Portugal: 'TV Fest' foi cancelado, avança o Expresso


O TV Fest, festival de música criado pelo Ministério da Cultura, foi cancelado, avançou o Expresso, depois de várias críticas ao formato.


Com o intuito de apoiar os artistas e técnicos musicais nesta fase de confinamento, o Ministério da Cultura anunciou, recentemente, a criação de um festival de música portuguesa. O TV Fest tinha estreia marcada para hoje, 9 de abril, com transmissão assegurada no canal 444 e na RTP Play. Fernando Tordo (ESC1973/77), Ricardo Ribeiro, Marisa Liz (FC2012) e Rita Guerra (ESC2003) seriam os artistas confirmados no primeiro dia de concertos, com a organização a anunciar uma verba de 1 milhão de euros para pagar aos artistas e técnicos que iriam participar na iniciativa, sendo que os artistas participantes seriam os responsáveis pela escolha dos artistas dos dias seguintes da iniciativa, que tinha duração prevista de 1 mês.
Contudo, conforme avança o Expresso, o TV Fest foi cancelado depois centenas de artistas terem criticado a iniciativa e os seus critérios de seleção e de uma petição online com mais 16 mil assinaturas.


 
Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte:Expresso/ Imagem: Google / Vídeo: RTP

1 comentário:

  1. Anónimo19:34

    Uma iniciativa que poderia ter sido válida, se se tivesse prescindido de preconceitos absolutamente dispensáveis nos tempos que correm. Pode não se apreciar determinados artistas e/ou o estilo musical que apresentam, mas ignorá-los logo à partida é injusto, sobretudo porque estão sempre na primeira linha quando se fazem espetáculos de angariação de fundos para diversas instituições. Custaria muito ao ministério da Cultura ter tido a abertura de espírito para convidar também um desses artistas mais populares para integrar este grupo inicial? Com eles também trabalham músicos, técnicos, que têm famílias e compromissos que têm de satisfazer. Se a intenção era, à partida, dar trabalho aos que possam porventura estar a passar por mais dificuldades, os quatro escolhidos (cujo valor não se põe, de modo algum, em causa) nem estarão (felizmente para eles) entre os mais "debilitados": um terá, decerto, direito a reforma e três tiveram, até há pouco, suficientes oportunidades em termos de divulgação dos seus trabalhos.

    ResponderEliminar