Israel: "Eurovisão em Jerusalém não é um dado adquirido", reconhece Ministério da Cultura

Responsável do Ministério da Cultura e Desporto, Yossi Sharabi, garante que não é seguro que o Festival Eurovisão da Canção 2019 seja em Jerusalém.

A vencedora do Festival Eurovisão da Canção 2017, Netta Barzilai, afirmou em pleno discurso da vitória em Lisboa: "Vemo-nos no próximo ano em Jerusalém!". Também o primeiro-Ministro de Israel proferiu um discurso semelhante logo depois. Contudo, Yossi Sharabi, diretor geral no Ministério da Cultura e Desporto de Israel, reconhece que esse facto não é uma garantia. "Eurovisão em Jerusalém? Isso não é um dado adquirido", afirmou este alto responsável no canal de televisão Sports 5, a propósito do cancelamento do jogo da seleção de futebol da Argentina, publicado AQUI. E acrescenta: "Ainda é cedo para falar nisso. Toda a gente quer que seja em Jerusalém. Mas poderão haver outras hipóteses a considerar".

A decisão final quanto à cidade anfitriã do Festival Eurovisão 2019 é da responsabilidade da UER/EBU, em articulação com as autoridades de Israel. Questões de segurança poderão, pois, inviabilizar a realizar do festival em Jerusalém. Mas não só: as regras restritas do cumprimento do Sabat poderão inviabilizar o cumprimento dos espetáculos ligados à Eurovisão, nomeadamente o Familiy Show e o Jury Show, já que o Sabat obriga a descanso obrigatório a partir do pôr-do-sol da sexta-feira até o pôr-do-sol do sábado. A este propósito, o líder do partido ortodoxo e o vice-ministro da Saúde, escreveram cartas ao Ministério da Cultura "exigindo" que o Festival Eurovisão da Canção 2019 não viole as regras e as leis da Igreja.

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: HAARETZ /Imagem: GOOGLE

Sem comentários