[Olhares sobre o Eesti Laul] Quem serão os representantes da Estónia no Festival Eurovisão 2021?


A quinta temporada do Olhares sobre as Finais Nacionais continua com a escolha da Estónia para o Festival Eurovisão 2021. Qual será a favorita dos elementos do painel a triunfar no Eesti Laul 2021?


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, e depois do sucesso da edição da temporada passada do Olhares sobre as Finais Nacionais, o ESCPORTUGAL realiza, esta temporada, uma edição alargada da iniciativa de comentários e pontuações às canções das finais nacionais para o Festival Eurovisão. 

O Olhares sobre as Finais Nacionais 2021 chega hoje a uma nova decisão da temporada: a Final do Eesti Laul 2021. Depois de duas semifinais, doze canções estão na corrida, sendo que os elementos do ESCPORTUGAL Regiões votaram nas suas candidaturas favoritas, deixando um comentário sobre qual a canção que gostariam de ver a representar a Estónia em Roterdão.

Conheça, de seguida, as preferências do painel de comentadores:

Adão Nogueira aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
Finalmente a Estónia volta aos tempos áureos das suas finais nacionais. As saudades que eu já tinha das disputadas finais, com boas propostas e prestações de qualidade. Numa final em que os veteranos são os principais favoritos à vitória, a minha aposta vai para o Jüri Pootsmann e a sua doce melancolia, que tem um je ne sais quoi de obscuro dado quer pela maneira de cantar quer pela própria orquestração, característica que se nota nas suas variadas músicas. Para terminar, o Jüri merece a redenção da Eurovisão depois da sua muito injusta classificação em 2016.

Ana Branco aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
É muito difícil decidir entre o Jüri e o Koit. Ambas as canções são excelentes. Contudo, pela originalidade e som mais moderno, dou os meus 12 pontos a "Magus Melanhoolia". Excelente melodia, ritmo, voz e staging. Se for escolhida, a Estónia está garantidamente na Grande Final.

André Fernandes aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Será desta que o Uku Suviste lá vai ? Embora ache a sua canção deste ano inferior (mesmo se a fórmula é bastante similar) a "What love is", tem boas hipóteses de arrecadar o passe para Roterdão. Uma balada eurovisiva do mais clássico possível, uma apresentação cuidada e uma técnica vocal infalível.

André Pereira aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Desta final nacional não há muito dizer, algumas canções boas ficaram pela semifinal como "Lost in a Dance", que é a minha favorita da edição, e outras que nem mereciam assim tanto estar na final. Sendo assim, a minha favorita recai sobre "The Lucky One" do Uku Soviste.

Carlos Fernandes aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
"Magus Melanhoolia" é uma excelente canção. Embora eu pense que o uso do falseto seja um pouco excessivo, não deixa de ser uma proposta interessante, muito bem interpretada pelo Jüri. Bom uso da cor em palco, simples, mas eficaz!

Cláudio Guerreiro aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
Numa final com alguns antigos representantes estónios, acaba por ser mesmo um deles que apresenta uma música que se destaca claramente da concorrência. Em 2016, Jüri Pootsmann não foi particularmente feliz na Eurovisão, mas este ano dá-nos a conhecer a sua evolução enquanto artista e, caso seja o vencedor, tem tudo para vingar esse resultado menos conseguido. “Magus melanhoolia” é uma música que, apesar de ter pouco mais de 2 minutos, apresenta uma melodia bem contemporânea e com explosões no refrão conjugadas com vocais muito seguros (que falsetes maravilhosos são esses?!), cuja harmonia com os backing vocals torna o produto final em algo de alta qualidade. Quanto à atuação, é daqueles casos que está tão visualmente perfeita que nem é preciso mexer mais.
Diogo Martins aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
No geral, a final do Eesti Laul é bastante razoável. Há canções que me agradaram bastante e outras que nem tanto. Curiosamente, a canção que destaco é a do Uku Suviste. "The Lucky One" é uma balada bastante boa e que, ao contrário da canção do ano passado, não cai tanto numa letra cliché. A canção faz juz ao talento do Uku. Penso que seja a melhor escolha para a Estónia


