A OGAE Portugal realizou, esta tarde, uma apresentação, aos media, da canção portuguesa no Festival Eurovisão. Salvador Sobral, Luísa Sobral e Carla Bugalho foram os convidados da sessão. O ESCPORTUGAL marcou presença e conta-lhe tudo.

Realizado num dos edifícios circundantes da Praça do Município, em Lisboa, a OGAE Portugal realizou, esta tarde, um Porto de Honra com o intuito de apresentar a canção portuguesa no Festival Eurovisão aos orgãos de comunicação e sites acreditados pela organização. A iniciativa contou com  a presença do intérprete Salvador Sobral, da compositora Luísa Sobral e da chefe de delegação da RTP, Carla Bugalho, como convidados da organização.


Pedro Sá, participante no programa Extraordinários, foi o apresentador da sessão, tendo felicitado todos os presentes antes da chegada dos convidados. Enalteceu a presença de representantes das embaixadas da Finlândia e da Ucrânia, algo que levou a que fossem projetados os videoclips oficiais das candidaturas dos dois países no Festival Eurovisão 2017.

José Carlos Garcia, presidente da OGAE Portugal, foi o primeiro a intervir, afirmando que a associação "procura apoiar a canção representante com todos os possíveis", anunciando que serão organizados outros eventos de apoio a Salvador Sobral, tanto em Portugal como em Kiev, com o intuito de fazer chegar "a nossa canção o mais longe possível e a um maior público possível".




Compositora da canção vencedora "Amar pelos dois", Luísa Sobral, admitiu "não ter seguido as edições anteriores do Festival da Canção e da Eurovisão" algo que, segundo a própria, foi uma vantagem para todo o processo. "Talvez tenha sido uma das razões por termos estado tão relaxados durante todo este período (...) não foi de uma forma displicente, mas sim relaxada". A génese da canção e a recepção da mesma junto do público foram também abordadas pela cantora, que confessou ter "existido algo que me ultrapassou": "há rádios que nunca passaram a minha música, nem do meu irmão e muito menos do Festival da Canção... mas de repente as três coisas juntas fizeram sentido e é a excitação total quando lá vamos" frisando a recente participação na Rádio Comercial (AQUI).

Admitindo que "não tinha noção da dimensão do Festival da Eurovisão", Salvador Sobral descreveu "Amar pelos Dois" como uma "bela canção que é como um tartare no meio de hambúrgueres",  que motivou uma gargalhada coletiva dos presentes. Agradecido à RTP pelo investimento na edição deste ano no Festival da Canção, o representante de Portugal em Kiev sublinhou estar a viver um ponto alto da sua carreira, mas com um sentimento agridoce: "Muitas das salas que me haviam recusado, agora ligam-me a dizer que têm vagas já em abril". Fã da canção representante de Itália, "a única que gostei das que ouvi", Salvador confessa identificar-se com Francesco Gabbani por ser "um cantor fora da caixa".

Salvador Sobral cantou, Luísa Sobral tocou "Amar pelos dois", numa versão acústica com um toque diferente. O ESCPORTUGAL transmitiu em direto esse momento, através de smartphone. Pode ver ou rever este momento AQUI.

Carla Bugalho, chefe de delegação da RTP junto do Festival Eurovisão, também marcou presença na apresentação, realçando o esforço da estação portuguesa na edição deste ano do Festival da Canção que culminou com a escolha de uma "grande canção": "A vitória do Salvador Sobral aumentou ainda mais o sucesso desta edição". Não pondo de parte uma possível vitória de Portugal em Kiev (como pode recordar AQUI), Carla Bugalho admite, contudo, que o principal objetivo é conseguir o melhor resultado de sempre no Festival Eurovisão. 

A representante de Portugal no Festival Eurovisão 2014, Suzy, a viver atualmente em Espanha, enviou uma mensagem de apoio ao representante de 2017, Salvador Sobral. O vídeo foi transmitido no ecrã, merecendo os aplausos da assistência.

