Tal como anunciámos AQUI, apresentamos nestes primeiros dias do ano uma série de artigos especiais como balanço do ano de 2016. Hoje, damos destaque aos novos lançamentos musicais do ano, por parte de artistas e músicos estrangeiros. Nomeamos os 10 discos do ano, por parte de diferentes artistas, de diferentes países e gerações. 


AMIR – AU COEUR DE MOI

Lançado a 29 de abril, às portas de participar no Festival Eurovisão 2016, “Au cœur de moi“ é o álbum de Amir. O álbum inclui 12 faixas, canções em inglês e francês, entre as quais a canção com a qual vestiu as cores de França em Estocolmo, “J’ai cherché”. Todo o álbum é bastante cool, com uma batida que nos faz sentir bem, muito ao estilo boa-onda do intérprete. “Ma vie, ma ville, mon monde” é um dos melhores temas do álbum: 



CELINE DION – ENCORE UN SOIR


"Encore un soir" é um bonito tributo de Celine Dion ao seu marido, Rene Angelil, desaparecido em janeiro do ano passado. Trata-se do primeiro CD francófono da artista canadiana em quatro anos de carreira. O CD inclui 12 faixas, mas a edição "deluxe" inclui outros três. No álbum podemos ouvir temas de autoria da própria Céline, mas também de Jean-Jacques Goldman, Nelson Minville, Marc Dupré, entre outros. As canções continuam a ser cantadas com paixão e amor. A voz poderosa de Céline é de cortar a respiração, sobretudo nalgumas notas inatingíveis pela maioria dos cantores. 



IL VOLO – NOTTE MÁGICA


Piero Barone, Ignazio Boschetto e Gianluca Ginoble, ou seja, os Il Volo lançaram um novo CD muito especial. O produto é um tributo aos Três Tenores com a épica apresentação dos jovens italianos em Florença, na Itália, com a presença da orquestra do famoso Teatro Massimo di Palermo, dirigida pelo maestro Ramón Tebar, e a participação especial do tenor espanhol Plácido Domingo, que integrou Os Três Tenores ao lado de José Carreras e Luciano Pavarotti. 



AMINATA – RED MOON


Lembra-se de quando a Letónia alcançou, finalmente, o sucesso no Festival Eurovisão com Aminata Savadogo cantando ‘Love Injected’ em 2015? No ano passado, a cantora esteve em verdadeira atividade lançando “Red Moon” um álbum com 8 temas. Com “Red Moon” a artista mantem-se fiel aos sons eletrónicos, embora desta vez a batida será mais dançável. É catchy, bem produzido e, uma vez mais, mostra o seu talento e invulgaridade vocal. 



MÅNS ZELMERLÖW – CHAMELEON


Depois do álbum “Perfectly Damaged”, lançado pouco depois da sua vitória no Festival Eurovisão 2015, Mans Zelmerlow editou em 2016 “Chameleon”: São 10 faixas de puro pop radio friendly! “Glorious” é a canção que merece o nosso destaque, sendo a abertura do álbum. ‘Round Round’ é a única colaboração do álbum, um dueto com a cantora dinamarquesa Nabiha. 



RAPHAEL - INFINITOS BAILES


“Infinitos bailes” foi editado em 2016 por Raphael, um dos artistas espanhois com uma carreira mais longa. Foi apresentado a 22 de novembro num concerto intimista em Madrid. Para este trabalho, Raphael optou por escolher um reportório de compositores jovens, dos quais destacamos Veja, Dani Martin e Enrique Bunbury.

  


SIRUSHO – ARMAT


Lançado no último trimestre do ano, “Armat” (Raizes em português) é o 5.º álbum de estúdio de Sirusho. Pop com fusão da música tradicional do Cáucaso, num mix de sons, cores e ritmos com arranjos contemporâneos que costumam agradar ao público eurovisivo. São 13 faixas, das quais destacamos “Zartonk”:

  


LORDI – MONSTEREOPHONIC (THEATERROR VS. DEMONARCHY)


Difícil de acreditar que os Lordi já têm 8 álbuns de originais, sem nunca perder a sua essência e a surpresa de cada audição ou aparição. O novo álbum tem duas partes, a primeira mais rocky e a segunda mais conceptual. Para além de tudo, é um trabalho divertido , sentimo-nos em permanente Halloween!

   


JAMALA – 1944


O álbum de estreia da cantora ucraniana Jamala, cuja canção vencedora da Eurovisão 2016 lhe dá título, é uma boa coletânea de canções cantadas em inglês e na sua língua mãe que mostram a diversidade de sons e géneros musicais que abraçam a sua carreira. Demonstra, de igual modo, que Jamala não é uma artista vulgar. “1944” abre, também o álbum. Jazz, pop, soul e R’n’B cantam-se aqui com emoção e criatividade. 



POLINA GAGARINA – 9


“9” é o primeiro álbum de originais lançado por Polina Gagarina nos últimos seis anos. O novo trabalho mostra uma maior maturidade e melhor produção que o anterior. São 12 faixas, a primeira metade cantada em russo e a segunda em inglês. Pop e funky dominam o trabalho. Contudo, na nossa opinião, não há nenhuma canção que suplante “A million voices” da Eurovisão 2015. 





                                    Acompanhe todos os artigos do ESPECIAL 2016 AQUI 


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem: ESCPORTUGAL / Vídeo: YOUTUBE e VIMEO

2 comentário(s):

  1. Ricardo Alves15:44

    Uma boa seleção. Amir e Celine Dion são, para mim e por motivos diferentes, o n.º 1 ex-aequo

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:34

    Mans (f)

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top