Chipre: Evi Papamichael reage às críticas sobre a escolha de Elena Tsagrinou



Evi Papamichael, chefe de delegação de Chipre, reagiu às críticas sobre a escolha da cantora grega Elena Tsagrinou para o Festival Eurovisão 2021.

Depois do anúncio da não recondução de Sandro Nicolas enquanto representante de Chipre em 2021, a emissora CyBC revelou que iria apostar num cantor cipriota e/ou num cantor com carreira na Grécia para representar o país em Roterdão. Durante várias semanas, a imprensa avançou que as principais discográficas apenas apresentariam propostas de cantores cipriotas, mas a escolha acabou por recair sobre a cantora grega Elena Tsagrinou.

Com várias críticas nas redes sociais da emissora contra a nova escolha de um artista estrangeiro, a chefe de delegação do país, Evi Papamichael, reagiu no programa Come and See da TV Omega, referindo que a emissora contactou vários cantores e compositores do país, tal como aconteceu em anos anteriores, mas que acabou por escolher a proposta da PANIK Records por "ser, de longe, a melhor que foi apresentada". A chefe de delegação garantiu também que "El Diabo" sofrerá vários ajustes até ao lançamento, que apenas decorrerá em março, frisando estar confiante que a candidatura se tornará "um grande sucesso na primeira audição".

Estreante em 1981, Chipre participou em 36 edições do Festival Eurovisão, falhando o apuramento para a grande final em seis ocasiões. Com a vitória de Salvador Sobral por Portugal, o país tornou-se o país com maior número de participações e sem nenhuma vitória. Depois do segundo lugar em Lisboa, Chipre foi representado por Tamta e "Replay", canção que terminou em 13.º lugar com 109 pontos, nenhum deles oriundo de Portugal. Escolhido internamente, Sandro Nicolas seria o representante do país em Roterdão com "Running".



Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: EurovisionFun/ Imagem e Vídeo: Eurovision.tv

Sem comentários