Israel: Argentina cancelou jogo de futebol em Jerusalém

A seleção nacional de futebol da Argentina cancelou a sua participação num jogo de futebol de preparação para o Campeonato do Mundo de Futebol. Esse jogo iria decorrer contra a Seleção de Israel na cidade de Jerusalém, no próximo sábado. 


A equipa da Argentina decidiu cancelar o jogo de futebol na sequência da campanha do movimento BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções) contra Israel "devido à ocupação dos territórios palestinianos", le-se num comunicado emitido pela seleção desse país da América Latina. Lionel Messi (na foto) é uma das estrelas dessa seleção. O presidente de Israel, Reuvén Rivlin, mostrou-se muito preocupado pela decisão da Argentina de cancelar o jogo, que iria decorrer em Jerusalém, considerando que se trata de um caso político. "É, na realidade, uma manhã triste para os adeptos, incluindo para os meus netos. Há valores que são mais altos do que Messi. A politização por parte da Argentina preocupa-me muito", refere um comunicado da presidência israelita. "Mesmo nos momentos mais difíceis, fizemos sempre os possíveis para deixar fora do campo as considerações que não eram exclusivamente desportivas. É uma pena que a equipa da Argentina não tenha sido capaz de o fazer, desta vez", acrescenta a nota de Reuvén Rivlin. 

A decisão de transferir o jogo amigável de Haiva para Jerusalém, enquadrado nas comemorações dos 70 anos da criação do Estado israelita, intensificou a campanha do BDS, que considera que a cidade está ocupada em violação do direito internacional. Segundo o vice-presidente da Federação de Futebol da Argentina, as ameaças às famílias dos jogadores motivaram o cancelamento do encontro. “O que acontece nestes lugares, em que se mata tanta gente, não valia a pena. As famílias dos jogadores estavam a ser ameaçadas”, afirmou o vice-presidente da AFA à Radio 10, citado pelo La Vanguardia. De acordo com o jornal Guardian, o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu terá ligado a Mauricio Macri, Presidente argentino, para convencer a seleção a mudar de ideias e não cancelar o jogo amigável. 

O jogo entre a Argentina e Israel estava a ser muito aguardado — os bilhetes esgotaram em apenas 20 minutos.

Recentemente, demos eco de diversos artistas e outras personalidades que cancelaram atividades em Israel pelos mesmos motivos, como pode recordar AQUI.

Recorde-se que Jerusalém é apontada como a próxima cidade-sede do Festival Eurovisão da Canção, sendo certo que ainda não foi tomada qualquer decisão pela UER/EBU.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: JN, OBSERVADOR /Imagem: GOOGLE 

7 comentários:

  1. Rui Ramos21:27

    Tenho serias duvidas que o ESC seja em Jerusalem

    ResponderEliminar
  2. Anónimo11:07

    Tambem eu.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo11:35

    Já agora, qual a relação desta notícia com o ESC?
    Não me lembro de ter visto por aqui notícias sobre a anexação da Crimeia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo: todas as notícias que têm a ver com a instabilidade vivida no país vencedor do ESC2017 têm, necessaria e obrigatoriamente, espaço no ESCPORTUGAL. Em relação à Crimeia, vamos avivar-lhe a memória com este exemplo, mas podiamos publicar muitos outros: http://www.escportugal.pt/2016/02/ucrania-autoridades-da-crimeia-pedem.html

      Gratos pela atenção

      Eliminar
  4. Anónimo16:22

    E acho que esta e outras seleções deviam fazer o mesmo em relação ao campeonato do mundo na Rússia - ou será que há anexações e anexações, umas mais legítimas que outras?...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16:32

    Se o conflito armado Israel/Palestina continuar, tenho quase a certeza que o ESC 2019 não será realizado em Jerusalém, ou então se for deverá ter poucos países representados.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:13

    Obrigado "ESC PORTUGAL Notícias" por ir avisando destas situações; Eu tinha andado a ver preços de voos e hotéis, que não são baratos, pondero até já nem ir para um país tão inseguro...

    ResponderEliminar