[ESPECIAL] A "história" do Brasil no Festival Eurovisão


O Brasil está, hoje, em destaque na imprensa mundial com a segunda volta da eleição do novo Presidente da República. O ESCPORTUGAL assinala o dia, recordando a história do país no Festival Eurovisão.


Mais de 147 milhões de brasileiros em todo o Mundo escolhem, hoje, o novo Presidente da República do país. Jair Bolsonaro ou Fernando Haddad: um deles sucederá a Michel Temer, sendo que a eleição está em destaque um pouco por todo o Mundo. Para assinalar o dia, o ESCPORTUGAL traz até si algumas curiosidades sobre a história do Brasil no Festival Eurovisão! Sabia que o país poderá participar no Festival Eurovisão? Ou que uma canção em português e sobre o samba esteve a concurso no Melodifestivalen? Descubra tudo já de seguida:

Brasil pode participar no Festival Eurovisão desde 2016
Em outubro de 2016, a União Europeia de Radiodifusão (EBU/UER) mudou oficialmente as regras do Festival Eurovisão, permitindo a entrada no concurso de todos os membros associados do organismo (até então só os membros efetivos podiam participar no evento, com excepção da Austrália). Esta mudança abriu "as portas" de 19 novos países, apesar que, até ao momento, nenhum deles marcou presença no evento: o Brasil é um dos países, com a Rádio Cultura (Fundação Padre Anchieta) a ser membro associado da EBU/UER desde 2012.

Miriam Christine foi a primeira cantora brasileira a subir ao palco da Eurovisão...
Nascida a 30 de junho de 1978 em Santo António do Descoberto, no estado de Goiás, Miriam Christine foi a primeira brasileira a subir ao palco do Festival Eurovisão. Depois de viver desde cedo na ilha de Gozo, a cantora adquiriu o direito de representar Malta na edição de 1996 com "In A Womam's Heart". Em Oslo, Miriam alcançou o 10.º lugar com 68 pontos, nenhum deles oriundo de Portugal.


... e Laura Rizzotto representou a Letónia em Lisboa
Filha de pai brasileiro-letã e mãe letã com ascendência portuguesa, Laura Rizzotto nasceu a 18 de julho de 1994 no Rio de Janeiro. A viver nos Estados Unidos da América desde 2005, a cantora entrou a concurso no Supernova 2018, final nacional letã para o Festival Eurovisão, algo que foi permitido devido à sua dupla nacionalidade. Em Lisboa, Laura Rizzotto defendeu "Funny Girl", terminando em 12.º lugar na semifinal com 106 pontos, a escassos 5 pontos do apuramento.




João Paulo Peças esteve perto de representar Portugal em Kiev
Integrante do grupo Viva La Diva, ao lado de Luís Peças e Kika Cardoso, João Paulo Peças esteve perto de se tornar o primeiro cantor brasileiro a chegar ao Festival Eurovisão, representando Portugal. O grupo defendeu "Nova Glória" na Grande Final do Festival da Canção de 2017, tendo ficado em segundo lugar na classificação final, apesar de terem sido os favoritos do televoto nacional.




"Brazil" ficou em último lugar na Eurovisão de 1991
Naquela que seria a sua penúltima participação no concurso antes da sua desfragmentação, a Jugoslávia foi representada por Bebi Dol no Festival de Eurovisão de 1991 com... "Brazil". A canção, interpretada em servo-croata, abriu a noite, mas terminou em penúltimo lugar (21.º), recebendo apenas 1 ponto oriundo de Malta. Apesar do mau resultado em Roma, a canção tornou-se um grande sucesso no país, tendo os seus direitos sido vendidos para Itália, Grécia, Bélgica, Holanda e Luxemburgo.