A RTP transmitiu em direto a conferência de imprensa para o facebook do Festival da Canção. O vídeo AQUI.



Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte/Imagem/Vídeo: ESCPortugal

16 comentário(s):

  1. Anónimo01:22

    A Suzy está a viver em Espanha? Porquê? :O

    ResponderEliminar
  2. Anónimo01:37

    Para quando o CD no Festival da Canção no Spotify? É uma vergonha que passado tanto tempo do fim do Festival da Canção apenas tenhamos a versão de estúdio da canção vencedora... Falta de respeito pelo público.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo02:00

    Vamos agora bancar os patinhos feios, nunca nos ligaram antes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Menos anónimo...

      Eliminar
    2. Anónimo10:08

      8:32 - Menos anónimo do que quê?

      Eliminar
  4. Anónimo05:57

    "Um tartar no meio de hambúrgueres". Ora aqui está uma frase a usar nas conferências de imprensa em Kiev. Será muito apreciada. Quanto à mudança de atitudes no chamado "showbusiness", com salas e estações de rádio a acolhê-lo quando antes o ignoravam, é a vida. Nos anos 60 e 70 canções com letras que incluíssem versos como "Ouve as minhas preces / peço que regresses" ou "Se alguém perguntar por mim / Diz que vivi para te amar" eram chamadas de nacional-cancenotismo; hoje são "tartar no meio de hambúrgueres". É a vida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lis Assiada08:39

      Preferias que os versos fossem "foi bijuteria" e "diva da rua "? Ou então "saltar a fogueira"? 😁😁😁

      Eliminar
    2. Anónimo10:07

      8:39 - Não conheço canções (falha minha, porque, se as menciona, é porque existem) com "foi bijuteria" e "diva da rua", mas devem andar (em termos de letra; não me refiro à música ou às interpretações, porque não creio conhecê-las) ao nível de "se alguém perguntar por mim / Diz que vivi para te amar". "Sol de Inverno" era considerada "nacional-cancenotismo", acredite. Pergunto-me tantos anos depois, se a sua letra é inferior a esta canção de 2017 ou às que refere. Mudam-se os tempos... É a vida...

      Eliminar
    3. Anónimo15:50

      Sim, humildade é o que não lhes falta... uma "simplicidade e genuidade" deveras comovente ;-) esperemos que não venham lá de Kiev como os outros "hambúrgueres" mal passados e feitos em picadinho... já foi tempo a que lhe isto chamaríamos "snob pretensiosismo" Mudam-se os tempos... é a vida...

      Eliminar
  5. Anónimo07:43

    Num texto tão grande as únicas coisas que reteram foram...patinhos feios....A suzy em espanha e versão estúdio dos outros??? Que belo apoio à nossa participação....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:11

      O texto não é "tão grande"; é informativo, o que é diferente. Uns retiveram umas coisas, outros retiveram outras, o que é normal. Se o texto fosse menor, obviamente que se teriam retido menos coisas.

      Eliminar
  6. Anónimo11:00

    "Um tartar no meio de hambúrgueres. "Bom, parece que "Amar pelos dois" já conquistou o prémio de obra-prima do ano! Brindemos aos hambúrgueres no meio dos tartares! E viva a liberdade de expressão! :)

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11:55

    Acho que nesta altura do campeonato já deviam ter ultrapassado o estigma do "não sabia desta dimensão da Eurovisaão e tal". Ultrapassem isso e façam um performance de jeito!!!!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo16:31

    Os Sobral devem é começar a ver os festivais da Eurovisão de 2002 para cá, umas boas tardes de Domingo e serões... maneira de se porem ao diapasão.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo18:43

    Gostei do artigo. Detestei os comentários em geral. Cheios de fel, gente azeda e bota-abaixista por princípio. Que imagem dão os eurofãs... Até parece que é todos os anos que uma canção portuguesa está no TOP5 das apostas, com rácios de likes entre os 83% e os 92%!

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top