[Rumo a Roterdão] Uku Haasma: "Um pensamento aleatório trouxe-me ao Eesti Laul 2021'


Uku Haasma é outro dos artistas que faz a sua estreia no Eesti Laul em 2021. ESCPORTUGAL esteve à conversa com o cantor na rubrica Rumo a Roterdão.

A Estónia é um dos países que optou pela realização da sua final nacional para o Festival Eurovisão de 2021, com 24 artistas a concurso no Eesti Laul 2021. Depois de REDEL e Rahel, o ESCPORTUGAL esteve à conversa com Uku Haasma, participante na segunda semifinal do concurso, na rubrica Rumo a Roterdão. 

Com apenas 26 anos de idade, Uku Haasma admite estar a dar os seus primeiros passos na sua carreira profissional: "Sou um rapaz estónio com 26 anos de idade, que cresceu numa família cheia de músicos. A minha casa estava cheia de instrumentos diferentes. Quando tinha 14 anos de idade, fiquei obcecado pelo baixo e disse ao meu pai que gostaria de tocar esse instrumento. Um dia, quando cheguei, da escola, a casa, um novo baixo do tipo Ibanez estava à minha espera. De facto, nesse mesmo dia, tive o meu primeiro ensaio numa banda, onde toquei baixo (os meus colegas de escola estavam a formar uma banda e não tinham um baixista)." contou-nos, revelando ter sido o gatilho para a sua paixão pela música, "Desde então, tenho tocado em muitas bandas diferentes como baixista e, também, como vocalista. A partir do ano de 2020, decidi dedicar-me à minha própria música. Neste momento, estou a estudar baixo na Viljandi Kultuuriakadeemia.".

Apesar da tenra idade, Uku admitiu-nos que a noite de 12 de maio de 2001 está bastante presente na sua memória: "As minhas primeiras memórias do Festival Eurovisão remontam a 2001, quando a Estónia venceu. Estava em casa, enquanto todos festejavam a vitória. Lembro-me perfeitamente do momento em que comemorámos a vitória histórica". E a participação na corrida para o Festival Eurovisão 2021 foi bastante inusitada: "A minha participação na edição deste ano do Eesti Laul surgiu, na verdade, através de um pensamento aleatório que ocorreu antes do verão, enquanto ouvia as minhas canções. Esse pensamento apontou que seria agora o tempo certo para participar.".

O cantor defenderá "Kaos", tema composto pelo próprio com Henri Erik Tammai e Rudolf Toltsberg, descrevendo a canção como "uma canção calma, um pouco relaxante, envolvente e a crescer, dinamicamente, desde o início até ao fim.", prometendo uma atuação "esperada por parte de uma banda energética". Contudo, caso vença, Uku Haasma descarta fazer mudanças no tema: "Não mudaria nada na canção mas, talvez, mudasse algumas coisas e detalhes na nossa atuação ao vivo.".

Questionado sobre a falta de público no concurso deste ano, o cantor admite que a ERR tomou a decisão correta: "A ERR tomou as decisões mais acertadas. O que importa agora é controlar a pandemia, mantendo a vida o mais possível normal". Sobre as recentes edições do Festival Eurovisão, Uku Haasma frisa que os "resultados da Estónia não têm sido os melhores porque as coisas acontecem da maneira que têm de acontecer", elogiando a participação de Portugal em 2017, "a vossa vitória foi incrível. Sem perceber nada, fiquei a gostar imenso da canção. Foi um momento marcante".

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários