[Olhares sobre o Festival di Sanremo] Quem representará Itália no Festival Eurovisão 2020?


Itália escolhe, esta noite, o vencedor do Festival di Sanremo 2020, candidato que poderá representar o país no Festival Eurovisão 2020. Saiba quem são os favoritos do painel do Olhares do ESCPORTUGAL.


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, o ESCPortugal realiza, esta temporada, a quarta edição do Olhares sobre as finais nacionais, em colaboração com o painel do ESCPORTUGAL Regiões. Depois dos Olhares sobre a Albânia, República Checa, Moldávia, Austrália e Letónia, Itália é o próximo país na lista de Olhares sobre as Finais Nacionais.

Vinte e três candidatos disputam o Festival di Sanremo 2020, com o público, júri de imprensa e júri demográfico a escolherem os três participantes para a SuperFinal, onde a votação será repetida. Caso tenha manifestado interesse, o vencedor do concurso será o representante de Itália no Festival Eurovisão 2020; caso tenha declinado a participação, a RAI escolherá outro dos participantes para Roterdão.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:

   
Adão Nogueira aposta em Le Vibrazioni com "Dov'è"
Foi sempre uma das minhas “finais” mais aguardadas mas começo a ter a sensação que tantas galas numa só semana começa a ser demais (principalmente pela duração das galas). Continua a apostar na presença da orquestra e na sua própria língua o que lhe dá sempre outro gosto. Para não variar, este ano apresenta uma grande diversidade de músicas indo de encontro aos variados gostos dos espectadores. Quanto à vencedora deverá ser Le Vibrazioni com “Dov’è”, pois foi a que me fez sentir algo à primeira audição e com um conjunto de música e letra muito bom.

     
André Eric-Fernandes aposta em Achille Lauro com "Me ne frego"
Sanremo, o mítico festival italiano, mais antigo que a nossa Santa Eurovisão. Verdadeira festa das canções! Toda uma semana, repetentes, novatos, glórias nacionais... todos se cruzam por lá com dezenas e dezenas de canções. Que espetáculo! (É só preciso ter tempo... muito tempo!) Excelentes vozes, revelações, deceções, polémicas, muita música. Elodie, Gabbani, Diodato, Masini, Levante, Le Vibrazioni... todos ótimos mas para mim, a maior surpresa é Aquille Lauro, que se revela como um excelente performer e apresenta "Me ne frego" com uma cenografia extravagante e cheia de simbolismos. Muito actual, o título pode ter tantas interpretações, é extremamente inteligente. Me no frego, Achille è il mio vincitore !

 
André Pereira aposta em Anastasio com "Rosso di rabbia"
A canção de Anastasio tem uma mensagem fortissima, apesar de ter estado a espera de algo mais emocionante como as músicas "La Fine Del Mondo" e Correre. Além de excelente cantor, é um excelente autor e compositor! Merece imenso ser destacado no meio de tanto artista bom.
 
André Moreira aposta em Diodato com "Fai rumore"
Nesta edição do Festival Sanremo é inegável a qualidade da generalidade de todas as propostas, havendo, claro, algumas de maior arrojo e outras mais fiéis ao estilo italiano. Inseriria a canção de Diodato, a minha preferida, nas que são fiéis ao estilo italiano - mas daquelas que vão para além do habitué. "Fai Rumore" é uma peça de elementar beleza resultante da junção de uma voz doce, mas que chega longe, com uma letra lindíssima aliada a um instrumental que nos envolve e nos encaminha a pensar no ruído das nossas próprias emoções.

    
Cláudio Guerreiro aposta em Diodato com "Fai rumore"
A edição de Sanremo deste ano presenteia-nos com uma boa variedade de estilos como já tem vindo a ser habitual nos últimos anos. Desde a típica balada italiana, rap, pop, rock, entre outros. Mas é precisamente na balada que encontro a minha favorita, por mostrar uma força de interpretação do cantor acompanhada por uma bela construção melódica: “Fai rumore” de Diodato. Esta é uma canção com força para agarrar logo na primeira audição. Pode não ser logo a primeira canção que me apetece ouvir quando se fala na edição de Sanremo deste ano, mas é das poucas que me deixa verdadeiramente arrebatado quando a oiço. Tanto Rancore, Elodie ou Levante seriam também boas apostas para Itália, mas considero que “Fai Rumore” acaba por ser a mais completa ao analisar diferentes fatores como segurança vocal, melodia e presença de palco.
 
