Portugal: Atuação de Karetus & Romeu Bairos no Festival da Canção 2021 entra nas Tendências do Youtube

 Com mais de 29 mil visualizações, a atuação dos Karetus com Romeu Bairos na primeira semifinal do Festival da Canção 2021 entrou nas Tendências do Youtube em Portugal.


A atuação dos Karetus e Romeu Bairos na primeira semifinal do Festival da Canção 2021 com "Saudade" entrou, esta tarde, no top das Tendências do Youtube em Portugal. O vídeo da atuação conta com mais de 29 mil visualizações, sendo também a atuação mais vista da gala, ocupando o 21.º lugar nas Tendências em Portugal.

Aceda, de seguida, ao número de visualizações das atuações de ontem:

1.º Karetus & Romeu Bairos - "Saudade" - 29 701 visualizações
2.º The Black Mamba - "Love Is On My Side" - 14 974 visualizações
3.º Valéria - "Na Mais Profunda Saudade" - 12 332 visualizações
4.º Sara Afonso - "Contramão" - 10 805 visualizações
5.º Fábia Maia - "Dia Lindo" - 9 370 visualizações
6.º IAN - "Mundo" - 6 604 visualizações
7.º Irma - "Livros" - 5 176 visualizações
8.º Nadine - "Cheguei Aqui" - 4 910 visualizações
9.º Miguel Marôco - "Girassol" - 4 739 visualizações
10.º mema. - "Claro Como Água" - 4 556 visualizações

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPortugal/ Imagem: Pedro Pina | RTP / Vídeo: RTP

28 comentários:

  1. Anónimo17:35

    Nos comentários desse vídeo há muitas pessoas a falar de revamp à música ou ao staging e eu cá a pensar: oh sweet summer child...
    A música que ouviram e o staging que viram é o que vai para a final e para a esc, caso eles ganhem, não votem a sonhar com mudanças que isso nunca aconteceu e se a notícia de que a Noruega irá gravar a atuação do vencedor amanhã dia 22, como backup no caso de os artistas não poderem estar presentes em Roterdão, o mais provável é a RTP fazer o mesmo e proceder a gravar na segunda feira a seguir à final.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já eu acho que a RTP vai usar a atuação da final da canção vencedora.

      Eliminar
    2. Anónimo18:33

      Isso é mentira. Portugal faz quase sempre uma melhoria na apresentação e as vezes um revamp no instrumental

      Eliminar
    3. Anónimo19:12

      A diferença é que 10s de qualquer uma das atuações norueguesas deixavam todas as atuações portuguesas a milhares de milhões de anos luz de distância.... #somospobrezinhosemoramoslonge

      Eliminar
    4. Anónimo21:04

      @18:33 Desde 2017 que as alterações do staging têm sido mínimas e não houve qualquer revamp de músicas.
      Tendo em conta que a delegação portuguesa é a mesma com a mesma direção, porque é que acham que haverá qualquer alteração?

      Eliminar
    5. Anónimo22:10

      Ó anónimo das 18:33... isto é que é botar a boca no trombone 🤣🤣🤣

      Eliminar
    6. Anónimo12:53

      19:12, então por que motivo não ganha a Noruega sempre a Eurovisão?
      Deve ser por #seremricosemoraremperto... pelos vistos, também não resulta...

      Eliminar
    7. Anónimo15:34

      12:53 Portugal é o país que tem mais ultimos lugares da eurovisão, se não me engano. A Noruega tem tido um percurso e uma evolução na NF que tu desejarias ter por aqui...

      Eliminar
    8. Tiago G4P20:28

      Por acaso o país com mais último é mesmo a Noruega... Duh!

      Eliminar
    9. Anónimo22:46

      Tiago G4P, tinha precisamente essa ideia, mas como não tinha certeza não disse nada. Está confirmado, então.:)

      Eliminar
  2. Anónimo17:37

    Não achei nada demais, muito honestamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:26

      Também não percebo, talvez pelo facto dos karetus serem conhecidos...
      Mas talvez tbm pelo staging, mas se parece muito ao instrumental do Conan nada de novo.

