[Rumo a Roterdão] Tuuli Rand: "Penso que será um ano muito difícil porque há muitas canções boas"


Com uma vasta experiência no concurso, Tuuli Rand faz, este ano, a sua estreia a solo na corrida para representar a Estónia no Festival Eurovisão 2021. O ESCPORTUGAL esteve à conversa com a cantora na rubrica Rumo a Roterdão.

A Estónia é um dos países que optou pela realização da sua final nacional para o Festival Eurovisão de 2021, com 24 artistas a concurso no Eesti Laul 2021. Depois de Ivo Linna, quinto classificado no concurso de 1996, e da recém-formada banda REDEL, o ESCPORTUGAL esteve à conversa com a cantora Tuuli Rand na rubrica Rumo a Roterdão.

"Comecei a cantar aos 3 anos, mas a minha carreira começou apenas em 2009, quando fui para a Escola de Música Georg Ots" começou por contar-nos Tuuli Rand, falando dos seus primeiros projetos musicais, admitindo que, em 2015, sentiu necessidade de compor as próprias canções, "Foi, então, que iniciei, em 2015, o projeto Windy Beach. Até consegui participar, em 2016, no Eesti Laul, com a canção “Salty Wounds”. Seguidamente, lancei o meu primeiro álbum. Foi um percurso cheio de desafios, com altos e baixos. Um caminho muito difícil para mim.".

Depois de Windy Beach, Tuuli Rand integrou um novo projecto: os Öed. "Então a banda Öed entrou na minha vida. Penso que estávamos no ano de 2018 quando a nossa primeira canção, “Ära Käpi Mind”, rebentou e começámos a nossa nova viagem. A minha “irmã”, Kristel Aaslaid, também faz parte da banda Öed (para quem desconhece, “öed” significa “irmãs”, em estónio). Seguidamente, criámos a canção “Rulli Rulli Rulli”, que foi um grande sucesso para nós. Atingimos o nosso primeiro milhão de visualizações na plataforma YouTube." recordou, falando do primeiro álbum lançado, sendo que, em 2020, sentiu necessidade de lançar-se a solo, "Queria cantar, também, sozinha, enquanto artista a solo. Contactei, então, com Gevin Niglas e criámos “Üks Öö”. A Kristel também participou, tendo ajudado a escrever a letra da canção no papel, com as melhores palavras. A canção já estava preparada desde o verão. No entanto, senti que era uma boa canção. Por isso, mantive-a em segredo para que pudesse enviá-la para o Eesti Laul. Aqui estou eu.".

Com a música a despertar bastante cedo, Tuuli Rand garantiu que o Festival Eurovisão sempre fez parte da sua vida: "Sempre assisti ao concurso em casa e escolhiamos os favoritos. A minha canção favorita absoluta do Festival Eurovisão da Canção é “Stronger Every Minute”, interpretada por Lisa Andreas. É uma canção tão bonita. Para além disso, também a cantei, numa competição de canto, quando era mais jovem." recordou, destacando também a sua primeira participação no concurso estónio em 2011, "A minha primeira memória relativamente ao Eesti Laul remonta a 2011. Aconteceu no primeiro ano em que participei no concurso, como backing vocal de Marilyn Jurman, na canção “Veel On Aega”. Recordo-me de todas as aulas de dança e de canto que tivemos juntas. Foi um grande momento. Foi, nessa altura, que percebi que queria participar, um dia, tal como Marilyn o tinha feito, nessa competição.".

Apesar de ser a sua estreia a solo no concurso, a entrada de Tuuli Rand no Eesti Laul 2021 será a sua 10.ª participação no certame, depois de ter integrado o coro de Marilyn Jurman em 2011, de Teele Viira, Soul Militia e Cat Eye em 2012, bem como das participações em grupo em 2013 (nos Teele & Tuuli & Ula e no Liisi Koikson & Söörömöö), em 2014 com os Vöorad, em 2016 nos Windy Beach e em 2019 nos Öed. "Esta é, na verdade, a minha 10.ª participação no Eesti Laul. Comecei enquanto backing vocal e trabalhei para continuar a subir, passo a passo. Para mim, é algo muito lógico. Vejo-me a melhorar e a crescer enquanto artista e enquanto pessoa. Este é, para mim, o melhor ano que já vivi. Esta canção é, também, muito minha. Adoro a minha canção. Se, na Estónia, outra pessoa tivesse feito o que fiz, ficaria com ciúmes." referiu.

Este ano, a cantora defenderá "Üks Öö" no concurso estónio. "A canção já estava preparada no verão. Senti que era uma canção boa e forte. Pelo menos, para mim, é. É uma das melhores. Por isso, adiei o lançamento da canção e quis experimentar o seu lançamento no Eesti Laul." lembrou, descrevendo a canção como uma celebração da vida, "“Üks Öö” significa, em português, “uma noite”. É, exatamente, sobre isso que a letra da canção fala. Sobre aquela noite em que nada nem ninguém sabe o que irá acontecer. Apenas se segue a corrente e se aproveita a noite. É uma canção de celebração da vida e dos momentos.".

Descartando revelar detalhes sobre a sua atuação, Tuuli Rand elogiou a decisão da ERR em realizar o Eesti Laul 2021 em plena pandemia com inúmeras mudanças, "Penso que a ERR fez o que é melhor para todos. Por isso, vamos esperar que tudo corra bem.". Contudo, Tuuli Rand garante que, em caso de vitória, não mudará nada na atuação e na canção: "Acredito que não se possa alterar a canção depois da vitória. Contudo, penso que, a longo prazo, a canção permanecerá igual. Mas veremos o que a vida traz. Penso que será um ano muito difícil porque há muitas canções boas.".

Sobre os resultados do país no Festival Eurovisão, Tuuli Rand garante que é tudo como uma lotaria e referiu a entrada da Estónia de 1994 como a melhor de sempre: "Penso que seja como uma lotaria. Quem entra na competição e quem fica de fora. Quem chega à final e quem não chega. Penso que tudo tem sempre corrido tal como deveria correr. Acredito na vida e que tudo acontece por uma razão. Em relação à minha canção estónia favorita, penso que talvez seja “Nagu Merelaine”, interpretada por Silvi Vrait. É, realmente, uma canção muito poderosa. É um clássico do género pop estónio, que acredito que todos as pessoas conheçam.".

Relativamente a Portugal, a cantora foi recordar todas as participações do nosso país, referindo "Amar Pelos Dois" como a mais marcante de sempre: "Meu Deus! Acabei de assistir a todas as canções de Portugal e são todas tão boas! Qualidade incrível. Não consegui escolher a minha favorita. Penso que Salvador Sobral mudou, realmente, o jogo no Festival Eurovisão. A sua canção e a sua arte de cantar foram hipnotizantes. A forma como Salvador tinha todo o público nas suas mãos foi incrível. O facto de ser verdadeiro consigo mesmo e a sua presença foram, também, incríveis. Adoro, absolutamente, o facto de que tantas canções escolhidas sejam em português. É algo que, também, amo em relação a Portugal no Festival Eurovisão." frisou, lamentando nunca ter visitado Portugal, "Nunca estive em Portugal mas espero que, quando a pandemia de COVID-19 terminar, possa visitar o vosso incrível país e que vocês também venham visitar a Estónia! ".

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários