EBU/UER: Jon Ola Sand revela que havia planos para tornar as finais nacionais obrigatórias


O ex-supervisor executivo da Eurovisão, Jon Ola Sand, revelou que a EBU/UER discutiu a possibilidade de tornar as finais nacionais obrigatórias para o Festival Eurovisão da Canção.


Jon Ola Sand falou com Jan Bors, antigo chefe de delegação da República Checa agora tornado youtuber, na última edição do "Humans of Eurovision", sobre o seu papel como supervisor executivo da Eurovisão. Durante a entrevista, vários tópicos surgiram, incluindo o uso de finais nacionais para determinar o representante de cada país para o concurso.

Ola Sand revelou que, durante a sua gestão, a EBU/UER tentou tornar obrigatório para as emissoras participantes a realização de finais nacionais para o Festival Eurovisão da Canção. O ex-supervisor executivo explicou que o processo de pensamento foi "para fortalecer a marca Eurovision Song Contest e dar ao público a chance de votar, para garantir que (artistas) tenham o apoio dos telespectadores". 

Jon Ola explicou que os planos para a introdução de tal regra foram abandonados porque "não é uma boa ideia torná-la obrigatória porque nós (a EBU) não podemos influenciar a programação das emissoras".

As seleções nacionais foram obrigatórias noutras competições da EBU/UER, incluindo o Junior Eurovision Song Contest. Desde a sua primeira edição até à mudança das regras em 2014, era necessário que as emissoras fizessem uma seleção nacional para determinar o seu representante. As emissoras só podiam não fazer uma seleção se recebessem permissão da EBU/UER.


 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Eurovoix / Imagem: EBU

1 comentário:

  1. Passei a acompanhar tudo sobre o Eurovision Song Contest a partir de 2011, ja na gestão desse senhor. Sentirei falta do estilo e elegancia dele ao conduzir o concurso. Mas, como sua marca registrada digo: take it away.

    ResponderEliminar