      Eliminar
    2. Anónimo22:35

      Conhecidos???? Conhecida é a Carolina ou os Black mamba, que aparecem todos os dias nos programas da RTP. Os Karetus não eram assim tãoo conhecidos...sempre se mantiveram na sombra. Assumam logo k a malta tava com sede de algo ''moderno'' ou, pelo menos, uptempo. Algo animado. Quando a maioria das canções são todas lentas, canções como a dos Karetus destacam-se muito. Têm, acima de tudo, muita gente jovem a votar. A malta jovem QUER apoiar o festival da canção, mas com estas cançõezinhas tão chatas e fraquinhas...é dificil.

      Eliminar
  3. Anónimo17:45

    Uma performance muito fraca, mas é o que temos ano após ano, por isso, nada de novo. No final vamos reclamar com a eurovisão e com os eurofãs que só gostam de música parola e que a nossa música sim, é que tem muita qualidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:07

      Ora nem mais. Concordo 100%.

      Eliminar
    2. Anónimo22:46

      Se isto é fraco, o que pensa dos outros? Ou o Festival da canção tornou-se no The Voice? Sai mais uma baladinha este ano, desta vez em ingles, para parecer diferente?

      Eliminar
    3. Anónimo12:48

      22:46, sabe quantas "baladinhas" venceram a Eurovisão? Já para não falar que foi uma "baladinha" que nos deu a única vitória na Eurovisão...

      Ok, já percebi que está com os Karetus "e não abre" e eu sei o que é o entusiasmo de uma convicção, portanto, nada contra, força nisso. Mas, agora, pode ler a minha opinião sem se enervar, é só uma saudável troca de opiniões, pode ser?

      Os Karetus têm qualidade, a ideia daqueles elementos em palco também, adoro ver lá "os propriamente ditos", as nossas máscaras, mesmo as nossas, as tradicionais, mas, vá, depois aquele quadrado... vamos ser honestos, não foi isso tudo...aquele quadrado pareceu-me uma apresentação a imitar um bocado as apresentações dos países de Leste, ora, sendo tudo o resto, uma representação de Portugalidade da boa, que é isso que a canção dos Karetus é, não faz qualquer sentido esse misturar, é da malta ficar assim um bocado baralhada e topar logo que aquilo é uma descaracterização só para caçar votos, ou seja, não dá a bota com a perdigota, é a minha opinião, fica assim um bocado azeiteiro, acho que fica assim um bocado de falta de personalidade, uma coisa que é, mas não é ... E olhe que me parece que a Eurovisão gosta de gente que assume a diferença, que assume apresentações cheias de personalidade, carisma, sejam "baladinhas" das boas ou "mexidinhas"/ dançáveis também das boas"
      Bom dia, tal como disse, é só a minha opinião, vale o que vale.

      Eliminar
    4. Anónimo15:31

      12:48 Sabe quantas baladinhas ficaram pelas semi finais? Quantos BOPS que voces tanto detestam ficaram no top5? Já reparou que o vosso unico argumento é sempre a ''baladinha'' que venceu em 2017? O que eu admiro nos finlandeses é que eles não ficaram presos na vitória dos Lordi, raramente falam neles. Continuam a tentar levar coisas diferentes, a arriscar. Voce não vê um UMK cheio de rockalhada e metal só porque ganharam uma vez com uma canção desse genero.


      Ok, Já percebi que acha que conhece alguém só por eu estar a defender o trabalho dos Karetus e a valorizar esforço que puseram ali, desculpe la por não seguir o rebanho. Já deu para perceber que decidiu embirrar com eles, influenciada pelo flop do Conan. A Minha favorita é outra, não estou enervado, ou voce consegue sentir a energia dos outros através de um texto?


      Oh amiga, o quadrado é a imitar as apresentações dos países de leste? Só pode estar a brincar. É literalmente um QUADRADO. Parece que quando alguém tenta levar uma coisinha minimamente ''moderna'',vá, perde o brilho. Azeiteiro, já estava à espera dessa palavra. Nunca falha. Voce só acha que aquilo é azeiteiro por ser uma canção ''midtempo'' e por ter visto varias atuaçoes pop nórdicas com aquele quadrado, estou a lembrar-me agora do melfest. O Povo português, é do mais preconceituoso que eu já vi na minha vida. Têm um complexo de superioridade, uma falta de noção artista nunca vista. Aquele quadrado que voce critica, já foi usado nos ultimos anos em varias peças de teatro modernas em Portugal. Conceitos e peças criados por jovens.

      Acho que a fusão do antigo com o moderno encaixou bem na atuação. Pelo menos TENTARAM criar algo, podem mudar coisas a partir dali, mas tentaram. Os outros que voce admira, que vão ali cantar ''baladinhas'' copycats do Zambujo e afins, só vão ali cantar mesmo. Metem umas luzes e já está, assim ninguém critica a atuação, não sao chamados de azeiteiros e passam despercebidos. Se uma atuação "minimalista" como a dos Karetus leva a etiqueta de azeiteiro, não quero imaginar o que aconteceria se aparecesse um artista com uma canção pop e uns bailarinos atrás. "Faz lembrar o somos Portugal!!!''.

      Quem dera a Portugal ter uma diversidade visual e musical como têm os países de leste. Respeito a sua opinião, que me parece bastante antiquada e válida, mas não comparto.

      Eliminar
    5. Anónimo22:33

      Ao contrário do que possa parecer, à primeira vista, com o meu primeiro comentário, gosto, na maioria dos casos, das apresentações dos países de Leste. Aquilo que disse não era depreciativo. O que acontece é pensar que eles têm o estilo deles, muito próprio, tal como nós temos, e que as imitações, normalmente, ficam piores do que o original, principalmente quando parecem encaixadas de uma forma completamente incoerente numa apresentação. Para mim, aquilo fica completamente fora, não me cativa, não é nada desagradável de ver, não é, mas não me cativa. Preferia ver outro tipo de encenação em palco, com as máscaras, que acho ali fundamentais, mas outro tipo de encenação. Uma encenação que estivesse completamente ao serviço da letra e da música, e não uma coisa que parece, a mim pareceu-me, de uma maneira demasiado descarada "hei, malta do Leste, nós estamos aqui!".

      Nos países do Leste funciona porque é natural, é o estilo deles, não andam a imitar ninguém. Isto é o que acho, claro.

      Quanto a modernidade. Dou valor ao que me toca, seja "antigo" ou "moderno", ao que me consegue cativar, neste caso, durante três minutos, é isso que me faz votar, estou-me nas tintas se é considerado "antigo" ou "moderno", até porque esses conceitos, na arte, são muito relativos.
      Acho também curioso que vocês tenham considerado esta proposta "moderna". E, sim, sei do teatro "contemporâneo" e da dança "contemporânea" e etc, mas isso é outra coisa. O meu conceito de "modernidade", nesta semi, por exemplo, foi a proposta da IAN, a proposta da IAN, sim, era "atrevidamente" (mesmo com muitas aspas) coerente, com qualidade e com uma apresentação em palco em que tudo fazia sentido, lá está, provavelmente pela tal influência que a IAN poderá ter das suas raízes, e, vocês, pelos vistos, não lhe ligaram nenhuma. Para mim, estaria na final.

      Este tipo de discussão, no bom sentido, daria pano para mangas, mas, estamos numa caixa de comentários, por isso, vou já concluir.
      Não sou muito dada a preconceitos e muito menos a complexos de superioridade (além disso o grande problema dos portugueses é até, precisamente o contrário, uma porcaria de um complexo de inferioridade que já era tempo de acabar). Gosto de todos os géneros musicais, também adoro Pop e bem comercial, depende dos momentos, do que me apetece na altura, a única distinção que faço é de mexer comigo ou não mexer e nada que ver com antigo/moderno, Pop/Pimba/Erudita, Minimalista/Pôr a carne toda no assador. As coisas não são assim tão a preto e branco.

      Obrigada pela troca de opiniões.

