[Olhares sobre o Eurovision: Australia Decides] Quem representará a Austrália em Roterdão?


A Austrália escolhe, esta manhã, os seus representantes para o Festival Eurovisão 2020 com a realização do Eurovision: Australia Decides 2020.


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, o ESCPortugal realiza, esta temporada, a quarta edição do Olhares sobre as finais nacionais, em colaboração com o painel do ESCPORTUGAL Regiões. Depois dos Olhares sobre as galas da Albânia e da República Checa e das audições da Moldávia, a Austrália segue-se na lista de Olhares sobre as Finais Nacionais.

Dez candidatos disputam o Eurovision: Australia Decides 2020, com o público e o júri internacionala escolher os representantes da Austrália no Festival Eurovisão 2020.

Conheça, de seguida, as previsões do painel de comentadores:

 
Adão Nogueira aposta em Vanessa Amorosi com "Lessons of Love"
Este ano, a Austrália volta a apostar numa final nacional demonstrando o seu interesse na continuação do seu sucesso no ESC e cada ano que passa mais me convenço que a sua participação é uma mais valia. Quanto aos concorrente o meu destaque vai para a Montaigne e a Vanessa Amorosi, é ao contrário da maioria das odds a minha aposta vai para a segunda é a sua “Lessons of Love”, pois além de ser uma música fresca, fica no ouvida e a sua maior experiência poderá ser uma mais valia.
 
André Eric-Fernandes aposta em Montaigne com "Don't Break Me"
O ultimo dos países a integrar a nossa festa das canções quer, decididamente, ganhar e sabe bem como fazer. Das 10 propostas, aposto na Montaigne. "Don't Break Me" é uma boa balada pop de ruptura. A emoção está presente ao longo de toda a canção e a artista tem uma bela voz e um estilo moderno, tudo para agradar. Nota: não a ponham a dançar em cima de uma vara ou retiro tudo o que disse!
 
  
André Moreira aposta em Montaigne com "Don't Break Me"
Numa final nacional em que as vozes são o ponto forte de quase todas as composições, destaco como favorita esta "Don't break me " de Montaigne. A meu ver a canção está muito construída e para além de moderna é orelhuda. Gosto da sua estrutura em crescendo e gosto muito da bridge que me reaviva a sonoridade de Florence and the Machine. Superioriza a concorrência nesse sentido embora existam outras com muito potencial, tais como a proposta de Jack, Jaguar e Mitch.
  
Cláudio Guerreiro aposta em Montaigne com "Don't Break Me"
Depois de termos assistido à primeira final australiana no ano passado, o país decidiu continuar com o mesmo método de seleção. De forma geral, o concurso evoluiu em termos de qualidade. No entanto, há uma crítica a fazer: a pouca diversidade de géneros que podemos ouvir. Ainda assim, há uma canção que se destaca das restantes: “Don't Break Me” da Montaigne. É talvez a única que consegue cativar logo a partir dos versos (não esquecendo aquele início de instrumental que parece deixar no ar um certo mistério por uns segundos), caminhando logo para um refrão memorável e que encaixa perfeitamente nesta balada pop.


Diogo Cabral aposta em Jack Vidgen com "I Am King I Am Queen"
O Austrália Decides 2020 tem várias canções que, a meu ver, podem rumar até Roterdão. Todavia, penso que a escolha mais acertada recaia sobre Jack Vidgen e "I Am King I Am Queen". Destaco-o pela mensagem, pelo carisma, pela voz, pela entrega que fará ao vivo à canção. Julgo que, talvez, o ponto fraco desta proposta seja a colagem ao concorrente francês de 2019, Bilal Hassani.
  
Fábio Ventura aposta em Mitch Tambo com "Together"
Sinto que, este ano, a Austrália não se esforçou nas canções que nos traz. Depois da atrocidade cometida no ano passado ao furacão Electric Fields, que aliás declinaram o convite para participarem novamente no Australia Decides, sinto que este ano as músicas em concurso estão longe de provocar estragos na Eurovisão. Apresentam-se timidamente, um lote de dez canções que em geral são genéricas e previsíveis. Somente a canção "Together" do Mitch Tambo é que acaba por destacar-se porque é a única que traz a tradicionalidade da cultura aborígene australiana, à semelhança do que fizeram os Electric Fields. Se a Eurovisão é, ou quer que se seja, palco de diversidade, e se os fãs europeus esperam da Austrália um registo diferente daquele que se faz por cá, parece-me lógico que a Austrália escolha a canção do Mitch, uma canção com potencial para efectivamente marcar a diferença, ainda que o refrão precise de mais algum trabalho. Boa sorte!
 
 
Hugo Sepúlveda aposta em Vanessa Amorosi com "Lessons of Love"
Segunda edição do Australia Decides e demorou até que as músicas criassem algum impacto! Mitch Tambo e Together  têm potencial com os seus traços étnicos, mas o refrão precisava de mais força e Jaguar Jonze escalou até ao meu top 3 subitamente! No meu segundo lugar, Montaigne, com uma voz frágil e poderosa ao mesmo tempo. Em primeiro, Vanessa Amorosi, sendo uma cantora experiente, acredito que seja bem capaz de elevar ainda mais a sua balada ao vivo. Lessons of Love, apesar da sua sonoridade genérica, é uma balada que vai crescendo e consegue apelar ao lado mais emocional, ganhando uma nova dimensão com o vozeirão da Vanessa.
  

 
Nuno Carrilho aposta em Vanessa Amorosi com "Lessons of Love"
Depois de ter uma das melhores finais nacionais do ano passado, a Austrália fica, este ano, um bocado (grande) aquém das expectativas. Contudo, facilmente destaco "Lessons of Love" na competição: uma canção poderosa e moderna, que poderá ganhar muita força com a experiência de palco de Vanessa Amorosi. Destaco também as canções de Casey Donovan e Montaigne. No entanto, a nível geral, a competição ficou muito abaixo da edição passada.
 
Ricardo Leal aposta em Montaigne com "Don't Break Me"
"Don't Me Break" é a única canção que, na minha opinião, é capaz de obter o melhor resultado para a Australia e assim fazer frente a "Zero Gravity" do ano anterior. Uma música forte e com um excelente instrumental deverá ser a escolha da Austrália para este ano.
 
Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 9 comentadores:
 
1.º - Montaigne - "Don't Break Me" - 94 pontos
2.º - Vanessa Amorosi - "Lessons of Love"- 73 pontos
3.º - Micht Tambo - "Together" - 62 pontos
4.º - Jack Vidgen - "I Am King I Am Queen"- 59 pontos
5.º - Casey Donovan - "Proud" - 50 pontos
6.º - Jaguar Jonze - "Rabbit Hole" - 44 pontos
7.º -iOTA - "Life" - 41 pontos
8.º -Diana Rouvas - "Can We Make Heaven" - 35 pontos
9.º -Didirri - "Raw Stuff" - 32 pontos
10.º - Jordan-Ravi - "Pushing Stars" - 32 pontos

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários