Slider

[Olhares sobre o Melodifestivalen 2022] Quem representa a Suécia no Festival Eurovisão 2022?


A sexta temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais chega ao fim com a escolha da Suécia para o Festival Eurovisão 2022. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no Melodifestivalen 2022?

Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma nova edição alargada do Olhares sobre as Finais Nacionais, iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

Olhares sobre as Finais Nacionais 2022 chega hoje ao fim com o Melodifestivalen 2022Doze candidatos estão na corrida para representar a Suécia no Festival Eurovisão 2022. Os vários integrantes do painel do ESCPORTUGAL Regiões foram desafiados a votar nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar a Suécia em Turim.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:

Klara Hammarström - "Run to the Hills" - 1 pontuação máxima


Pedro Dias - Parece que a Suécia deixou as suas melhores canções para a última eliminatória (como já é hábito), e de um ano aparentemente fraco, eis que estamos perante uma final nacional fortíssima. MEDINA e Cornelia têm duas propostas soberbas, que poderão obter ótimas classificações em Turim, mas acredito que este será mesmo o ano de consagração da Klara Hammarström, e da sua energética proposta. “Run to the hills” é aquele tipo de canção que uma pessoa ouve, e fica com vontade de dar aquela rebentada básica na cara das inimigas. Tal como ela faz à Barbie verde, durante a sua estudadíssima e muito profissional apresentação em palco.

Liamoo - "Bluffin" - 1 pontuação máxima


Nuno Carrilho - Longe vão os tempos de glória do Melodifestivalen, aquela que era considerada a grande final nacional de todas as temporadas eurovisivas... O espetáculo continua a ser o auge de todas as finais, mas a qualidade que emanava há muito que desapareceu. De entre este lote de finalistas, ainda de achar que Cornelia Jakobs será a grande (e justa) vencedora da noite, os meus 12 pontos terão de rumar a "Bluffin", tema de LIAMOO, visto ser o tema que mais tenho ouvido nos últimos tempos... Visto ser uma Eurovisão "fraca", a Suécia poderá ter algumas hipóteses de um bom resultado... mas dúvido que esteja na luta pela vitória.

Cornelia Jakobs - "Hold Me Closer" - 16 pontuações máximas


Aan Gomes - Boa Final sueca, com muitas canções com qualidade. O meu destaque vai, contudo, para Cornelia Jakobs com Hold Me Closer (Cazzi Opeia é o meu segundo lugar, taco a taco com Cornelia). Voz "sulky", única, com uma performance vocal, bons planos de câmara, refrão super catchy e atual. Mesmo com o staging minimalista, teve impacto na semifinal, o que prova que uma performer com uma boa canção é o suficiente (como provou-nos o nosso Salvador Sobral). 

Adão Nogueira - E para variar um pouco, este ano não é o Melodifestivalen a última das finais nacionais. Continua a ser de longe uma das melhores finais nacionais, quer em termos de produção quer na qualidade das músicas apresentadas, embora este ano a qualidade das propostas tenha baixado um pouco. Continua a apresentar entre os candidatos vários retornados, que ao contrário dos anos anteriores, este ano não são dos candidatos principais à vitória. A única que se destaca e que poderá ser a melhor representante em Turim é a Cornelia Jakobs e “Hold me closer”, uma balada clássica mas que se destaca devido à interpretação captando a atenção dos espectadores.

Alina Aleixo - Sobre esta edição do Melodifestivalen tenho a dizer que, no geral, há muito boas canções a concurso mas que para a Eurovisão são poucas as que me parecem adequadas ou capazes de causar algum impacto para além do campo visual nos stagings coloridos e nos jogos de luzes, que é o que não falta. A minha favorita é "Hold Me Closer", uma canção de caráter único, cuja letra me tocou de certa forma. A intérprete consegue transmitir na perfeição o sentimento desta canção e a sua voz rouca torna tudo ainda melhor. É viciante. Talvez o staging necessite de algumas alterações, mas são apenas detalhes. Se esta for a canção escolhida, tornar-se-á numa das minhas favoritas deste ano da Eurovisão, e arrisco-me a dizer que poderá ser uma das fortes candidatas à vitória.

André Pereira - A minha canção favorita, é de longe, Hold Me closer da Cornélia, a única que pode dar um excelente resultado á Suécia, ou quiçá uma vitória. Adoro imenso o timbre da Cornélia, pode vir a surpreender imenso em Turim. 

Carlos Fernandes - A Cornelia Jakobs e a sua canção "Hold me closer" são as minhas favoritas para vencer a final nacional da Suécia deste ano, mas será importante que esta intérprete melhore a sua prestação vocal na final. "Hold me closer" é uma balada sólida e cativante, mas as outras canções a concurso também serão dignas da vitória...

Cláudio Guerreiro - Apesar de, no seu conjunto, o Melodifestivalen deste ano ter ficado um pouco aquém da qualidade de anos transatos, a verdade é que, na maioria dos casos, os suecos acabaram por enviar para a final as melhores propostas que tinham em mãos. Mesmo sendo normal o entusiasmo em relação a alguns repetentes nestas andanças, a maior surpresa acaba por vir daquela que muita gente não imaginava que seria um nome a ter em conta no grupo dos regressados: Cornelia Jakobs. Depois de duas participações integrada nas Love Generation, Cornelia regressa à final sueca dez anos depois, mostrando-se como uma artista muito mais madura e com plena consciência de quem é enquanto artista. “Hold Me Closer” ganha vida não só pela letra poderosa, como também pela performance crua - e até algo desprendida - de Cornelia, aliada ao magnífico timbre da sua voz. Está mais do que na hora de voltarmos a ver uma mulher a pisar o palco eurovisivo pela Suécia, preferencialmente com uma obra de arte musical como esta. 

Diogo Martins - Este ano, o Melodifestivalen ficou bastante aquém dos anos anteriores. Uma final nacional que costuma brindar com várias opções boas para a Eurovisão, este ano as opções são bem escassas. Tenho uma clara favorita e penso que seja a única que consiga dar à Suécia a tão desejada sétima vitória. Essa canção é "Hold me closer" da Cornelia Jakobs. Uma boa canção pop muito diferente da banalidade que tem sido apresentada no concurso. Destaca-se também pela grande interpretação e atuação bem pensada da Cornelia.

Diogo Quintais - Tanto Cornelia Jakobs e Klara Hammarström têm propostas diferentes das propostas que a Suécia nos tem apresentado no passado. Mesmo achando que Klara é de facto umas das favoritas para vencer, acho que abrir o Melodifestivalen a vai prejudicar na votação final. Por isso, penso que o vencedor será Cornelia e o tema "Hold me Closer" dado que tem uma vibe muito feel good e a voz de Cornelia ser uma voz bem diferente do qie estamos habituados das Suécia. No entanto, tanto uma como a outra são canções que gosto e não me importo qual das duas vencer.

Gonçalo Canhoto - Numa das edições mais fracas de que tenho memória da final nacional sueca, pouco haverá a recordar das canções finalistas. Todavia, entre as 12 propostas, há uma que se destaca: "Hold Me Closer". Autêntica e despretensiosa, a canção foge à rotineira fórmula pop radiofriendly em que o país costuma apostar e que começa a dar sinais de desgaste. Com uma letra extremamente inteligente, a intérprete relata de forma brilhante as emoções associadas a uma separação tempestuosa e inevitável. Cornelia Jacobs apresenta-se sozinha, num palco  simples e que contraria os artifícios cénicos que fazem já parte do ADN do país nórdico. Saindo da sua zona de conforto, a Suécia tem nesta proposta a oportunidade de marcar pela diferença e voltar aos grandes resultados eurovisivos. 

Hugo Sepúlveda - O “grande” Melodifestivalen tem vindo a perder um pouco o seu estatuto enquanto potência a nível de finais nacionais, onde o espectáculo visual começa a não ser suficiente para compensar a componente musical. A minha escolha, Cornelia Jakobs, agarrou a pódio desde o Heat 1 e não o largou! “Hold Me Closer” é uma balada com uma sonoridade até bastante comum e uma apresentação simples e desconstruída – para o que estamos habituados no Melfest. O ponto forte é a grande interpretação, ainda que despretensiosa, de Cornelia Jakobs que lhe confere autenticidade e sentimento de uma forma muito crua. Mais do que nos transmitir a emoção com que canta, faz-nos senti-la! Caso vença, acredito que Cornelia Jakobs e “Hold Me Closer” tragam mais um – e merecido – bom lugar para a Suécia!

Ivo Mendonça - Não me tem acontecido nos últimos anos, mas há 2 efeitos que quero destacar nesta final: 1) normalmente gosto de várias propostas, e este ano só consigo conectar-me com uma performance; 2) a única canção que se conectou comigo, ficou encravada na playlist, tal a honestidade, rasgo musical e diferença face àquilo que a Suécia nos tem vendido nos últimos anos. Cornelia Jakobs traz o factor de qualidade e de superioridade que todos queremos ver na Suécia. E não de uma maneira pretensiosa, mas sim de forma simples, despida e impactante. Se esta for a escolha dos Suecos + Júri Internacional (o que espero com todas as forças), pode fazer estragos no meu top 5 do ano. Suécia, nunca te pedi muita coisa, este é o ano de fazeres a diferença e seres o país da "diferença". Hold me Closer é "a" diferença que preciso.

Jorge Durões - A vencedora tem que ser uma e só uma: Cornélia. A Suécia não pode surtar novamente, deixar de levar a melhor canção, com uma letra e melodia de extremo bom gosto, aquela canção de curtir a bad à grande sabendo que, depois da tempestade poderá vir ou não vir a bonança... A Suécia não nos pode fazer isto 2 anos seguidos... e acredito que não o fará!

Marcel Pessoa - A Suécia necessita urgentemente rever sua seleção de temas para o Melodifestivalen. A cada ano meu interesse diminui e isto se deve às canções que parecem ser sempre as mesmas, tudo soa muito repetitivo e previsível. Até as apresentações que eram bem pensadas agora não me chamam a atenção. Dito isto, espero que Cornelia e sua Hold Me Closer vencem a final nacional sueca deste ano. Vejo nela uma chance da Suécia ser mais sóbria e diferenciada. A voz da cantora trás um toque único para a proposta . Agora, se os suecos preferirem ser tradicionais, a melhor canção "melodifestivalesca" é Run to the Hills da Klara. 

Marcelo da Silva - É uma vitória indescritível, Cornelia trás algo quase que inédito ao palco do Friends Arena, autenticidade, verdadeira e pura emoção. A letra da música é tão simbólica e atual, relata uma vivência experiênciada por todos nós em algum momento das nossas vidas, por isso acho que será fácil nos reconhecermos e relacionarmos-nos com o tema de Cornelia. A sua voz é inconfundível, não escondo que ‘Hold me Closer’ é a minha canção preferida de toda a época Eurovisiva deste ano. Suécia poderá ganhar o certame em Turim dez anos depois da vitória da Lorena em Baku. 

Miguel Pinto - Cornelia Jakobs, com "Hold Me Closer", entrega a proposta mais original da Suécia em muitos anos. A performance ao vivo é perfeita e Cornelia tem uma belíssima voz, que encaixa na perfeição na sua canção. Apesar do staging ser bastante simples, a cantora consegue captar a atenção de quem a vê desde o primeiro segundo. Se for escolhida, tornar-se-á numa das grandes concorrentes à vitória do ESC.

Tiago Silva - Apesar de algum hype, para mim esta é uma das piores finais do Melfest dos últimos anos....é mais do mesmo e muitas músicas com sons parecidos. Nesta final tenho uma clara favorita Cornelia! Não só é uma forte candidata a vencer na Suécia como também seria em Turim. Infelizmente já me mentalizei de que o Anders vai ganhar e espero que se assim o for, em Turim, se fiquem pela semi final.

Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 18 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

3.º Medina - "In i dimman" - 109 pontos
4.º Liamoo - "Bluffin" - 106 pontos
8.º Tone Sekelius - "My Way" - 50 pontos
9.º Theo - "Som du vill" - 44 pontos
10.º Faith Kakembo - "Freedom" - 41 pontos
11.º John Lundvik - "Änglavakt" - 39 pontos


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter Instagram. Visite já!
Fonte: ESC Portugal / Imagem: ESC Portugal / Vídeo: Youtube

1
( Hide )
  1. Anónimo12:52

    Se o Anders ganhar mesmo (acho que o televoto vai fazer estragos infelizmente), espero mesmo que a Suécia se fique pela semifinal. Há muito que andam a precisar de um banho de água bem gelada.

    ResponderEliminar

Ideas

both, mystorymag

A NÃO PERDER...

TOP
© Todos os direitos reservados
Criado por templatezoo Personalizado por ESC Portugal - PG, 2022.