Carla Bugalho, chefe de delegação da RTP no Festival Eurovisão, não descarta que Portugal receba o concurso num futuro próximo, recordando o papel fundamental da emissora nacional na organização de grande eventos nacionais e internacionais. O ESCPORTUGAL esteve, ao final da tarde, na conferência de imprensa promovida pela OGAE Portugal.

Naquela que será a sua segunda participação no Festival Eurovisão como chefe de delegação da RTP, Carla Bugalho foi uma das convidadas da conferência de imprensa de apresentação da canção portuguesa, organizada ao final da tarde pela OGAE Portugal. Evento que também contou com a presença do intérprete Salvador Sobral e da compositora Luísa Sobral.

Sobre o esquema organizativo do Festival RTP da Canção deste ano, Carla Bugalho confessou que "o modelo do Festival da Canção 2017 correu bem, mas não quer dizer que não haja modificações para os próximos anos", reforçando a ideia de que ainda é prematuro falar da edição de 2018, não obstante ter sido questionada nesse sentido. "O Festival é um produto nosso", sublinhou. "É sempre uma aposta nossa. Quando este não aconteceu foi porque achámos que não estávamos preparados para o fazer da melhor forma ou não havia condições financeiras para que acontecesse no seu melhor", reconheceu.

Questionada sobre se a RTP estará empenhada e interessada em receber o Festival Eurovisão em Portugal, Carla Bugalho teve resposta imediata: "Claro que sim... assim que ganhemos!" E continuou: "Neste momento não estamos a preparar nada para o próximo ano. Interessa-nos agora em levar a melhor participação possível para Kiev" respondeu quando abordada sobre os planos da estação para a 'crescente onda de interesse' em torno do concurso, admitindo que a "melhor classificação de sempre é o que queremos em Kiev".

Contudo, a chefe de delegação da RTP foi mais longe e garantiu que a emissora portuguesa tem todas as condições para receber o Festival Eurovisão: "Já organizámos um Euro 2004 como host broadcaster: 10 estádios e 31 jogos. Fizemos tudo exemplarmente! Por isso, organizar o Festival Eurovisão seria bastante fácil".


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte/Imagem: ESCPortugal

8 comentário(s):

  1. Anónimo23:30

    Vamos lá trazer o caneco!!!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo00:11

    Assim dá gosto... É uma nova postura que trará os seus frutos...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo00:18

    Uma coisa e certa se organizamos o euro2004 tambem se faz a eurovisao num estalar de dedos agora o que preciso e apostar em boas musicas para mandar para que o que o portugal esta muito aquem de conseguir...

    ResponderEliminar
  4. Anónimo01:07

    Os suecos mandam, por isso nao ha que preocupar

    ResponderEliminar
  5. Anónimo09:47

    É bom ver que a RTP demonstra um pouco mais de abertura e sangue na guelra.

    Contudo, a posição da RTP enquanto host broadcaster no Euro 2004 é muito diferente daquela que viria a assumir enquanto organizadora do ESC. Desde logo porque recai em si o essencial da organização logística do espectáculo, para lá naturalmente de todo o lado de produção (e do encargo financeiro inicial).

    ResponderEliminar
  6. Anónimo16:40

    "Organizar o Festival Eurovisão seria bastante fácil", anedota do ano!! É fácil fazer o amadorismo do FC, com um som péssimo e uma realização rasca... Tudo tão, tão, tão amador! Um ESC obriga a respeitar as exigências de profissionalismo da EBU! A RTP tem ainda muito caminho para calcorrear para chegar ao nível exigido para um evento como o ESC (também tem tempo, já que não vai ser para o ano)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:30

      A RTP é das melhores estações dentro da EBU... E mais, Portugal é de fato um dos melhores países em infraestruturas para organizar um evento como o ESC... Mesmo que o Meo Arena nao seja suficiente, temos estádios facilmente adaptáveis... E temos as melhores infraestruturas hoteleiras... Em termos de folha de rendimentos e gastos temos todas as condições para uma organização lucrativa no proprio evento... Isto para não falar do impacto na promoção e atração de turismo... Poucos são os países que podem investir num ESC com uma componente de risco de negócio tão baixa... O que falta é visão estraegica e de negócio, não da RTP mas do País... É um desígnio Nacional que teria de ser abraçado politicamente ao mais alto nivel... Mas ja estivemos mais longe... Isso nota-se...

      Eliminar
    2. Anónimo00:20

      Não sei quem o "iluminado" que se julga mais sabedor das reais capacidades da RTP. Para começar o projeto de organizar um ESC não é de um canal de TV mas sim de um país, o governo terá sempre de apoiar e com toda a certeza que iria disponibilizar todos os meios para que tudo decorresse conforme o esperado. Se países como a Estónia, Letónia, Sérvia conseguiram organizar o ESC porque não Portugal? Por acaso somos inferiores? Claro que não, mas provincianismo de muitos fãs dá nisto..... SC

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top