FC2021: Final do 'Festival da Canção 2021' acompanhada por 652 mil telespectadores


A Final do Festival da Canção 2021 foi acompanhada por 652 mil espectadores, registando uma marca de 6,9 de audiência média e 14,5% de share, sendo o 14.º programa mais visto do dia em Portugal.


A RTP transmitiu, ontem, a Grande Final do Festival da Canção 2021, gala que culminou com a vitória de The Black Mamba e "Love Is On My Side", que serão os representantes de Portugal no Festival Eurovisão 2021. A transmissão apresentada por Filomena Cautela e Vasco Palmeirim foi acompanhada por uma média de 652 mil espectadores, marcando 6,9 de audiência média e 14,5% de share, sendo o 14.º programa mais visto do dia.

Tal como aconteceu nas semifinais, o Festival da Canção foi perdendo audiência ao longo da transmissão, tendo registado 789 900 espectadores (8,4/15,0) na primeira parte da transmissão. A segunda parte desceu para os 565 700 espectadores (6,0/13,4), enquanto a última parte, onde foi conhecido o vencedor da noite, foi acompanhada por 450 mil espectadores (4,8/14,8), tendo alcançado, nesta última parte, o segundo lugar nas audiências do horário. Contudo, o pico das audiências aconteceu às 21h37 (hora de Lisboa), durante a atuação de Carolina Deslandes com "Por Um Triz", com a sintonização de 982 mil espectadores (10,4/18,4).

Comparativamente às galas anteriores, a Final do Festival da Canção 2021 foi menos vista que a primeira semifinal do concurso, que registou 666 mil espectadores, mas recuperou face à segunda eliminatória, acompanhada por 534 mil pessoas

Por sua vez, comparando com as anteriores finais, o Festival da Canção perdeu cerca de 150 mil espectadores quando comparado com a edição sediada em Elvas, que foi vista por 800 mil espectadores, tendo perdido também para as finais de 2017 e 2018, mas superando a marca do concurso sediado em Portimão, que foi visto por 610 mil pessoas.


Este e outros artigos também no nosso 
FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Zapping/ESCPORTUGAL/ Imagem: PedroPina|RTP / Vídeo: RTP

16 comentários:

  1. E as classificações das semifinais e de ontem à noite, discriminadas por jurado, quando saem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vão sair. A RTP não gosta de transparência. Já o ano passado não saíram.

      Eliminar
  2. Anónimo15:51

    Uma pena. Seguramente a melhor proposta dos três canais generalistas. Alguma coisa tem de ser feita para reconciliar o público com a RTP!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo17:20

      Talvez investir em Produção...

      Eliminar
    2. Anónimo11:30

      A coisa que tem de ser feita é termos uma colaboração RTP+TVI+SIC tal como acontece na ucrania. Ter canais privados envolvidos no FDC. Falta boa produção, falta dinheiro e investimento, mas principalmente, falta variedade e competitividade nas canções.

      Eliminar
  3. Anónimo16:52

    Enquanto não houver maior variedade no estilo das canções, a tendência, infelizmente, será essa. Enquanto os convites refletirem o gosto musical da pessoa que os faz, em nome da RTP, a situação, em termos de audiências, não melhorará. Claro que se pode ir pelo caminho mais fácil e dizer que o público é que não tem bom gosto (e depois que é o público e são os jurados europeus que não o têm) e, pensando-se assim, tudo continuará como está.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:33

      Aqueles interval acts foram caóticos. O povo portugues está farto de tristeza, de coisas alternativas e pretensiosismos. Queremos festa, queremos alegria, dança. Muito dificilmente voltamos a ganhar porque a RTP não soube aproveitar o ESC 2018. Os estrangeiros não gostam destes interval acts, são bons para um outjazz, não para uma NF do concurso mais popular da europa. Não podemos continuar estagnados nos anos 60, sei que sai mais barato, mas se querem mais audiencias, têm de inovar. Sim, o povo portugues também gosta de pimba. Se, também ouvimos pop.

      Eliminar
  4. Anónimo16:59

    Num ano em que as pessoas estavam confinadas ter menos audiência que no ano anterior é de repensar

    ResponderEliminar
  5. Anónimo17:21

    Não admira, tendo em conta que a gala demorou quase 4 horas. Mais de duas horas a encher chouriços! Eu só vi as atuações e depois desliguei.