Diogo Cabral aposta em Le Vibrazioni com "Dov'è"
Como é bom assistir ao Festival de Sanremo 2020! Ano após ano, Itália prima por uma qualidade ímpar. Bravo, Itália! Este Sanremo deu "dores de cabeça", dado que escolher um vencedor entre várias propostas interessantes tornou-se uma tarefa difícil. Todavia, a minha escolha recai sobre Le Vibrazioni e "Dov'è". Trata-se, a meu ver, da melhor proposta. Uma canção envolvente, uma voz cativante, um cantor cheio de carisma. Mal começa os primeiros acordes e não tiro o olho nem o ouvido desta proposta. Embora já se tenha visto pela Lituânia, em 2011, o uso de língua gestual ainda abrilhante mais a proposta. Que suba ao palco de Roterdão e brilhe! Bravo. Bravo. Bravo, Itália!

   
Fábio Ventura aposta em Diodato com "Fai rumore"
Sanremo "Vinte Vinte", como eles gostam de dizer, traz novamente uma elevada e prestigiada produção musical. Elodie, Tosca, Francesco e Rancore são alguns dos meus favoritos, sendo que qualquer um deles seria um justo representante de Itália na Eurovisão. Contudo, é a belíssima canção do Diodato, "Fai rumore", que obtém os meus 12 pontos. Acompanhada por uma melodia bem produzida, a voz tipicamente italiana do Diodato traz-nos um tema que nos convida a derrubar as paredes entre nós e os aqueles que criam silêncios nas nossas vidas, acabando por resultar em distâncias e separações, numa época em que vivemos rodeados de ruídos mas não aqueles que desejaríamos ouvir.
    
Hugo Sepúlveda aposta em Francesco Gabbani com "Viceversa"
Qualidade musical e qualidade na arte de encher o chorizo (que o enchem como ninguém, é um facto) são duas características intrínsecas ao Festival di Sanremo e este ano não foi diferente! Esta edição já nos presenteou com várias pérolas: Eden, Tikibombom, Fai Rumore, Andromeda, Ringo Starr, Dov’è e a lista continua! No entanto, a minha aposta é uma que inicialmente nem me agradou muito. Francesco Gabbani está de volta a Sanremo e é um candidato forte a estar novamente no ESC também. Viceversa é um regresso mais maduro, mantendo a essência de Gabbani. A canção não só tem uma sonoridade bastante agradável, como tem partes muito orelhudas, mas sem dúvida que o maior trunfo do intérprete é o seu carisma.


   
Nuno Carrilho aposta em Francesco Gabbani com "Viceversa"
Ano após ano, há uma coisa que nunca muda: a minha paixão por Itália! O Festival di Sanremo 2020 segue a mesma linha dos últimos anos e continua a ser um fenómeno musical e televisivo digno de homenagens: uma competição com um número interminável de horas, mas com um share superior a 50%, e onde os grandes nomes partilham o palco com jovens talentos, com a competição a ser a embrionária de inúmeros sucessos musicais. Apesar de difícil escolha (acho que todos os 24 seriam digníssimos representantes de Itália em Roterdão), os meus doze pontos vão para aquela que é, para mim, a melhor canção do ano e interpretada por um artista que muito admiro: "Viceversa" e Francesco Gabbani. Caso recuse a participação, espero que a mesma seja assegurada por Tosca ou por Irene Grandi.
    
Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 9 comentadores:
  
1.ºDiodato - "Fai rumore"  - 76 pontos
2.º  Francesco Gabbani - "Viceversa"- 63 pontos
3.º Elodie - "Andromeda" - 62 pontos
4.º Le Vibrazioni - "Dov'è" - 47 pontos
5.º Levante - "Tiki Bom Bom" - 41 pontos
6.º Rancore - "Eden" - 37 pontos
7.º Tosca - "Ho Amato tutto" - 33 pontos
8.º Pinguini Tattici Nucleari - "Ringo Starr" - 26 pontos
9.º Achille Lauro - "Me ne frego" - 19 pontos
10.ºRiki - "Lo sappiamo entrambi"  - 19 pontos
11.º Rita Pavone - "Niente (Resilienza 74)" - 18 pontos
12.º Giordana Angi - "Come mia madre" - 14 pontos
13.º Anastasio - "Rosso di rabbia" - 12 pontos
14.º Irene Grandi - "Finalmente io" - 10 pontos
15.º Elettra Lamborghini - "Musica (E il resto scompare)" - 8 pontos
16.º Piero Pelù - "Gigante" - 7 pontos
17.º Raphael Gualazzi - "Carioca" - 7 pontos
18.º Marco Masini - "Il confronto" - 6 pontos
19.º Junior Cally - "No grazie" - 6 pontos
 20.º  Alberto Urso  - "Il sole ad est" - 5 pontos
21.º Paolo Jannacci - "Voglio parlarti adesso" - 3 pontos
22.º Michele Zarrillo - "Nell'estasi o nel fango" - 3 pontos
23.º Enrico Nigiotti - "Baciami adesso" - 0 pontos

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

1 comentário: