Tozé Brito: "Uma canção em inglês não se diferencia, cai no caldeirão das canções"


O músico e produtor Tozé Brito reagiu à vitória dos The Black Mamba no Festival da Canção 2021: "É uma escolha perfeitamente legítima (...) Uma canção em inglês não se diferencia, cai no caldeirão das canções".


O músico e produtor Tozé Brito, administrador da Sociedade Portuguesa de Autores, reagiu, em declarações ao site N-TV, do Jornal de Notícias, ao triunfo dos The Black Mamba no Festival da Canção 2021 com "Love Is On My Side", a primeira canção portuguesa totalmente interpretada em inglês no Festival Eurovisão. "É uma escolha perfeitamente legítima" frisou, garantido que "as pessoas veem o Festival da Canção como a Seleção Nacional, mas não é. É apurada uma canção da RTP, que escolhe o seu representante".

Tozé Brito, que teve o cargo de vice-presidente do júri do Festival da Canção em 2018, realçou também que nunca defendeu uma canção portuguesa no concurso internacional: "Amália, Madredeus, Mariza, Ana Moura ou Salvador Sobral têm ou tiveram sucesso devido ao exotismo da nossa língua. Uma canção em inglês não se diferencia, cai no caldeirão das canções" finalizou.


Com inúmeras participações no Festival da Canção enquanto intérprete, autor e compositor entre 1972 e 2012, Tozé Brito conta com três triunfos no curriculum: a primeira vitória aconteceu em 1978, enquanto membro dos Gemini, com "Dai-Li-Dou", tema que ficou em 17.º lugar no Festival Eurovisão; em 1982 foi o compositor de "Bem Bom", tema defendido pelas Doce, enquanto, em 1985, venceu como compositor de "Penso Em Ti (Eu Sei)", interpretado por Adelaide Ferreira.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Blitz / Imagem: Google / Vídeo: Youtube

32 comentários:

  1. Anónimo18:11

    Portugal tem que ser sempre diferente dos outros países

    ResponderEliminar
  2. Anónimo18:12

    Sim, porque todas as outras em português com excepção do Sobral destacaram-se imenso. Desde 2004 em 13 tentativas em português qualificamo-nos 4 vezes. Isto do ser em português ou inglês nem deveria ser assunto. Deveria ganhar a melhor, ponto. Musica feita em Portugal, independentemente do idioma cantado é musica portuguesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:31

      Não passarmos nao tem a haver com ser em Portugues! Acho que ele toca o ponto, nao sei se intencionalmente: "as pessoas vem como uma seleçao nacional, mas não é. É apurada uma canção da RTP, que escolhe o seu representante".

      Eliminar
  3. RTP é responsável pela escolha mas a canção sobe ao palco da eurovisão usando/representando o nome de PORTUGAL. Não entendo o comentário d Toze Brito
    Se calhar acha que deviamos ir novamente 3minutos a dizer daili dou ou 3minutos a bater palmas e a gritar "hey bem bom"

    ResponderEliminar
  4. Senhor Tozé Brito, está bem que é uma música em inglês, até porque eu prefiro enviar uma assim para Eurovisão. No entanto, a música do NEEV é muito mais contemporânea do que a dos TBM que mais parece do tempo da avozinha. Os TBM tocam bem, têm uma excelente voz, têm um sotaque inglês perfeito no entanto era preferível o NEEV ganhar. E o TBM não foi escolha do público. Porquê? Porque os pontos foram roubados ao NEEV. Posso parecer má ao dizer isto mas espero que o senhor me entenda, ok?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:35

      Desculpe, mas a canção do NEEV é tão anos 90 do século passado!

      Eliminar
    2. Anónimo01:31

      Que absurdo, juízo !!!

      Eliminar
    3. Anónimo15:19

      Pontos roubados ao NEEV? Porquê? Parecia quase o Trump a contestar os resultados das eleições... :-D Por acaso não apostaria em nenhuma das canções cantadas em inglês, por gosto pessoal e entendendo um pouco o Tozé Brito. Penso que a canção portuguesa vai mesmo ficar esquecida, desta vez ainda mais do que o costume, até pelos próprios portugueses. Mesmo com fracos resultados, muita gente sabe trautear algumas canções que representaram Portugal, este ano ninguém, ou quase, se recordará... No entanto, tendo vencido o televoto e bem posicionado pelo júri, são os legítimos representantes.

