Ucrânia: Christer Björkman recorda o "caos da organização" do Festival Eurovisão 2017


Christer Björkman revelou que a organização da Eurovisão 2017, ganha por Portugal, foi um caos e todos os dias temia que o concurso não fosse transmitido.


O produtor do Melodifestivalen, chefe de delegação da Suécia e seis vezes produtor do Festival da Eurovisão, Christer Björkman, revelou o “caos” nos dias que antecederam Eurovisão 2017 em Kiev, Ucrânia. Foi numa entrevista ao podcast The Euro Trip, que Björkman explicou exatamente o que aconteceu.

O governo expulsou o antigo produtor e trouxe o novo produtor executivo, aquele que tinha feito a edição de 2005. Ele [antigo produtor] ligou-me em dezembro quando eu estava na final nacional da Arménia como parte do júri... e ofereceu-me o lugar de produtor executivo”, afirmou Christer Björkman.

O produtor sueco explicou que não podia aceitar esta posição tão próximo do concurso, mas que assumiria o papel de produtor do concurso. No entanto, ele próprio ficou a produtor depois da equipa que trabalhava no programa ter sido despedida poucos meses antes da transmissão.

Foi um desastre e foi o caos, mas no final foi interessante... afinal ainda fizemos televisão. E no final, nem foi tão mau”, afirmou Björkman. Quando questionado sobre o quão perto o programa estave de não chegar às nossas televisões, Christer não poupou nas palavras: “todos os dias, todos os dias, mesmo durante a primeira transmissão. Colocamos as últimas fitas de áudio no sistema às 19h45, estava tudo atrasado. Nem tivemos a oportunidade de verificar novamente para ter certeza de que estava tudo bem”.

A edição de 2017 da Eurovisão teve lugar no Centro de Exibições de Kiev, na Ucrânia. Portugal venceu pela primeira vez o certame com Salvador Sobral e a canção "Amar Pelos Dois", com o recorde de pontos de 758.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Eurovoix / Imagem: SVT / Vídeo: Eurovision.tv

2 comentários:

  1. Anónimo21:31

    Pois. O espetáculo para mim também foi dos piores. O palco era super pequeno e muito fechado e aqueles LEDS eram péssimos. Uns bons exemplos eram os da Suiça, Roménia e Bielorrússia, parecia que so punham para la coisas e que vinham dos desenhos animados. Para mim foi demasiado!

    ResponderEliminar
  2. Cheira é mas é a azia

    ResponderEliminar