Diogo Quintais aposta em "Heaven's Not That Far Tonight" e Suured Tüdrukud
A Canção que eu escolho como vencedora do Eesti Laul tem imenso potencial para ser um guilty pleasure e de facto foi a única que me ficou na memória ao ouvir todas pela primeira vez. Para mim, Suured Tüdrukud têm de ser as vencedoras e levar "Heaven's noit that far Tonight" ao ESC2021. Mesmo tendo uma letra que em parte é completamente cliché de uma canção Disco, esta canção traz um ritmo diferente e traz memórias de outros tempos!

Gonçalo Canhoto aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
Juri Pootsmann volta a candidatar-se ao papel de representante estónio na Eurovisão. Se "Play" havia sido uma das minhas favoritas em 2016, "Magus Melanhoolia" não lhe ficará atrás. É uma canção avant-garde, que se distancia das demais concorrentes e que só peca pelo seu curto tamanho. Juri parece ter ganho a confiança em palco que lhe faltou na sua última tentativa. Parece-me a decisão mais acertada!

Emanuel Filipe aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
Não sou grande fã das músicas que a Estónia nos ofereceu este ano. Não sei o que tem acontecido nos últimos anos, mas uma das minhas finais nacionais preferidas, deixou de lado a originalidade e diversidade que a caracterizava, e é hoje do mais genérico que se pode encontrar. Dentro deste lote de finalistas, saliento Jüri Pootsmann com "Magus melanhoolia". Para além da originalidade da música e de um staging interessante, a nível vocal ele for irrepreensível. Desde que não destrua o potencial da música com más escolhas a nível visual tal como em 2016, penso que é algo que pode resultar na Eurovisão. Contudo, ficarei muito supreendido se a vitória não recair mais uma vez sobre Uku Suviste, que mais uma vez, concorre com um daqueles clichés que nem consigo ouvir até ao fim.


Hugo Sepúlveda aposta em "Magus Melanhoolia" e Jüri Pootsmann
Em primeiro lugar, começo por felicitar a Estónia por uma coisa: Redel e “Tartu” na final! Só algo que aconteceria mesmo no Eesti Laul! Incrível! Este ano parecem ter elevado um pouco a fasquia, apesar de algumas desilusões quando chegaram as performances! Um dos favoritos, Koit Toome traz-nos uma música-fórmula (algo “cheesy”) que obviamente resulta. Depois, temos Uku Suviste, que sempre pensei ter a vitória assegurada, por dois motivos: 2020 e Dream Team! Quanto à sua actuação, acho um pouco exagerada e até dramaticamente forçada! Felizmente, acho que há ali uma hipótese (muito) pequena de o retornado Jüri Pootsmann ganhar! "Magus Melanhoolia" é um conjunto bem finalizado e pensado para o palco eurovisivo! Desde a sua dinâmica ao impacto gráfico visual passando pelos falsetes, Jüri Pootsmann é a melhor aposta que a Estónia pode fazer!

João Diogo aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Uku Suviste deverá vencer novamente o Eesti Laul e a verdade é que a canção com que participa este ano é muito superior à do ano passado. Ainda assim, não faz totalmente o meu gosto e continua a ter um lado já muito ultrapassado. Jüri Pootsmann seria uma escolha muito melhor, visto que nos traz uma canção alternativa que salta à vista pela sua originalidade.

João Vargas aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Penso que nesta final não restam muitas dúvidas que a Uku Suviste vai vencer novamente o Eestil Laul". Apesar de não ser uma canção com o factor "novidade", é a canção que mais se destaca no conjunto de todas as canções. Vocalmente está bastante forte e o staging (apesar de não ser invador) consegue captar a atenção do telespectador, o que vai influenciar bastante no televoto. O voto "por pena" também pode ter bastante peso aqui, devido ao facto dos acontecimentos do ano anterior e à popularidade de Uku na Estónia. Em caso de vitória, penso que Estónia terá algumas dificuldades na qualificação. Veremos!

