[Rumo a Roterdão] Paul Rey: "A minha atuação será, visualmente, muito diferente do que mostrei em 2020"


Paul Rey está de regresso à corrida para representar a Suécia no Festival Eurovisão 2021. Nas vésperas do Melodifestivalen 2021, o artista esteve à conversa com o ESCPORTUGAL na rubrica Rumo a Roterdão.


A Suécia inicia, no próximo sábado, a sua caminhada para o Festival Eurovisão 2021 com a primeira semifinal do Melodifestivalen 2021. Sete artistas estão na disputa pelo acesso à Grande Final do certame, com o público a ser o responsável por todos os resultados. Depois do sexto lugar no concurso de 2020, Paul Rey está, novamente, entre os candidatos, tendo estado à conversa com o ESCPORTUGAL na rubrica Rumo a Roterdão.

Nasceu em 1992 em Lund, na Suécia, mas a música já levou Paul Rey para o outro lado do Mundo: "Componho música há cerca de 15 anos. Na verdade, comecei por compôr apenas canções de hip-pop e rap" começou por nos contar, recordando a sua experiência nos Estados Unidos: "Em 2015 assinei um contrato discográfico com a Epic Records nos Estados Unidos da América, tendo apenas regressado à Suécia em 2017. Posso dizer que sou um compositor de canções pop com alma".

Ainda antes da partida para os Estados Unidos da América, Paul Rey já era um fervoroso espectador do Melodifestivalen, confessando-nos que a vitória de Loreen marcou-o: "A minha memória mais clara foi a vitória da Loreen com "Euphoria". A canção foi um enorme sucesso na Suécia e marcou-me imenso". Contudo, a sua estreia no Melodifestivalen apenas acontecera em 2020, em defesa de "Talking in My Sleep", com o qual alcançou o 6.º lugar na Grande Final, depois de passar pelo Andra Chansen.

"Participei no ano passado e, simplesmente, adorei a experiência. Foi o principal factor mais marcante na decisão de participar no concurso deste ano. Acreditem, estou muito feliz por poder voltar a participar neste evento" frisou Paul Rey, descrevendo "The Missing Piece" como "uma canção íntima, sincera e dinâmica".

Questionado sobre a atuação em palco, o cantor recusou avançar com pormenores, frisando apenas que será bastante diferente do que foi apresentado em 2020: "A minha melhor memória de 2020 é a minha atuação na Grande Final. Ainda hoje me arrepio. Este ano, a minha atuação será, visualmente, muito diferente da minha participação do ano passado. Terão de esperar para ver..." defendeu, garantindo que não pensou em mudanças para o Festival Eurovisão em caso de vitória, "Ainda não pensei sobre isso. Mas, neste momento, estou muito feliz com a encenação!".

Sobre a decisão da SVT em realizar todas as galas do Melodifestivalen no Annexet em vez da habitual tournée, Paul Rey garante que foi a melhor decisão que poderia ser tomada: "Estou totalmente de acordo com essa decisão. É uma necessidade durante estes tempos. Tenho a certeza que o programa televisivo será fantástico para o público em casa.".

Para Paul Rey, o grande sucesso da Suécia no Festival Eurovisão poderá estar relacionado com o elevado empenho da SVT e dos artistas aquando da participação na final nacional: "Na Suécia, adoramos o Melodifestivalen e o Festival Eurovisão. Levamos esses dois espetáculos muito a sério. É por isso que, apenas a competição no Melodifestivalen, é tão feroz. Talvez o facto de se levar a competição antes do Festival Eurovisão tão a sério seja um fator?"

Por fim, questionamos o cantor sueco sobre Portugal e a resposta foi imediata: "Uma das minhas viagens favoritas foi quando viajei com a minha esposa, há dois anos, para Portugal! Viajámos por um conjunto de cidades na litoral e no interior do país e conhecemos o país durante duas semanas. Foi, realmente, incrível!" recordou o artista, elogiando o nosso país, conforme comprovam os posts colocados nas redes sociais.

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

Sem comentários