Em português, Simone Moreno tentou representar a Suécia em 2006 ao som do samba...
Simone Moreno, nascida em Salvador a 6 de junho de 1969, esteve a concurso no Melodifestivalen 2006, estando radicada na Suécia há vários anos. A cantora interpretou "Aiayeh (The Music of the Samba)" na primeira semifinal do concurso, sendo a primeira vez que uma canção em português esteve na corrida para representar outro país na Eurovisão. Contudo, a candidatura falhou o apuramento para a fase seguinte, terminando em 8.º lugar na semifinal com apenas 6688 votos, a mais baixa votação da edição.



... e Sean Banan tentou levar "Copacabanana" a Malmö
Inspirando-se em Copacabana, um dos bairros mais conhecidos do Rio de Janeiro, o cantor e comediante Sean Banan levou "Copacabanana" ao Melodifestivalen 2013. Vencedor da segunda semifinal (com a segunda maior marca do concurso), o cantor terminou o concurso na sexta posição na Grande Final com 78 pontos.


"Já fui ao Brasil" é uma das frases mais marcantes da história de Portugal na Eurovisão
Apesar do modesto 16.º lugar dos Da Vinci no Festival Eurovisão de 1989, o tema "Conquistador" tornou-se uma das candidaturas portuguesas no certame mais marcantes junto do público. A canção abordou os descobrimentos portugueses entre 1415 e 1543, mencionando, no refrão, algumas das antigas possessões portuguesas, como Brasil, Praia (Cabo Verde), Angola, Goa, Macau e Timor (referência a Timor-Leste).


"Zé Brasileiro Português de Braga" esteve a concurso no Festival da Canção de 1979
Composta por António Sala e escrita por Vasco de Lima Couto, "Zé Brasileiro Português de Braga" esteve na corrida para representar Portugal no Festival Eurovisão de 1979, ficando em 4.º lugar numa das semifinais do Festival da Canção. A canção, que se tornou num dos maiores sucessos da carreira de Alexandra, conta a história do minhoto José Ramoa que emigrou para o Brasil em meados do século XX.


Mallu Magalhães foi uma das compositoras do Festival da Canção de 2018
Convidada diretamente pela RTP para o concurso de 2018, a cantora e compositora brasileira Mallu Magalhães, nascida em São Paulo em 1992, foi a compositora de "Eu Te Amo", defendido por Beatriz Pessoa na primeira semifinal do evento. A canção terminou em 11.º lugar, ficando de fora da Final, com apenas 4 pontos, todos oriundos do júri. Também em 2018, o Festival da Canção contou com a participação de Pierre Aderne, cantor e compositor franco-brasileiro, como letrista de "Bandeira Azul", canção com que Maria Inês Paris terminou em 12.º lugar na Final do evento.




Caetano Veloso subiu ao palco do Festival Eurovisão ao lado de Salvador Sobral
Durante a Grande Final do Festival Eurovisão de 2017, o cantor brasileiro Caetano Veloso utilizou as redes sociais para apelar ao voto na canção portuguesa, tecendo grandes elogios a Salvador Sobral. Um ano depois, Caetano Veloso e Salvador Sobral interpretaram, juntos, "Amar Pelos Dois", na Grande Final do concurso que teve lugar no Altice Arena, em Lisboa, cuja edição foi acompanhada por cerca de 186 milhões de telespectadores.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL/ Imagem: Google /Vídeo: Youtube

6 comentários:

  1. Anónimo14:41

    Houve um senhor Brasileiro que integrou o grupo Blue TomTom na primeira semi-final do Festival da Canção de 1994.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:04

    Onde foram buscar os 196 milhões de telespectadores?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:48

      186!

      Eliminar
    2. Neusa Creusa19:51

      Óxente! Amei este artigo gostoso! Num sabia desse negócio de tanto correlamento do Brazíu com o ESC. Saravá para meus irmãos das Europa, ué!

      Eliminar
  3. Valeu pela homenagem ESC Portugal ao meu país. Hoje e uma eleição bem difícil aqui. Até ja votei .

    ResponderEliminar
  4. Anónimo00:15

    A Natália Kelly não conta? A mãe dela é brasileira...

    ResponderEliminar