Justice: "O Festival da Eurovisão é um concurso horrível"

A dupla francesa Justice não poupou nas críticas ao Festival Eurovisão aquando da sua participação no Super Bock Super Rock  em Lisboa: "Não percebi a razão porque ele [Sébastien Tellier] aceitou participar no concurso".

Justice é uma dupla de música eletrónica francesa formada por Gaspard Augé e Xavier de Rosnay que se tornou conhecida do grande público em 2006, com o seu remix de Never Be Alone, tema original de Simian Mobile Disco. No ano seguinte a dupla foi nomeada para um MTV Europe Music Awards e um Grammy.

A dupla foi convidada para participar na edição deste ano do Super Bock Super Rock, que teve lugar na Altice Arena. A imprensa portuguesa que teve oportunidade de privar com os músicos perguntou-lhes o que acharam da vitória de Salvador Sobral na Eurovisão e a sua opinião sobre o evento europeu. Os Justice responderam com "quem?" à pergunta sobre Salvador Sobral e não pouparam nas palavras sobre o evento europeu: "A Eurovisão é horrível!”. E não o terá sido menos quando Sébastien Tellier, artista francês também nascido na área da eletrónica, participou em 2008. “Foi divertido vê-lo, mas ao mesmo tempo não percebemos porque é que ele decidiu fazer aquilo”.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Sapo.pt /Imagem: Google / Vídeo: YouTube

9 comentários:

  1. Anónimo23:10

    Foi 2008 e nao 2009.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo00:11

    Estes cantores ficaram presos nos anos da década de 2000 da Eurovisao.. e acham que agora é igual, não é!!! A qualidade das musicas melhorou e muito, é mais atual

    ResponderEliminar
  3. Luis Andre Santos00:52

    esta música deles ("D.A.N.C.E.")é a do "postcard" da Vânia Fernandes no FC2008 ... :)

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente há muitos músicos que pensam assim, isto é mais uma prova que não é só em Portugal que existe Preconceitos da eurovisão na classe dos músicos famosos, até Compreendo essas criticas, há canções com qualidades duvidosas depois que ficam boas classificações e outra cosia, duvido recentes polémicas no certame, os músicos conhecidos já não tem um grande interessante para eurovisão por muitas vezes acaso as polémicas no eurofestival, infelizmente é a realidade que vivemos e que é uma pena.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo20:51

    O preço da falta de credibilidade musical fora da bolha eurovisiva fará sempre com que o mundo da música olhe para a Eurovisao como algo absolutamente obsoleto. O que o fas n percebem é o contributo que eles mesmo fazem para agravar essa situação. Gostar de Britney Spears e querer o mundo olhe para ela como quem olha para uma Nina Simone ou Ella Fitzgerald é uma metáfora que fala por si quando pensamos na Eurovisão. Há pessias q amam música má e não se importam ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo06:00

      Discordo desta opinião, não acho que seja pelo gosto musical dos fãs que a eurovisão que esta não têm credibilidade.
      Quem é fã da eurovisão acaba por ter um gosto musical eclético ou senão o têm, acaba por o adquirir com o tempo.
      O problema na Eurovisão é, e sempre foi, quem vence a eurovisão e quem fica no top.
      Essas vitórias raramente se transformam em sucesso musical, são vitórias na bolha eurovisiva e ficam na bolha.
      Nenhum dos vencedores dos últimos 10 anos conseguiu ter sucesso internacional, tirando o Salvador, nenhum deles alcançou o top de cds vendidos em Portugal. Atrevo-me a dizer que a única banda que participou na eurovisão e fez sucesso fora do meio foram as Tatu

      Eliminar
    2. Em outros anos outros grupos, cantores ou canções alcançaram tops internacionais... caso do Modigliano Modugno, Mocedades com “eres tu”; ABBA; entre muitos outros... a questão, penso eu, e posso estar errado, é o controlo que a indústria discográfica passou a exercer nos meios de divulgação, rádios por exemplo, e nesse aspecto as declarações do Salvador até são bastante acertadas.
      Nós só ouvimos o que nos deixam ouvir ou o que nos dizem que é bom. Ora a Eurovisão não escapa a essa realidade, embora ainda no outro dia tenha ouvido na rádio a música da Bulgária de 2017...
      o fenómeno Eurovisão é e será sempre polémico por ser eminentemente uma competição de países antes de ser um festival de música... e também por se continuar a apostar em fórmulas ditas vencedoras... e também porque antes de tudo o Festival é um espetáculo televisivo onde a música é muitas vezes acessória a uma cenografia espetacular que visa criar impacto visual mais do que impacto musical...

      Eliminar
    3. Também acho que seja esse um dos problemas da eurovisão, nos últimos anos só houve duas canções vencedoras que conseguiram sucessos musicais, que foram Euphoria e Amar Pelos Dois, só essas canções, mais nenhuma canções vencedoras saíram na bolha eurovisiva, acho mais é culpa nas indústrias discográfica, deviam investir mais os artistas na eurovisão, posso estar enganado mas vejo assim esse problema da eurovisão!

      Eliminar
  6. Anónimo21:07

    Esta cançoneta dos Justice é hor-rí-vel!

    O contrato de divulgação na indústria discográfica é que nos quer impor esta coisa como música boa... Treta!

    ResponderEliminar