário Centeno no ECOFIN). Bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz mas não o que ele faz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:42

      Tens toda a razao. Também fiquei chocado com o publico...

      Eliminar
  3. Ai para. Isto é um festival de música. Vamos falar de música. Esqueçam o covid

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro! Porque o covid está em modo pausa. Sinceramente! Pode celebrar se e festejar-se mas com responsabilidade! Que, por aquilo que se vê, é coisa que não existe por aqueles lados neste momento. Os testes não são infalíveis! Nenhuns! E se forem os testes rápidos, ainda pior! Haja responsabilidade!

      Eliminar
  4. Anónimo12:30

    O que se viu na semi-final 1 foi de uma tremenda irresponsabilidade. Imensa gente na arena, todos sem máscaras e sem qualquer distanciamento.
    Os casos de covid estão a aumentar imenso nos paises baixos que já se encontra em alerta vermelho e mesmo assim parece que a Eurovisão é um mundo a parte.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo13:35

    Que péssima notícia para ele! A final seria a última oportunidade para aproveitar o facto de ser o último vencedor da Eurovisão, e atuar como tal.
    Além disso também não vai poder entregar o troféu ao novo vencedor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:54

      Vai provavelmente actuar virtualmente. A entrega do prémio, sendo simbólica, não será possível. Grande galo. No meio disto tudo fico sempre preocupadk com nossa delegação, pq pelos vistos, pode acontecer com qualquer um...

      Eliminar
    2. Anónimo13:55

      Tb sinceramente n percebo como este pessoal, indo participar num evento internacional, com tanta importância e investimentos, não tem prioridade de vacinação nos respectivos países!

      Eliminar
    3. Relativamente ao Duncan Laurence não temos essa informação, mas a delegação da Islândia foi vacinada algumas semanas antes de irem para Roterdão

      Eliminar
    4. E mesmo assim, testaram positivo! Olha que bem! É para que se veja que, mesmo vacinados, temos, que continuar a respeitar regras. O que, muita gente, continua a não fazer! Negando 5udo o que sap 4videbvias científicas. Esses sim, vivem na idade das trevas!

      Eliminar
  6. Anónimo14:18

    A vacina não impede que as pessoa fiquem infetadas... apenas diminui as formas graves da doença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:10

      Isso mesmo 👍👍 o que se vê por ai de gente(ate mesmo nova) a achar que depois de vacinada nao precisa de mascara e assustador.e depois temos paises como os eua a nao darem um bom exemplo (alguma vez deram?).Pf, mesmo depois da vacina continuem com distância e cuidados pf

      Eliminar
  7. Temos uma praga que parece veio para ficar enquanto não houver bom senso da parte de quem governa porque afinal deve partir daí a última palavra e dizem sim quando deviam dizer não.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo14:45

    O Duncan na terça estava na green room a falar com uma das apresentadoras, ela marcará presença na segunda semifinal?

    ResponderEliminar
  9. Anónimo19:07

    Aquilo na holanda é uma rebaldaria, mas tendo em conta que os holandeses andaram a partir vidros de comércio local e a queimar carros contra o confinamento, não admira que isto ande assim

    ResponderEliminar