      Eliminar
  5. Não é a língua que nos destaca das outras canções é a qualidade da música,do intérprete e da atuação. Se fosse pela língua, já tínhamos não sei quantos top 10 e top 5, e no entanto o que vamos tendo é bottom 10 e bottom 5. Então nos últimos anos temos com fartura.

    ResponderEliminar
  6. Não foi ele que esteve no juri que selecionou as Non Stop em 2006?!?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ruben,ele e o Filipe La Féria quando era preferível a cantora que interpretou a canção "Portugal". Aliás, o que é que ele o Tozé Brito entendem por Portugal? Uma nação em que nós, pertencentes a ela, gostamos das músicas que nos dão prazer ou ou meia-dúzia de gatos pingados que selecionam músicas para fazer-nos envergonhar?

      Eliminar
  7. Anónimo19:14

    Opa Tozé... percebes tanto disto como de pistácios. Será só por acaso que não fazes uma música de jeito a séculos?

    Pois, o povo não compra mais cantigas com rimas baratas.

    Desculpa, o mundo mudou e tu não te soubeste adaptar.

    Aceita e retira-te ou pelo menos retira a tua opinião arcaica, caso contrário nem as homenagens baratas da RTP te vão sobrar.

    Farta destes dinossauros.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo19:14

    Opa Tozé... percebes tanto disto como de pistácios. Será só por acaso que não fazes uma música de jeito a séculos?

    Pois, o povo não compra mais cantigas com rimas baratas.

    Desculpa, o mundo mudou e tu não te soubeste adaptar.

    Aceita e retira-te ou pelo menos retira a tua opinião arcaica, caso contrário nem as homenagens baratas da RTP te vão sobrar.

    Farta destes dinossauros.

    ResponderEliminar
  9. Senhora Odete a canção do Neev era bonita e ele é um cantor promissor... Contudo se ouvir com ouvidos de ouvir a performance do Neev foi notoriamente abaixo dos The Black Mamba e isso fez toda a diferença. Agora imagine no palco da eurovisão, com o Neev Portugal saíria mais diminuído, digo eu.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo19:23

    Não sei o que 'da li dou' significa á musica portuguesa ou á lingua portuguesa...penso que nem são palavras em qualquer lingua...não foi este home que escreveu "Amanhã começa o meu futuro" que ficou em ultimo lugar no Festival no voto do publico? quando a Amalia e a Mariza querem dar as opiniões delas até as ouvias, mas este senhor? Não...escreve algo de jeito para este século e depois podemos falar

    ResponderEliminar
  11. Anónimo19:39

    Mas alguém quer saber da opinião deste senhor? Tanta coisa com o ingles e temos todos os filmes legendados, vemos jovens a misturar ingles com portugues no meio das frases, usamos estrangeirismos diariamente, ouvimos mais música inglesa...mas ai uii de quem ouse cantar em inglês na eurovisão???

    ResponderEliminar
  12. Anónimo19:45

    Ninguém quer saber. Só fico chocado que Portugal esteja em ultimo naquela app dos eurofãs, sei que é irrelevante e podem não gostar, mas ler estrangeiros a dizer que Love on My Side é um ''bodrio'' e a meterem aquilo no último lugar? Uns musicos deste calibre? Uma voz daquelas? Mas está tudo bem? Se fosse uma Itália ficava no top 10. A malta com o confinamento perdeu a noção ou então como Portugal costuma ficar sempre mal classificado, habituaram-se. Votam por países e não por canções. Devo dizer q o público portugues tem em parte culpa, andaram semanas inteiras com fanatismo, porque o Neev isto, os Karetus aquilo, quer queiram quer não, isto acaba por influenciar as opiniões de fora. Portanto sim, se estamos em ultimos, a culpar também é vossa. Confio no juri e no público geral. Se não passarmos saímos de cabeça erguida, apresentámos autenticidade e qualidade, a Eurovisão não merece uma banda deste nivel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:28

      O resultado só se decidira em palco e não fora dele, um app que quem vota são normalmente pessoas que só gostam de um típico género de musica, além que podem fazer mil tops que quiserem mas no fim alguns são vão votar numa canção, a eurovisão já nós mostrou que pode ser muito imprevisível. E CLARO sim há júris que conta com 50% para a votação final.

      Eliminar
    2. Anónimo00:39

      Não tem nada que ver com países, tem mesmo que ver com péssimo gosto...

