Islândia: Daði Freyr descarta regresso ao 'Söngvakeppnin'


O cantor Daði Freyr, representante da Islândia no Festival Eurovisão 2020, descartou um regresso ao Söngvakeppnin: "Posso compor uma canção, mas participar não".


Depois do cancelamento do Festival Eurovisão 2020, o cantor Daði Freyr revelou, em entrevista, que não voltará a participar no Söngvakeppnin: "Sinto-me triste por ter perdido a oportunidade de experimentar e participar na loucura que é a Eurovisão" disse o cantor, frisando que ainda não foi contactado pela RÚV para uma possível participar no concurso internacional em 2021.

"Para a minha carreira, isto foi um enorme trampolim e não me posso queixar. Agora estou em negociações com editoras e gravadoras" confessou, garantindo que não voltará a participar na final nacional islandesa, "Não voltarei a participar. Vencemos a competição e caso voltasse, sentiríamos que as pessoas só votariam porque fomos escolhidos e não fomos à Eurovisão. Também não seria bom voltar a participar e não ganhar (...) Posso compor uma canção, mas participar não".
Depois do segundo lugar na final nacional de 2017, Daði Freyr, juntamente com os Gagnamagnið, venceu o Söngvakeppnin 2020 com "Think About Things", uma das canções favoritas ao triunfo no Festival Eurovisão 2020.


Estreante em 1986, a Islândia conta com 32 participações no Festival Eurovisão, tendo como melhor resultado o segundo lugar alcançado em 1999 e 2009 por Selma e Yohanna, respetivamente. Fora da Final desde 2015, a Islândia voltou à Final do concurso em Telavive com os Hatari e "Hatrið mun sigra" a alcançarem o 10.º lugar com 232 pontos, 3 oriundos do televoto português.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Visir / Imagem: Google / Vídeo: Eurovision.tv

2 comentários:

  1. Anónimo19:40

    Eu só peço que a RÚV o selecione internamente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:38

      Não faz sentido o canal islandês fazer seleções internas - não é politica da casa - só porque alguém gosta dele então sigam a carreira e o trabalho discográfico do rapaz. A Eurovisão nào é a "carta de permissào" para apreciar alguém. E ele tb não é a unica coca cola no deserto.

      Eliminar