[CONFIRMADO] ESC2021: Austrália compete no Festival Eurovisão 2021 com a atuação backup

A emissora australiana SBS confirmou que Montaigne não rumará a Roterdão para o Festival Eurovisão 2021, recorrendo à atuação de reserva para a competição.

Dias depois de Sietse Bakker, produtor executivo do evento, avançar que a presença da comitiva da Austrália em Roterdão era "bastante incerta", a emissora SBS revelou que não rumará aos Países Baixos para o Festival Eurovisão 2021. "Após uma avaliação abrangente, a SBS decidiu não enviar a delegação australiana ao Festival Eurovisão. Chegámos a esta difícil decisão depois de considerar todos os desafios da pandemia em andamento, incluindo os diversos factores envolvidos nas viagens de ida e de volta" explicou Josh Martin, chefe de delegação do país, frisando que o Grupo de Referência da EBU/UER aprovou a decisão australiana de utilizar a atuação backup no certame.

De realçar que, atualmente, as pessoas residentes fora da União Europeia não podem viajar para os Países Baixos, mas o Ministério da Educação, Cultura e Ciência neerlandês prepara-se para dar isenções aos participantes no Festival Eurovisão 2021. Contudo, com as fronteiras internacionais da Austrália fechadas desde março do ano passado, a delegação australiana teria de de cumprir um isolamento de duas semanas depois da competição internacional.

    
Com cinco participações no curriculum, a Austrália é o único país, juntamente com a Ucrânia que nunca falhou o apuramento para a Final do Festival Eurovisão, tendo como melhor resultado o 2.º lugar alcançado por Dami Im e "Sound of Silence". Em Telavive, Kate Miller-Heidke ficou em 9.º lugar na Grande Final (depois da vitória na semifinal) com "Zero Gravity" a arrecadar 285 pontos, sendo 11 oriundos de Portugal: 7 do júri e 4 do televoto. Em 2020, Montaigne representaria a Austrália com "Don't Break Me".


  
  
Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Wiwibloggs / Imagem e Vídeo: Eurovision.tv

3 comentários:

  1. Anónimo16:04

    Um país de pprimeiro mundo não consegue ir a Roterdão em segurança? Enfim...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo21:02

    Será que esta decisão foi pelo facto de os voos entre a Austrália e os Países Baixo terem de fazer obrigatoriamente escalas?

    ResponderEliminar
  3. Se esta ideia pega, la se vai a montagem do mega palco para o 'ar'

    ResponderEliminar