      Eliminar
  13. Anónimo20:21

    Das últimas 20 vencedoras, 2 não eram em inglês. Como assim o inglês não se destaca? Basta ser boa! Duh

    ResponderEliminar
  14. Ricardo Lopes21:37

    Discordo totalmente com o TM. Explico:

    1º Se não há uma regra no Festival a impedir de cantar noutra língua, quem participa escolhe o que quiser. (E se cantarem em Mirandês ou Brasileiro, já pode? É que também é português!)

    2º O inglês é uma língua universal, conhecida e entendível pela maioria das pessoas, o que traz vantagens para que o público dos outros países mais facilmente vote na canção nacional.
    Além disso, fica mais facilmente no ouvido do que a maioria das outras línguas. Não é por acaso que a Suécia, que tem ganho muitas edições recentemente, raramente apresenta canções na sua língua.
    Desde 2000, apenas 2 países ganharam cantando na sua língua nativa, Sérvia e Portugal.

    3º O Festival da Canção não deve ser uma montra ou amostra da canção nacional. O objetivo do FC é levar uma música para competir e tentar ganhar a Eurovisão. Logo, deve ser a melhor canção possível, a melhor performance possível com a mais alta qualidade possível, independentemente da língua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:33

      Ricardo Lopes *e Ucrânia em 2016

      Eliminar
  15. Anónimo22:21

    sIM, O dali-dou destacou-se e bem... ora que esta!

    ResponderEliminar
  16. esse pessoal das app e das odds e dos grupos de fãs têm muito menos peso no televoto do que muita gente imagina.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo02:36

    A língua não me interessa, ainda que eu goste cada vez mais da ideia de levar português. Mas interessa-me, sobretudo, a construção das canções e, regra geral, os autores portugueses são muito contidos, monocórdicos. Não carregam nas tintas. Sobre este ano, fico contente pela ida do Tatanka, com voz incrível. Mas a segunda parte da canção é preguiçosa, e daí a ideia de que se torna repetitiva. Ele disfarça com o movimento vocal, embora não chegue. Faltou-lhe golpe de asa a acabar a canção. Até podia ter sido o solo de guitarra mais longo e intenso. Isso é a única coisa que não me agrada, mas tem o meu apoio. E até pode ficar em último da semi-final que mantenho o apoio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:39

      Concordo inteiramente com o que diz, é essa a minha opinião. Ele devia ter trabalhado um pouco mais a composição, devia haver ali uma ponte, um alívio qualquer. A partir do meio torna-se monótona e vai perder pontos por causa disso. Uma pena, porque tem potencialidade e é muito instantânea tb devido à peculiaridade da voz do interprete.

      Eliminar
    2. Anónimo00:44

      Confesso que gosto da música e nunca a acho monótona. Mas cada pessoa tem os seus gostos, claro.

      Eliminar
  18. "Dalidali dalidali dou.."
    Isto sim era um refrão.. se calha a ser em português a Europa teria ficado abismada de tanta exotismo e ganhava! So que não

    ResponderEliminar
  19. Anónimo10:52

    Agradeço muito todo o trabalho no passado que o Tozé Brito deu ao FdC, mas este seu comentário cheira realmente muito a naftalina. O FdC reinventou-se e é hoje um festival diferente e moderno, mas mesmo assim ainda longe da realidade do ESC, que já se reinventou à décadas atrás. Manter essa ideologia do passado, limita a criatividade. Temos excelentes bandas e músicos que cantam em inglês e não são menos portugueses por isso. A cena musical em Portugal não se limita a fado e folclore e muito menos à língua portuguesa.

    TACV

    ResponderEliminar
  20. Até concordo com o Tó Zé Brito quando ele diz que é mais uma para o caldeirão, porque realmente quase todos os países resolveram adoptar o inglês como a sua língua oficial na Eurovisão e isso não tem piada. Creio mesmo que algumas cancões ficam desvirtuadas com essa mudança. Se fosse só meia dúzia em vez de caldeirão ele teria dito naturalmente no tachinho.

    ResponderEliminar
  21. Anónimo06:47

    E se ocupassemos tempo a divulgar a música nas redes sociais em massa? Em vez de ocupar a reagir a comentarios de alguém que de fato tem dezenas de presencas no festival e que a taxa de sucesso é demonstrravel como nula? Se continuamos a fazer as coisas da mesma maneira os resultados serão os mesmos. Obrigado pelo contributo TM e agora é tempo de fazer diferente. Queremos é ganhar! E fazer mais eurovisions em Portugal.
    ‘ já fizeste a divulgacao da musica hoje?

    ResponderEliminar
  22. Ah vocês querem é festa! Então vamos a isso, que os vírus não metem medo.

    ResponderEliminar