[Rumo a Roterdão] Black Spikes: "A nossa canção é um forte protesto contra os estereótipos"


A banda Black Spikes faz, este ano, a sua estreia no Pabandom iš naujo, ao lado da cantora Indrė Launikonytė. Os artistas estiveram à conversa com o ESCPORTUGAL na rubrica Rumo a Roterdão onde falaram da sua entrada na corrida para representar a Lituânia no Festival Eurovisão 2021.


A Lituânia é um dos países que optou pela realização da sua final nacional para o Festival Eurovisão de 2021, com o Pabandom iš naujo a contar com a participação de 22 artistas entre duas eliminatórias, uma semifinal e a Grande Final, agendada para 6 de fevereiro. A banda Black Spikes, que entra a concurso com a cantora Indrė Launikonytė em defesa de "Don't Tell Me", fará a sua estreia no certame, tendo estado à conversa com o ESCPORTUGAL na rubrica Rumo a Roterdão.

"Podemos descrever-nos como uma banda feminina de heavy metal que está junta desde 2018. Nos últimos dois anos lançámos o nosso álbum de estreia e participámos em vários programas de televisão na Lituânia" descreve uma das cantoras da formação, frisando que resolveram entrar no concurso deste ano com o objetivo de marcar pela diferença, "Somos diferentes e trazemos uma mensagem importante que queremos difundir. Foi isso que nos encorajou a participar no concurso deste ano, onde iremos atuar com a cantora lituana de pop-rock e jazz e nosso treinadora vocal, Indre Launikoyte".

Questionados sobre "Don't Tell Me", canção que defenderão no Pabandom is naujo 2021, os artistas descrevem-na como uma canção de protesto: "A nossa canção é um forte protesto contra os estereótipos. Dá-nos força para sermos diferentes, para cada um ser quem realmente é. É uma canção de heavy-metal, escrita e interpretada por mulheres. E isso é algo muito raro no mundo do metal" defenderam, prometendo uma atuação marcante, "Não queremos falar sobre todos os pormenores mas podem ter a certeza que a nossa atuação se destacará de todas as outras".

Contudo, a formação garante que a atuação poderá sofrer alterações com o decorrer do programa ou, até mesmo, para o Festival Eurovisão: "Tudo é possível de ser alterado. Após a nossa primeira atuação, teremos uma melhor imagem da forma como o público está a reagir à canção e, mais tarde, com base nisso, tomarmos a decisão de mudar ou manter igual" frisaram, destacando que aceitarão de bom grado todas as imposições em virtude da contenção da pandemia de Covid-19, "Esta é a nossa nova realidade e precisamos de nos adaptar a ela. Apoiaremos todas as decisões que precisem de ser tomadas de forma a proteger a saúde de todos nós".

Sobre o Festival Eurovisão, as vocalistas da banda garantem que as primeiras memórias remontam aos primeiros anos de vida: "Na Lituânia, o Festival Eurovisão é bastante conhecido e junta o país inteiro. É difícil lembrar da primeira memória, mas digamos que todos nós crescemeos a assistir ao espetáculo" destacaram, enquanto Indre relembrou a participação do país em 2001, "Lembro-me da atuação memóravel em 2001, quando os SKAMP foram à Eurovisão. Foi extraordinário! E recheado de boa energia".

No entanto, as cantoras admitem que a falta de grandes resultados no evento poderá estar relacionado com o baixo investimento financeiro da LRT: "Acreditamos que, ao longo dos anos, tinhamos canções que mereciam os primeiros lugares. Mas uma boa canção deve ser acompanhada por uma atuação brilhante que, geralmente, requer um grande investimento financeiro. Estas despesas recaem, geralmente, sobre os ombros dos artistas e nem todos podem suportar isso".

Questionados sobre Portugal, as vocalistas dos Black Spikes revelaram que nunca visitaram o nosso país, mas garantem que "está nos nossos planos futuros", relembrando, quase imediatamente, a participação de Salvador Sobral no Festival Eurovisão de 2017: "A vitória do Salvador foi memorável. Uma canção linda e uma atuação brilhante".

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

3 comentários:

  1. Anónimo22:08

    Será que nós, para vermos entrevistas aos autores portugueses, temos de consultar o ESC Lituânia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo

      Por opção, o ESCPORTUGAL decidiu proceder a entrevistas aos autores portugueses apenas após a revelação da lista de intérpretes do Festival da Canção 2021 :)

      Contudo, agradecemos o seu comentário, sempre com essa ironia tão particular.

      Qualquer dúvida, estaremos sempre ao seu dispor

      Eliminar
    2. Anónimo14:08

      Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

      Eliminar