Ehab Bseiso: "Realizar o Festival Eurovisão em Israel é aceitar as violações da ocupação"


O ministro da Cultura da Palestina, Ehab Bseiso, apelou ao boicote do Festival Eurovisão 2019 para que "a cultura seja usada com uma ferramenta para a justiça e não uma ferramenta para a opressão".


O ministro da Cultura da Palestina, Ehab Bseiso, apelou ao boicote, na passada segunda-feira, aos eventos culturais que sejam usados para encobrir a ocupação israelita e as violações para com com o povo palestiniano, referindo-se ao Festival Eurovisão 2019: "Ao ser mantido em Israel, será um crime contra o povo e a cultura palestiniana (...) Apelados a todos os promotores culturais na Europa e em todo o Mundo que façam da cultura uma ferramenta para a justiça e não uma ferramenta para a opressão".

Na conferência de imprensa em Ramallah, o político enalteceu a lista de cantores que boicotaram publicamente a edição de 2019 do Festival Eurovisão em prol do povo da Palestina: "Procuramos que a Eurovisão seja um concurso para promover a cultura e a arte. Mas qualquer canção que suba ao palco em Israel será utilizada para a promover a ocupação... Apelo a todos os participantes para prestarem atenção ao sofrimento e à agonia do nosso povo. Realizar este evento é um passo para aceitar as violações da ocupação. Mas a Palestina não está sozinha!".

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Wafa / Imagem: Google

Sem comentários