    ResponderEliminar
  6. Já o disse o ano passado e volto a dizer: considero manifestamente exagerado um espectáculo com mais de 3h30 de duração para um lote de 10 canções finalistas... Não faz sentido algum! Gostei do número de abertura (humor inteligente), da dinâmica entre apresentadores, das canções finalistas (na generalidade) e da homenagem ao Carlos do Carmo. Algumas intervenções dos apresentadores seriam francamente desnecessárias, abreviando, assim, o tempo do espectáculo. É ridículo que o vencedor seja conhecido para lá das 00h30...

    ResponderEliminar
  7. independentemente da qualidade das canções (ninguém pode acusar o festival da canção de não ter canções com qualidade) a verdade é que a esmagadoria maioria das canções são muito semelhantes, intimistas, baladas...Não há uma grande diversidade no estilo das canções, e nesse sentido não é um festival. E depois demorou imenso tempo..00h30 é mt tarde para anunciar o vencedor.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo13:07

    Péssimo, entre a homenagem ao carlos do carmo e aquela atuação dos Clã, não sei o que foi pior. Temos de ter homenagens todos os anos? Para o ano sai uma homenagem à Anabela? Epá, façam uma homenagem ao Quim barreiros ou à Ana Malhoa, que já tem 30 anos de carreira e nem sequer tem direito a ser jurada. Ves aquelas atuações para encher chouriços e sentes que voltaste à tua escola de artes, onde tinhas sempre performances deste género nas aulas de interpretação, muito alternativas e ''diferentes''. Não há pachorra. Até os Globos de Ouro são melhores. Eu olho para as Grandes Marchas de Lisboa, a Revista portuguesa, musicais portugueses e sinto que isso é um ponto forte da nossa cultura que nunca foi explorado, nem no FDC nem no ESC. É só tristeza, mar, melancolia...até quando?
    Desde que o Andrej Babic saiu não voltámos a ter música animada de jeito.

    ResponderEliminar
  9. Um só programa durar tanto tempo denota que na RTP há falta de produção. O que não deve faltar por aí é gente talentosa para produzir bons programas e fazer desaparecer outros que são uma desgraça. Mas como é habitual manda quem tem poder para tal e esse poder não rivaliza com a competência que lhe é devida.

    ResponderEliminar
  10. Falem bem ou falem mal... o que interessa é falar! Dizer qualquer coisa para dar prova de vida! Tanto disparate, um verdadeiro chorrilho! Tudo é motivo de crítica! Atiram a tudo, a todos e em todas as direções! À duração do espetáculo, ao lote de canções, à canção vencedora, ao lote de convidados e homenageados... Enfim não escapa nada! Por favor! Que gentinha que só sabe dizer mal! É tão fácil dizer mal e tão difícil ser construtivo ou produtivo. É ótimo estar aqui neste cantinho a deitar abaixo tudo e todos! Perdão... todos não! Há uma enorme exceção que é o... Neev, qual Deus no Olimpo! Destilam ódio aqui e, não contentes, vão destilar para os blogs internacionais. Por lá andam os portugueses a dizer mal dos portugueses ou seja, deles próprios! O que me chateia é que assim me estejam a meter no mesmo rol. Por favor!!! Tenham orgulho em ser portugueses, não se desvalorizem enquanto povo, enquanto nação! Não digam mal só por dizer, só para se evidenciarem! Tão cosmopolitas e entendidos no mundo do showbiz e não entendem que não é bonito nem serve de nada andarem por aí a autoflagelar-se! Aprendam com os estrangeiros que dizem mal de terceiros mas, quase nunca, deles próprios! Veja-se o caso dos espanhóis, franceses ou britânicos! Sempre orgulhosos e cheios de autoestima! E nós? Exatamente o contrário! A galinha da vizinha é sempre melhor que a minha! Triste fado!

    ResponderEliminar
  11. Mas que bom, gostei muito de ler. Não sei quem escreveu esta prosa tão zangada mas é tudo verdade o que li nela. A meu favor tenho a dizer que no youtube nunca falei mal dos portugueses mesmo quando as canções que ganharam não eram do meu agrado e até preferia nem dizer nada do que fazer o gosto ao dedo da concorrência forasteira.

    ResponderEliminar
  12. Ora nem mais! Para dizer mal já há de sobra! Muitas vezes, estou em crer, por quem muito menos mérito!

    ResponderEliminar