      Eliminar
    6. Anónimo23:06

      Entretanto li o último comentário. Se já usavam o CUBO, é realmente um Cubo e não um quadrado, (embora visualmente não tenha dado a ideia de profundidade, pareceu só um quadrado), peço desculpa e retiro o que disse quanto a imitações da parte dos Karetus.
      Fui injusta por ignorância. Não sabia. Passei a saber. Bem dizem ser esse um dos grandes objetivos do Festival.
      Todos temos a nossa costela de "treinadores de bancada".
      Quanto ao resto, sem meter já os Karetus nisso, mantenho tudo o que disse.

      Eliminar
  4. Anónimo21:02

    Muito provavelmente teremos aqui um "Telemóveis" 2.0. Muitos elogios, alguns até internacionais, e a ideia de que está aqui algo tão raro que fará um brilharete no ESC. Espera-se que a Suíça, a Espanha e a França votem na mesma semifinal da canção portuguesa, depois culpam-se os emigrantes por não terem telefonado pela canção do seu país, os júris por só apreciarem o que é comercial... E no próximo ano tudo se repete: a RTP convida compositores conhecidos de um dos produtores (o senhor que, sabe-se lá porquê, passou a decidir quem participa), faz o favor de aceitar uma ou duas canções remetidas por quem não foi convidado, canta-se a saudade e a identidade nacional e espera-se que o Luxemburgo volte a participar e vote na mesma semifinal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:34

      O problema também está que a RTP apenas promove a canção que ganha via conteúdos em português e apenas apela ao voto dos emigrantes.
      Se querem ganhar que estrangeiros votem e ganhem carinho pelo nosso artista têm de fazer conteúdo em inglês, para o máximo de pessoas perceberem.
      O Duncan por exemplo em 2019 fez vídeos e criou conteúdos para os fans internacionais e a verdade é que a Eurovisão têm tido nos últimos anos e graças às redes sociais um toque de reality show em que podemos interagir diretamente com os artistas qhe gostamos.
      Infelizmente a RTP não percebe isso e os artistas que participaram nos últimos anos também não.

      Eliminar
    2. Anónimo22:45

      Eu diria que o Neev é o telemovéis 2.0...muitos elogios dos eurofãs portugueses, muito hype, muito ''ELE VAI SALVAR ISTO''...depois chega à eurovisão e é o que é. Quando perceberem que a estrangeirada está farta de baladas, até os emigrantes portugueses....pode ser que algo mude.

      Eliminar
    3. Anónimo23:05

      Ahahah isso mesmo

      Eliminar
    4. Anónimo10:22

      É a pura da verdade!

      Eliminar
  5. Anónimo22:43

    É a melhor? Não. Destaca-se no meio daquele velório todo? Sim. Quando tens pouca diversidade musical, é isto que acontece. Há que valorizar o esforço que meteram no staging, coisa que poucos fazem, vão para lá e parece que foram obrigados a isso...pelo menos os Karetus pensaram mais além da canção e isso é de louvar. Tenho visto alguns comentários negativos de eurofãs contra os Karetus, que depois elogiam os Black Mamba que tiveram aquela atuação rasca com filtro de isntagram...não entendo nada. Mereceram passar à final, não sei se o Romeu está a interpretar alguma personagem, mas tem de tentar controlar os nervos. Tem de haver ali bons planos de camara, luzes...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo13:53

    Pois eu continua achar esta a melhor proposta da semifinal 1. O principal defeito é ser muito repetitiva (mas sempre foi assim, apesar de só agora alguns terem dado por isso...). Houve preocupação com o stagging (pode ser discutível se é bom ou não, mas terem-se preocupado com isso, já é uma melhoria em relação à maior parte dos restantes). O resto das canções são as chochuras do costume, parece que é proibido em Portugal fazer música que não seja um bocejo de ir às lágrimas.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo02:09

    Para a malta que fala de cor e não faz a minima ideia de quem são os Karetus, é só para informar que o CUBO de que vocês tanto falam, é um elemento representativo deles em palco há muito tempo! Eles levaram a imagem deles para o FC, só isso! Eles não copiaram ninguém, as coisas já existem e só por acaso eles já andavam com ele!

    Só vejo treinadores de bancada, entendidos de música, compositores, coreógrafos e haters. Se vocês são tão bons, podiam tentar a vossa sorte, que acham?

    ResponderEliminar