[Olhares sobre o Eurovision Song CZ] Quem representará a República Checa no Festival Eurovisão 2020?


A República Checa revela, amanhã, os seus representantes para o Festival Eurovisão 2020, depois de várias semanas de votação no Eurovision Song CZ, com sete candidatos na corrida.


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, o ESCPortugal realiza, esta temporada, a quarta edição do Olhares sobre as finais nacionais, em colaboração com o painel do ESCPORTUGAL Regiões. Depois dos Olhares sobre a gala da Albânia e das audições da Moldávia, a República Checa segue-se na lista de Olhares sobre as Finais Nacionais.

Sete candidatos disputaram, durante várias semanas, o Eurovision Song CZ, sendo que o público e o júri internacional serão, novamente, os responsáveis por eleger os representantes da República Checa no Festival Eurovisão.

Conheça, de seguida, as previsões do painel de comentadores:


Adão Nogueira aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
Este ano, a República Checa aposta mais uma vez numa final com poucos participantes mas com boas apostas, sendo bem mais interessante que a do ano anterior. Apresenta um leque de músicas interessantes, com vários estilos. Depois da injustiça do ano passado, Machowa volta com a sua música misteriosa e serena, mas não me parece que a sua música tenha grandes hipóteses de vitória. Este ano a minha aposta para representar o país será mais entre We All Poop e Elis Mraz ft Cis T. Esta última por ser mais ao estilo das músicas vencedoras nos anos anteriores enquanto os We All Poop apresentam uma música dark que poderá distinguir-se no Festival Eurovisão.

André Eric-Fernandes aposta em Olga Lounová e "Dark Water"
Este ano, tempos aqui uma boa seleção, com variedade, ousadia e classicismo. Para a minha escolha final hesitei bastante com os jovens We All Poop que propoem uma boa canção pop-rock à americana, energética e bem produzida. No entanto acho que "Dark Water" da Olga Lounová é a escolha mais segura. Experiente, profissional e com uma grande voz, não tenho dúvidas que esta balada será muito bem representada. Temos diva!


André Moreira aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
A República Checa oferece-nos um conjunto de canções modernas e distintas entre elas. Destes, a meu ver, destaca-se a canção dos We All Poop , a qual me soa bem comercial e bem disposta. Não nego que me faz lembrar Heathens dos Twenty One Pilots, porém adoro estes últimos e consecutivamente adoro de igual forma a "All The Blood". Canção cheia de força que poderá ir muito longe em Roterdão.

Cláudio Guerreiro aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
Depois de dois consecutivos excelentes resultados, a República Checa parece determinada em continuar pelos lugares cimeiros da Eurovisão. Depois de ouvir o leque de canções a concurso, tive algumas dificuldades em escolher o meu preferido, visto que gostei bastante de três das propostas a concurso: “All the Blood”, “Dark Water” e “Get Up”. Qualquer uma delas poderá dar um bom resultado ao país, mas a “All the Blood” dos We All Poop apresenta a sonoridade que marca mais pela diferença. O potencial para uma atuação marcante em Roterdão com esta música é imenso. Contudo, tenho um mau pressentimento que não será ela a escolhida…

Diogo Cabral aposta em Elis Mraz ft. Čis T e "Wanna Be Like"
Gostaria imenso de ver a Lana del Rey da República Checa - Barbora Mochowa - representar o país em Roterdão e, assim, mudar um pouco o registo das suas últimas duas participações no ESC. Todavia, penso que a opção mais acertada será Elis Mraz e Cis T com "Wanna Be Like". Um canção divertida e ritmada, que irá puxar, ainda mais, pela energia dos presentes na arena do país anfitrião. Gosto do "mix" das duas vozes - feminina e masculina. Acredito num bom resultado em Roterdão.


Diogo Resgate aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
Eu sou suspeito por canções alternativas e "All The Blood (Positive Song Actually)" tem TODOS os fatores para ser um verdadeiro sucesso na competição. Dark, impactante, som moderno, tem uma mensagem importante... Espero mesmo que seja a vencedora!

Fábio Ventura aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
Desde que obteve o seu melhor resultado de sempre na Eurovisão em 2018, a República Checa mantém a ambição e a vontade de fazer arte. Trazem-nos este ano sete canções distintas, de ritmos e estilos diferentes e, de forma geral, com uma qualidade superior às canções já conhecidas de várias selecções nacionais. As emoções do Karelll, da Olga Lounová e da repetente Barbora Machowa (ou a Lana Del Rey checa) contrastam com os ritmos mexidos de Benny Cristo, de Elis Mraz e da repetente Pam Rabbit. Mas são os twenty one pilots checos, We All Poop (pontos para a originalidade do nome), banda formada de propósito para a competição, que levam os meus 12 pontos. "All The Blood (Positive Song Actually)" é um hino contra a crueldade com os animais e uma mensagem ao estilo Hatari contra a hipocrisia da humanidade. Uma obra-prima muito inteligente e bem produzida, que definitivamente não deixará ninguém indiferente em Roterdão. A República Checa tem tudo para se afirmar com uma potência eurovisiva, dominando definitivamente o lado alternativo da indústria musical. Nota negativa, porém, para a inexistência de uma gala televisiva, que dificulta o processo de votação, e para a ausência de canções cantadas na língua oficial daquele país.


Hugo Sepúlveda aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
República Checa traz-nos uma selecção reduzida, mas diversa. Gosto de "Dark Water", de Olga Lounová, no entanto, reconheço que a melhor aposta para Roterdão seja We All Poop e "All the Blood (Positive Song Actually)". Estes têm vindo a destacar-se, começando pelo nome da banda! Além de uma mensagem, a sua canção também tem uma vibe de twenty one pilots (já não bastava uma Lana del Rey), o que acredito que funcione a favor deles. Se a versão estúdio já tem alguma força, ao vivo conseguem um maior impacto! Sendo eles os escolhidos, a República Checa começa a seguir um caminho mais alternativo, o que acaba por ser bom! Com esta edição, tive um pequeno dejá vu de 2018, com "Fly" e "Lie to Me", sendo que "Lie to Me" também tinha vibes de "Talk Dirty" de Jason Derulo).

Nuno Carrilho aposta em We All Poop e "All The Blood (Positive Song Actually)"
Longe vão os tempos em que a República Checa era uma "carta fora do baralho" nas lides eurovisivas. Este ano, tal como tem acontecido desde 2015, prevejo uma boa participação do país no Festival Eurovisão... desde que a escolha seja a acertada. No meu entender, We All Poop e "All the Blood (Positive Song Actually)" é a candidatura com maiores possibilidades de singrar em Roterdão: impactante e com um certo misticismo, tem tudo para se destacar no alinhamento. Caso a escolha não seja esta, espero que esteja entre Benny Cristo ou Olga Lounová. Contudo, independentemente da escolha... 12 pontos para a República Checa!

Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 9 comentadores:

1.º We All Poop – "All The Blood (Positive Song Actually)" - 100 pontos 
2.º Olga Lounová – "Dark Water" - 77 pontos
3.º Barbora Mochowa – "Among White & Black Holes" - 68 pontos
4.º Elis Mraz ft. Čis T – "Wanna Be Like" - 66 pontos
5.º Benny Cristo – "Kemama" - 56 pontos
6.º Karelll – "At Least We've Tried" - 53 pontos
7.º Pam Rabbit – "Get Up" - 48 pontos
 
 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários