Ola Melzig e Tobias Åberg estão na equipa de produção do Festival Eurovisão da Canção 2018, a decorrer em Lisboa em maio de 2018.

Ola Melzig representa a empresa M&M Production e, de acordo com os últimos desenvolvimentos, será um dos produtores do Festival Eurovisão da Canção 2018 a decorrer em Lisboa. Irá partilhar a função com Tobias Åberg. Ambos estão a trabalhar nas instalações da RTP, em Lisboa, há alguns meses, mas em permanência desde esta semana. Uma foto publicada nas redes sociais não deixa dúvidas:


Ola Melzig é sueco e tem estado ligado, desde 1989, aos mais variados eventos e grandes produções televisivas, como o Festival Eurovisão da Canção, Cerimónia dos Prémios Nóbel ou os Jogos da Commonwealth. Está intimamente ligado ao Festival Eurovisão desde 2000, precisamente sediado na Suécia. 2018 será o seu 18.º Festival Eurovisão. Numa entrevista recente, que pode recordar AQUI, afirmou que a sua pior experiência eurovisiva foi na Rússia.

Tobias Aberg representa a empresa T-Light Design. É também sueco. Tem estado ligado a outras edições do Festival Eurovisão como técnico responsável pela estrutura e implementação do espetáculo. 

A equipa completa de produção do Festival Eurovisão 2018, que deverá incluir 8 pessoas, ainda não foi divulgada pela RTP ou pela UER/EBU, aguardando-se por desenvolvimentos em breve.



 Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem Topo: GOOGLE /  Imagem baixo: OLA MELZIG

14 comentário(s):

  1. Ricardo Alves09:20

    O êxito do esc esta nas maos de suecos . Ainda bem. 😊

    ResponderEliminar
  2. Ingrid Alderson10:58

    que bom. se entregassem aos produtores dos anteriores fc, ia ser uma grande porcaria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:04

      Ai sim? Porque? A unica coisa que nao vi bem feita na produção deste ano foi a junção do aniversário da RTP com o Festival da Canção, que o tornou longo demais. De resto? Nada a apontar. Querem os Portugueses ser reconhecidos, quando nem os proprios se valorizam? Uma tristeza...

      Eliminar
    2. Anónimo20:54

      13:04 Não se trata disso, até os estrangeiros acharam a produçao muito antiquada. Para alem de nos valorizarmos ha que ter sentido critico, não é so valorizar porque é nosso.

      Eliminar
    3. a RTP faz um péssimo trabalho...2010 esforçou-se de resto não.
      É só ver a performance das canções que passaram à final. A realização o trabalho de camara é sempre diferente. Ou seja ng na equipa da RTP prepara a sério a apresentação de uma canção na tv. Cada vez que a mesma canção é apresentada, a realização é diferente. Isto sem falar das várias canções que prepararam uma coreografica e a reaização da RTP pura e simplesmente nem a filmou...

      Eliminar
  3. Rui Ramos13:08

    Fico contente. os suecos sabem como se faz

    ResponderEliminar
  4. Anónimo15:17

    Espero que o conceito de base parta da RTP e sobretudo da equipa do ano passado e daí desenvolvam criando algo de novo, algo de bem diferente, um glamour mais de sul de Europa... Algo mais clássico, mais centrado nas canções que realmente distinga Lisboa2018 dos anos anteriores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mais clássico? Tipo mais pobrezinho e discreto?

      Eliminar
    2. Anónimo00:59

      Se desconhece o sentido da palavra, por que raio comenta?

      Eliminar
  5. Anónimo20:25

    Fico feliz mas gostava que não fossemos tão dependentes, depois se correr bem vão dizer que foi graças aos suecos. Mixed feelings.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:44

      Concordo.

      Eliminar
    2. Anónimo23:03

      Sim acertou

      Eliminar
    3. Anónimo01:02

      Não acertou nada. A parte criativa é um trabalho de equipa e sempre com intervenção da organização nacional. A RTP vai querer algo diferente, que faça a diferença para melhor. Acho bem.

      Eliminar
    4. Anónimo01:29

      Eurovisionspain:

      Además de los suecos, ocho personas más completarán el grupo de profesionales para dar vida a la próxima 63ª edición del certamen.

      Los suecos Ola Melzig y Tobias Aberg compartirán la producción ejecutiva de Lisboa 2018. Ambos se encuentran trabajando para explotar al máximo las instalaciones del estadio del Parque das Nações de la capital portuguesa.

      Los otros nombres serán revelados por la anfitriona RTP y la Unión Europea de Radiodifusión (UER) en las próximas semanas.

      Portanto, a parte técnica caberá aos suecos... A criativa não.

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top