Slider

[Olhares sobre o Vidbir 2023] Quem representa a Ucrânia no Festival Eurovisão 2023?

A sétima temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais arranca com escolha da Ucrânia para o Festival Eurovisão 2023. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no Vidbir 2023?


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, e depois do sucesso da edição da temporada passada do Olhares sobre as Finais Nacionais, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma nova edição alargada da iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

A edição deste ano do Olhares sobre as Finais Nacionais arranca, hoje, com a escolha da Ucrânia, país vencedor em títuloDez candidatos estão na corrida para representar a Ucrânia no Festival Eurovisão 2023 em Liverpool, sendo que a votação estará a cargo de um júri de três elementos e do televoto. Os vários integrantes do painel do ESCPORTUGAL Regiões foram desafiados a votar nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar a Albânia em Turim.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:


Jerry Heil - "When God Shut The Door" - 5 pontuações máximas

Adão Nogueira - Após a vitória deste ano a Ucrânia decide presentear-nos com a primeira final nacional. Como não poderia deixar de ser o Vidbir está de volta, esperando que este ano sem confusões nem percalços. Com uma aposta em 10 temas muito diferentes onde se ouve o inglês mas também muito ucraniano e ainda bem. Como seria de esperar os temas iam andar muito à volta do que se passa no país nos últimos tempos. Depois de ouvir todas as músicas, Jerry Heil destaca-se com “When god shut the door”. Jerry Volta uma vez mais à competição mas desta vez com uma proposta bem mais madura e bem trabalhada. Apresenta uma música que conjuga um pop obscuro com rap não perdendo o etnicismo característico do país mas que apesar de tudo acaba por tentar passar esperança e que no final nos deixa a pedir por mais. De certeza, capaz de nos dar um grande momento em palco.

Hugo Sepúlveda - Ucrânia encerrou a temporada eurovisiva de 2022 e agora dá início à saga das finais nacionais de 2023! O Vidbir está de volta, mas não tão forte como de costume! Jerry Heil tomou a dianteira na popularidade e é também a minha aposta para vencer o Vidbir. “When God Shut the Door” é um título bem sonante e é daquelas canções que facilmente associamos à Ucrânia! Uma “mixórdia” bem conseguida de sonoridades, onde o estilo moderno se funde com toques mais étnicos e, neste caso, ainda se alia a um canto operático que nos soa bem familiar, o que torna tudo ainda mais “catchy”. Caso ganhe, tem potencial para um bom ‘revamp’ ucraniano! Menção honrosa para Krutь, que nos traz  “Kolyskova”, uma das canções que considero ter grandes hipóteses de crescer ao vivo!

Marcel Pessoa - Começamos mais um ano eurovisivo e outra vez tomam da Albânia o título de primeira canção selecionada. Foi-se a tradição ao que parece. Confesso que esperava bem mais da Ucrânia. Após a vitória imaginei que viriam com força máxima para a Eurovisão 2023, porém achei a seleção de canções pouco inspirada. Dito isto, meus doze pontos vão à Jerry Heil. Para mim é a proposta mais próxima da ousadia e originalidade que o país tem levado ao palco eurovisivo nas duas últimas edições, e que gostaria que assim continuasse a ser. Também gosto do que os Tember Blanche trouxeram ao Vidbir. Não é tão diferenciado quanto a Jerry, mas é muito agradável de se ouvir. 

Nuno Carrilho - A Ucrânia não desilude e mostra, novamente, a razão por ser um dos países mais marcantes da história moderna da Eurovisão. Os meus 12 pontos nesta final nacional vão para Jerry Heil e "When God Shut The Door", uma canção mistíca e bastante interessante. Contudo, nota mais que positiva para esta final nacional que arranca a temporada com toda a força.

Pedro Dias - As estatísticas não mentem, e a Ucrânia é o país com mais sucesso na Eurovisão. Por algum motivo nunca falhou uma final. Este ano tem uma final nacional fortíssima, com imensas opções que poderão proporcionar atuações marcantes no Reino Unido. Confesso que tenho muita curiosidade em perceber como um país em guerra tem capacidade para organizar um festival de música. Mas parece que a garra e força desta nação está patente em cada uma das propostas a concurso. Na realidade não há nenhuma canção que desgoste, mas talvez seja o tema da Jerry Heil, o que me surpreendeu mais. De uma forma extremamente delicada e melodiosa, apresenta um tema super atual, em todos os sentidos, com um toque “etnicó-celestial” que me apaixonou desde a primeira audição. A parte da canção em ucraniano é mesmo a cereja no topo do bolo. Negativo só tem o facto da duração da canção ser demasiado reduzida. Mas isso também se poderá corrigir, caso seja a representante ucraniana na "sua" Eurovisão.

FIINKA - "Dovbsuh" - 3 pontuações máximas

Alina Aleixo - Relativamente a esta edição do Vidbir, tenho a dizer que foram poucas as canções que realmente me cativaram. Fiquei um pouco desiludida, muito sinceramente, mas é bom ver que no meio do caos, a Ucrânia resiste. A canção que, para mim, mais se destaca e deve representar este país é "Dovbush", de FIINKA. Com uma sonoridade folclórica e interessante, primeiro estranha-se, depois entranha-se, tornando-se depois viciante. Colorida, enérgica e autêntica. Dá vontade de dançar. Se em palco a apresentação for boa, esta parece-me uma boa escolha.

Carlos Fernandes - De todas as canções a concurso na selecção da Ucrânia,foi a canção da Fiinka é a que mais me ficou no ouvido. Tem um som interessante que me faz lembrar o tema representante da Sérvia deste ano. É um pop étnico bem conseguido, apenas o instrumental necessitava de um pouco mais de força. 

Ivo Mendonça  - O meu top 2 encontra-se muito "taco a taco". Ucrânia a não desiludir (ou será que já é o meu gosto enorme por música de leste que me tolda a opinião), surpreendendo pelo arrojo no tipo de canções. Pessoalmente, FIINKA conquistou pela etnicidade e efeito "cru" da canção, tornando-a uma prestação única de se ouvir e que não deixará ninguém indiferente. Por outro lado, Jerry Heil a demonstrar que o estilo "canção underground" pode transformar-se num momento de 3 minutos em palco moderno e desconcertante (no bom sentido). Se tivesse de optar hoje, escolheria FIINKA como a minha favorita a vencer. Boa sorte Ucrânia, nunca vos fecharemos a porta!

Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 8 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

2.º FIINKA — "Dovbush" - 76 pontos
4.º Angelina — "Stronger" - 46 pontos
6.º 2TONE — "Kvitka" (Flower) - 35 pontos
7.º Moisei — "I’m Not Alone" - 35 pontos
9.º TVORCHI — "Heart Of Steel"  - 30 pontos
10.º DEMCHUK — "Alive" - 26 pontos


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem/ Vídeo: Eurovision.tv
0

Sem comentários

Enviar um comentário

Ideas

both, mystorymag

A NÃO PERDER...

TOP
© Todos os direitos reservados
Criado por templatezoo Personalizado por ESC Portugal - PG, 2022.