ESC2021: Manager de Destiny critica posição atribuída a Malta na ordem de atuação



Howard Keith Debono, manager da representante de Malta no Festival Eurovisão 2021, criticou nas redes sociais a sexta posição atribuída a Destiny na ordem de atuação 

Após o fim da segunda semifinal, foi revelada a ordem de atuação para a Grande Final a acontecer amanhã, tendo sido atribuída a Destiny a sexta posição no alinhamento. Note-se que desde 2013, a posição em que cada país atua nos espetáculos não é decidida por um sorteio, mas sim pelos produtores do evento, sendo posteriormente aprovada pela EBU/UER. 

A posição atribuída a Malta não agradou a Howard Keith Debono, manager de Destiny, tendo manifestado esse mesmo desagrado na sua conta de Facebook: "A EBU e o país anfitrião tornaram muito claro com a sua ordem de atuação que a um país pequeno como Malta nunca será dada uma hipótese. O seu slogan é 'Open Up'. Bem, eles deviam praticar aquilo que pregam! As apostas eram extremamente altas porque no pós-pandemia em 2022 seria um enorme impulsionador económico para qualquer país conseguir recuperar os números do turismo, então há mais política envolvida do que o usual. Pessoalmente, odeio esta porcaria. É um processo tão pouco natural, e ver outros países a fazer campanha contra uma artista por ela ser uma ameaça é verdadeiramente inacreditável. Dito isto, o meu principal interesse é a artista, e acredito que ela tem a atitude". 

Posteriormente, Howard Keith Debono editou a publicação, de forma a retirar as insinuações sobre o envolvimento de política na decisão da ordem de atuação, tendo finalmente acabado por eliminar toda a publicação. O manager de Destiny justificou o facto de ter apagado a crítica à ordem de atuação, com o facto de a mesma ter sido mal interpretada: "Eu não sou de apagar publicações, mas pelo facto de ter sido interpretado de forma errada por alguns e não refletir o nosso alto astral, decidi que era o melhor. Eu simplesmente queria declarar um facto que é um facto conhecido na indústria, sobre as ordens de atuação. Isso não retira o trabalho árduo da nossa equipa e a confiança que temos na nossa canção e artista vencedoras tal como tinha dito. O ensaio de Destiny foi perfeito agora mesmo" - escreveu o manager numa nova publicação.

Destiny conseguiu para Malta a segunda qualificação consecutiva para a Grande Final do Festival Eurovisão, sendo uma das favoritas a vencer no espetáculo de amanhã. De momento, encontra-se na terceira posição nas bolsas de apostas. Destiny interpretará "Je me Casse" na posição número seis do alinhamento. 

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Times Malta / Imagem: Andres Putting / Vídeo: Eurovision.tv

4 comentários:

  1. O Sr. Manager não parou para pensar, que se calhar, Malta não teve o resultado esperado e por isso puseram-na ali na posição 6. Malta foi a última a atuar na sua semifinal, mas provavelmente não correspondeu às expetativas e deixou de estar na corrida à vitória. A EBU apercebeu-se que estava a apostar no cavalo errado.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo18:26

    Heheheh...isto quer dizer que Portugal faz parte do mesmo cavalo...

    ResponderEliminar
  3. De acordo! Ninguém teve culpa mas também não deveria haver estas exceções!

    ResponderEliminar
  4. Não consigo perceber o que é que tem ser o 6º o 9º ou o último quando já todos devem conhecer as canções e alguns até já devem estar enjoados de tanto as ouvir. Será que acham que há números da sorte como na lotaria e afins? Deixem-se disso. Por mim Malta nunca ganharia assim como outras que tais.

    ResponderEliminar