Marcel Pessoa aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Uku Suviste é um dos artistas não reconduzidos do ano passado que deve garantir mais uma vez a passagem para Roterdão através de uma final nacional. O stage é claramente mais trabalhado que dos outros concorrentes e a canção é bem melhor que a vencedora de 2020 (o que não é algo difícil de conseguir). Agrada-me bastante o instrumental, o ritmo possui uma pulsação interessante. O refrão é a minha parte favorita, poderia inclusive explodir mais para elevar ao máximo o sentimento transmitido. Seria muito bom ver o Uku finalmente representando seu país, e com uma boa canção em mãos.


Miguel Pinto aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Apesar de não ser a proposta mais original que a Estónia já apresentou num ESC, "The Lucky One" é, para mim, a melhor canção apresentada na Final do Eesti Laul 2021. A boa prestação ao vivo de Uku Suviste, se aliada a um bom staging em Roterdão, pode fazer a Estónia lutar por um lugar na final do concurso deste ano. Ainda assim, não será fácil para a Estónia, este ano.

Nuno Carrilho aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
O Eesti Laul nunca foi uma das minhas finais nacionais de eleição mas admito que este ano, face ao cancelamento de algumas outras, dei por mim a acompanhar as semifinais do evento. Um bom (muito bom mesmo) lote de canções, mas acho que a escolha é clara: "The Lucky One". O termo de comparação com 2020 é claro, mas joga a seu favorito, visto que, no meu entender há uma grande melhoria. Caso não vença, Koite Toome ou Juri, antigos representantes, são também claras opções, bem como grande parte do lote de finalistas.


Pedro Caramba aposta em "We Could Have Been Beautiful" e Koit Toome
Esta final vai ser equilibrada. E desta vez vou escolher com o coração. "We could have been Beautiful" transmite emoção e seria muito bom ver o Koit Toome de regresso ao ESC.


Rodrigo Silva aposta em "Energy" e Kadri Voorand
Se não estou em erro, foi a primeira música nesta época de seleções nacionais pela qual me apaixonei! Não é preciso muito para fazer um bruto tema... Só uma voz com enorme potencial (ligada ao jazz, óbvio que ia adorar) e um piano. A estrutura da música é incrível e o jogo de palavras, por vezes presente, é distintivo. Sou Team Kadri!

Tiago Silva aposta em "The Lucky One" e Uku Suviste
Gosto da final da Estónia, parece-me moderna e agradável. As performances ao vivo mudaram um pouco o meu top com a exceção do 1 lugar....Uku, espero que vença, a música é melhor que no ano passado mas não vai ser fácil porque se fosse pelo júri ele nem na final estaria!

Aceda, de seguida, aos resultados das votações de 19 comentadores do painel do Olhares sobre as Finais Nacionais:
(cada elemento votou no seu top 10 segundo a escala eurovisiva)

1.º Uku Suviste - "The Lucky One" - 187 pontos (9 PM)
2.º Jüri Pootsmann - "Magus Melanhoolia" - 164 pontos (7 PM)
3.º Koit Toome - "We Could Have Been Beautiful" - 137 pontos (1 PM)
4.º Egert Milder – "Free again" - 106 pontos
5.º Suured Tüdrukud – "Heaven’s not that far tonight" - 85 pontos (1 PM)
6.º Kadri Voorand – "Energy" - 79 pontos
7.º Sissi – "Time" - 64 pontos
8.º Karl Killing – "Kiss me" - 54 pontos
9.º Hans Naya - "One by One" - 48 pontos
10.º Ivo Linna, Robert Linna, Supernova – "Ma Olen Siin" - 52 pontos
11.ºAndrei Zevakin & Pluuto - "Wingman" - 43 pontos
12.º REDEL - "Tartu" - 25 pontos



 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários