Estónia: Philipp Kirkorov critica decisão da ERR sobre Uku Suviste


Philipp Kirkorov, responsável pela participação de Uku Suviste no Eesti Laul 2020, criticou a decisão da ERR em garantir uma vaga para o cantor nas semifinais do próximo ano: "Não é apenas um insulto, é algo bastante revoltante".

O cantor russo Philipp Kirkorov, um dos responsáveis pela participação de Uku Suviste e "What Love Is" no Eesti Laul 2020, criticou, em entrevista ao Moskovsky Komsomolets, a decisão da ERR em fornecer uma vaga nas semifinais do concurso do próximo ano para o artista. "Não participar na Eurovisão é decepcionante. Não só para mim, mas para todos aqueles com que trabalhámos todo o ano para a preparação. Não é apenas um insulto, é algo bastante revoltante, especialmente no contexto do Uku Suviste na Estónia" defendeu o artista, garantindo que a ERR deveria ter oferecido uma vaga na Final do próximo ano para Uku Suviste.
 

Contudo, Tomi Rahula, um dos produtores do concurso, revelou, em conferência de imprensa, que a decisão de colocar Uku Suviste na Final do concurso de 2021 seria prejudicial para o artista: "A competição começa com as semifinais (...) Ele perderia muita cobertura da imprensa nas semifinais e destaque na revelação das canções. Seria díficil para as pessoas votarem se ouvissem a canção do Uku apenas uma vez, não seria justo" defendeu Tomi.

Esta não seria a primeira vez que Philipp Kirkorov trabalharia para outra delegação no Festival Eurovisão, sem ser a russa: em 2005 e 2007 esteve envolvido na participação da Bielorrússia, em 2008, foi um dos compositores de Shady Lady, representante da Ucrânia, enquanto em 2018 e 2020 foi o compositor da canção da Moldávia. Além disso, Kirkorov também representou a Rússia como cantor na segunda participação do país no concurso europeu, em 1995, com Kolybelnaya Dlya Vulkana, terminando em 17º lugar na final com apenas 17 pontos, sendo a segunda pior classificação de sempre do país.


Estreante em 1994, a Estónia participou em 25 edições do Festival Eurovisão, registando uma vitória (2001), um terceiro lugar (2002) e 16 presenças na grande final. Em Telavive, Victor Crone representou o país com "Storm", terminando em 20.º lugar com 76 pontos, nenhum oriundo de Portugal, apesar de ter sido o mais votado do televoto português na semifinal.



Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte:Kronika.Delfi/ Imagem: Google/ Vìdeo: Youtube

6 comentários:

  1. Anónimo06:15

    Já estava a demorar este Kirkorov e o seu típico role de críticas contra tudo e contra todos com um só objetivo "eu quero ganhar isto" à semelhança dos grandes vilões que dps como se sabe nunca conseguem. Ainda estamos a viver este pesadelo pandémico, e este homem demonstra ter as prioridades no sítio, sem dúvida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:58

      Mas o que é que o homem disse de mal agora? Não mencionou nada sobre a pandemia, nem desvalorizou, nem colocou o concurso e os seus interesses à frente deste problema que atravessámos. Apenas disse algo sensato: a EBU e muitas emissoras estão a ser completamente insensíveis e desrepeituosas para com os artistas e todos os envolvidos nestas canções, atuações e preparações que irão para o "lixo". Todos sabemos que o Kirkov tem o seu ego no topo e nem sempre é correto, mas neste caso tem razão e não foi o único a pronunciar-se sobre o assunto.

      Eliminar
  2. Anónimo10:15

    O Kirkorov devia ser escolhido pela RTP para ajudar a Elisa na sua actuação de "Medo de sentir". Finalmente aquela baladuxa senolenta "Medola de Sentir" teria algumas hipóteses

    ResponderEliminar
  3. Acho bem que ele tenha dito isto o Uku é um grande cantor e desperdiça _lo desta forma tal como fizeram com as Mamas etc é muito mau.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:35

      Concordo, o Uku é um bom cantor, infelizmente a música para mim é horrível, mas esta situação acaba por dar a oportunidade dos artistas deste ano de participarem com melhores canções em 2021, é pena que algumas emissoras rapidamente descartaram os seus cantores como é o caso da Estónia e Suécia.
      Pelo menos as Mamas já pisaram o palco da Eurovisão, o Uku não teve essa sorte

      Eliminar
  4. Joaquim António01:06

    O Uku pode ser um grande cantor mas antes... é um pedaço de mau caminho! Eta que Homem de lindo!

    ResponderEliminar