ESC2020: Ministro da Cultura de França "espantado" com o uso de inglês na Eurovisão


Franck Riester, ministro da Cultura de França, lamentou a utilização do inglês na canção representante do país em Roterdão: "Os meus ouvidos doeram-me quando ouvi o refrão em inglês".

Apesar de ser a quarta aposta bilingue nos últimos cinco anos, a decisão da France2 em levar uma canção em inglês e francês ao Festival Eurovisão está a causar alguma polémica no país. Franck Riester, ministro da Cultura do país, reagiu à polémica, lamentando a decisão: "É verdade que o refrão em inglês. Os meus ouvidos doeram-me quando o ouvi" referiu em resposta a Jacques Krabal, secretário geral da Assembleia Geral da Francofonia.
  
Contudo, o ministro realça que a decisão "é uma escolha independente da France Televisions", fundamentando-a como "uma estratégica que é tentar obter o Graal, a vitória do evento". Porém, Franck Riester confirmou ter manifestado o seu desagrado junto dos responsáveis pela emissora: "Enviei uma mensagem a manifestar o meu espanto a uma música cujo refrão é em inglês. (...)Mas devemos também dar o exemplo de garantir que França seja levada com orgulho a todos os lugares, mesmo que seja conteúdo francês numa língua estrangeira".
 

França competiu por 62 ocasiões no certame europeu, tendo falhado apenas as edições de 1974 e 1982, sendo um dos países com mais sucesso na competição, com cinco vitórias no histórico (a última remonta a 1977). Vencedor do Destination Eurovision 2019, Bilal Hassani representou França no Festival Eurovisão de 2019 com "Roi". Em Telavive, a candidatura não foi além do 16.º lugar com 105 pontos, 2 deles oriundos do televoto português.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: France2/Imagem/Vídeo:Eurovisiontv

6 comentários:

  1. Anónimo17:23

    O problema da canção é ter compositores suecos, não as partes em inglês, a Eurovisão deveria servir como montra da indústria musical do país e aqui não me parece ser esse o caso

    ResponderEliminar
  2. Anónimo18:14

    Este ministro deve ter acordado agora, desde há muito tempo que a França utiliza o inglês. Exemplo: 2012, 2016, 2017 e 2019 e 2008

    ResponderEliminar
  3. Anónimo18:18

    Eu compreendo eu pessoalmente gosto da eurovisao pela diversidade . Nunca ouço música em servo por exemplo é a eurovisao proporciona isso . Quando todos cantam em inglês a diversidade cultural deixa de existir . A eurovisao parece mais uma americanvision que todos tentam cantar estilo pop americano . Por exemplo a Suécia é dos países com menos personalidade na eurovisao que existe . Não vejo identidade nenhuma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está muito bem visto.

      Eliminar
    2. Anónimo21:17

      Limitar diversidade cultural a língua é muito redutor, o instrumental e o estilo também contam. Uma canção pode estar em inglês e ao mesmo tempo ser étnica no instrumental por exemplo. As canções podem também espelhar o mercado musical atual do país afinal a cultura do presente também é precisamente cultura. Ainda mais, uma canção pode espelhar cultura apenas com a história ou o poema contido na letra.

      Eliminar
  4. E ainda não viu as origens da música

    ResponderEliminar