Slider

Katrina Leskanich: "O Sam Ryder não pode e não vai vencer o Festival Eurovisão 2022"

 Vencedora do Festival Eurovisão de 1997, Katrina Leskanich frisou que o Reino Unido não será o vencedor do concurso deste ano: "O Sam Ryder é um querido, mas não pode e não vai vencer".


Responsável pela última vitória britânica no Festival Eurovisão, a cantora Katrina Leskanich, em entrevista ao programa The Morning, defendeu que o Reino Unido não se sagrará vencedor em Turim, ainda que esteja em 2.º lugar nas Casas de Apostas para vencer o certame. "O Sam Ryder é um querido, mas não pode e não vai vencer o Festival Eurovisão." defendeu, explicando que "Este ano a Ucrânia vai ganhar devido à política. Mas será um voto político feito de coração que devemos dar à Ucrânia. A canção é boa, o cantor é bom, o que podemos pedir mais?".

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter Instagram. Visite já!
Fonte: EurovisionFun/ Imagem:Eurovoix / Vídeo: Eurovision.tv
8
( Hide )
  1. Anónimo03:00

    Eu pergunto-me se não faz mais sentido, o valor das chamadas para votar seja a favor da Ucrânia do que um voto simbólico onde nem sequer podem organizar o evento no seu país. E sendo a Ucrânia o único país participante a chegar sempre a final, acho que em breve não terá dificuldades em ganhar por mérito.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo03:07

    Concordo em absoluto com a opinião desta senhora, a vitória da Ucrânia será política sim, mas também será um forma de mostrar afeto e solidariedade com o povo Ucranianom à que frisar também que este ano poderá ser o último em que a Ucrânia participa. Não sei como a guerra acabará ou quando, mas duvido que emissora terá capacidade para gastar dinheiro numa nova participação em 2023 e pior ainda, em 2023 a Ucrânia como hoje a conhecemos, um país independente e soberano, pode já não existir.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo08:26

    Que desgosto de comentario, para que organizar o concurso se o querem dar a Ucrania de qualquer maneira? E defender o voto politico a uma cançao que nem e a melhor e um país que dificilmente irá sediar o concurso, por nao dizer que a anterior Victoria ucraniana foi politica

    ResponderEliminar
  4. Anónimo10:34

    Bons argumentos. Vamos continuar a alimentar os haters que sempre disseram que a Eurovisão é só política. Que ridículo...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo12:46

    Para mim cancelavam
    Já esta Eurovisão, pessoas sem cérebro dizem coisas parvas. Votar por pena lol

    ResponderEliminar
  6. Anónimo13:42

    Esta senhora ganhou pela última vez e não quer ver o seu reinado em causa. Se for para dar o troféu já à Ucrânia para que se está a fazer o ESC? Nomeiem já o vencedor...

    ResponderEliminar
  7. Dan Carv14:16

    Eu também sou de opinião que é muito difícil ele ganhar mas não é pelo motivo que ela aponta porque a própria organização dos concursos já disse mais do que uma vez que o programa é apenas de música e canções e nele a política não pode nem deve interferir. Eu apoio totalmente, imagine-se uma treta destas ganhar a Eurovisão.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo19:24

    Isto não é um concurso de solidariedade. Isso cabe aos governos e aos políticos. Se as pessoas acharem que é a Ucrânia então votam na Ucrânia, mas a lógica dos júris profissionais não pode ser a mesma do público em geral que vota por afinidade ou afecto...

    ResponderEliminar

Ideas

both, mystorymag

A NÃO PERDER...

TOP
© Todos os direitos reservados
Criado por templatezoo Personalizado por ESC Portugal - PG, 2022.