Rússia: Polina Gagarina de regresso ao Festival Eurovisão em 2020?


A imprensa russa avançou que Polina Gagarina poderá estar de regresso ao Festival Eurovisão em 2020. Zivert, Little Big, Dimash e Alexander Panayotov são outras possibilidades.

Depois de ter sido avançado que Aleksandr Panayotov seria o representante russo no Festival Eurovisão 2020, rumor que se tem repetido nos últimos anos, o jornal russo Super avança com um lote de cinco artistas na mira da Channel One para Roterdão.
 
Polina Gagarina, segunda classificada no Festival Eurovisão 2015, lidera a listagem, que conta também com os artistas Zivert, Little Big, Dimash e Alexandr Panayotov. Contudo, a decisão final da emissora russa para o certame internacional apenas será revelada nas próximas semanas.







Estreante em 1994, a Rússia participou em 22 edições do Festival Eurovisão, contando com uma vitória (2008) e outras sete presenças no pódio do certame. Depois da retirada da edição de 2017 devido à proibição imposta a Julia Samoylova, a Rússia foi representada pela cantora em Lisboa, ficando de fora da Grande Final pela primeira vez. Em Telavive, Sergey Lazarev alcançou o 3.º lugar na Final com "Scream" com 370 pontos, sendo a segunda canção mais votada pelo televoto português.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte:Super /Imagem: Google/Vídeo: Eurovision.tv 

4 comentários:

  1. Anónimo13:29

    Porfavor sim, na minha opinuao merece muito. Alias acho qque merecia mais ter voltado que o Sergey. Fez uma atuacao brilhante e acabou por sofrer com a contestacao ao pais do qual ela naao tem culpa nenhuma. Por mim pode voltar e merece ser aplaudida de pe

    ResponderEliminar
  2. Anónimo13:29

    A grande pergunta é se Kirkorov está de regresso como compositor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:44

      Sim, pela Moldávia, outra vez 🙄

      Eliminar
  3. Anónimo13:34

    Continuo sem perceber o 3.º lugar do ano passado, mas se este ano voltarem a levar a polina, espero que ela faça justiça a 2015, pois deveria ter sido ela a ganhar.

    ResponderEliminar