[DIRETO] ESC2019: Acompanhe connosco o 'jury show' da Grande Final


Os vinte e seis países finalistas atuam, esta noite, no palco do Festival Eurovisão 2019 perante os olhares de 41 júris nacionais, responsáveis por 50% da votação da Grande Final. Acompanhe connosco a transmissão.


19:35 - Pavillion 2 da Expo Tel Aviv recebe, esta noite, o segundo ensaio geral da Grande Final do Festival Eurovisão 2019, conhecido por jury show, visto que serve de base para a votação dos júris nacionais. Todos os países participantes na edição votam na Grande Final, sendo que cada painel de jurados é composto por cinco elementos ligados à música.

Recorde AQUI a constituição dos júris nacionais.

19:40 - Ana Paulo, manager, será a chefe do júri de Portugal que contará com dois participantes no Festival da Canção 2019: Matay, terceiro classificado, e Ana Cláudia, oitava classificada. Renato Júnior, compositor participante em 2006, 2008 e 2015 e presidente do júri português em 2015, está de regresso ao painel de jurados, que contará também com Paulo Castelo, produtor de rádio. O júri português está reunido na sede da RTP em Lisboa.

19:45 - De realçar que, durante a tarde de hoje, teve lugar o primeiro ensaio geral da gala.

19:58 - Ultimam-se os pormenores para o jury show desta noite. Ansiosos?

20:00 - Netta abre a gala a pilotar um avião com os concorrentes rumo a Telavive. Jon Ola Sand é o responsável pelo controlo aéreo.

20:02 - O desfile das bandeiras começa ao som de "Im Nin’Alu", canção que representou Israel na Eurovisão de 1983

20:04 - Dana International assume o controlo do desfile das bandeiras com a temática de viagens de avião. "Tel Aviv Ya Habibi" e "Diva" são os temas escolhidos pela cantora.

20:07 - Ilanit, primeira representante de Israel na Eurovisão, canta "Ey Sham", canção que defendeu em 1973. Segue-se Nadav Guedj, representante israelita em 2015, com "Golden Boy".

20:10 - Os apresentadores estão em palco e explicam a votação.

20:16 - Michela, de Malta, é a primeira a atuar. A diversão que "Chameleon" é óptima para a abertura do evento. Os problemas nos in-ears registados durante o primeiro ensaio foram resolvido...

20:19 - Depois da diversão de Malta, segue-se o dramatismo da canção da Albânia. A história da Eurovisão diz que nenhum candidato ganha a atuar na segunda posição. Irá contrariar a história?

20:25 - A República Checa segue-se no alinhamento e com uma das suas melhores interpretações no palco eurovisivo.

20:30 - As candidatas da Alemanha fizeram uma interpretação bastante consistente e tiveram uma das maiores ovações até ao momento.

20:32 - Apesar da exigência da atuação, Sergey Lazarev volta a brilhar e não decepcionou a nível vocal, atingindo notas bastante altas na fase final. Conseguirá  a Rússia escalar aos lugares mais altos?

20:35 - Lucy e Bar estão na sala dos artistas.

20:37 - Conforme prometido, a cantora da Dinamarca melhorou a sua interpretação. Que lugar conquistará?

20:40 - Serhat de São Marino seguiu-se com o divertido "Say Na Na Na". Tal como na semifinal, o cantor voltou a perder o ritmo da canção... mas recuperou mais rápida que na passada terça-feira.

20:45 - Tamara Todevksa volta a fazer uma interpretação bastante segura. Confiantes num bom resultado para a Macedónia do Norte?

20:47 - As apresentadoras falam com os representantes de Malta, Alemanha e República Checa. A Suécia segue-se no alinhamento, com o público a acompanhar efusivamente "Too Late For Love". Um dos claros candidatos...

20:55 - Os candidatos da Eslovénia voltam a apostar na química entre ambos para uma atuação bastante suave.

20:59 - Com o erro no LED corrigido, Tamta esteve melhor hoje do que na semifinal, mostrando-se bastante confiante durante toda a atuação. Estará Chipre de volta ao topo da classificação?

21:04 - O ultra-favorito Duncan Laurence é o próximo a atuar e faz uma atuação bastante poderosa. Estará garantida a vitória para a Holanda?

21:08 - Segue-se a Grécia no alinhamento. Nenhuma alteração na prestação de Katerine Duska, que esteve bastante melhor a nível vocal.

21:12 - Com a arena ao rubro, Israel é o próximo a atuar apresentando algumas diferenças na encenação, sendo que o ensaio teve alguns atrasos... devido a problemas técnicos. O maior aplauso da gala, como esperado.

21:17 - A Noruega é o próximo a atuar... e os problemas técnicos marcaram presença, com várias trocas de câmaras durante o desempenho. No entanto, o público foi ao rubro com a canção.

21:22 - Com uma interpretação fora de série, Michael Rice, representante do Reino Unido, quer contrariar a série de maus resultados do país. Poderá estar no bom caminho...

21:24 - Serhat, Sergey e Tamara, três dos artistas de regresso ao concurso, falam com as apresentadoras.

21:28 - Os Hatari da Islândia seguem-se no alinhamento com a atuação mais impressionante da edição. Os efeitos pirotécnicos estiveram no ponto.

21:32 - A Estónia é a próxima a atuar e não tem nenhuma alteração comparativamente com a semifinal.

21:36 - A interpretação de ZENA é algo fora do normal para uma rapariga de 16 anos. Uma das melhores da edição, sem sombra de dúvida. A Bielorrússia poderá ser uma das surpresas.

21:38 - O Azerbaijão é o próximo a atuar e volta a fazer uma interpretação bastante segura. A atuação também é bastante apelativa e poderá surpreender no televoto.

21:43 - As projeções iniciais no rosto de Bilal são a principal mudança da atuação de França. As escolhas acertadas da delegação deverá refletir-se no televoto...

21:47 - Com uma nova mudança de camisa, Mahmood de Itália segue-se no alinhamento da transmissão, com uma interpretação bastante descontraída. Deverá ficar na primeira metade da tabela... mas deverá estar fora da luta pela vitória.

21:51 - Segue-se a Sérvia com Nevena a fazer uma das suas melhores interpretações de "Kruna". Claramente, será bastante pontuada pelo júri.

21:57 - Luca Hänni é o próximo a atuar e o público fica ao rubro com a canção da Suíça. Poderá lutar pela vitória?

22:00 - É a atuação do ano. Ninguém fica indiferente à atuação da Austrália. Apesar dos problemas de hoje, com o cabelo a ficar preso na coroa, Kate Miller-Heidke fez uma brilhante atuação.

22:04 - A montagem do cenário de Espanha demora mais que o previsto e o ensaio demora... Miki atua então e termina a noite com muita cor e energia.

22:08 - Está aberta a votação.

22:16 - Assi apresenta um dos momentos mais esperados da noite: Conchita Wurst, Måns Zelmerlöw, Eleni Foureira e Verka Serduchka sobem ao palco da Eurovisão, terminando a sua atuação com Gali Atari.

22:28 - Um vídeo sobre o que fazer em Telavive em três minutos é apresentado por... Gal Gadot.

22:36 - Segue-se um segundo recap das canções e sobe ao palco Idan Raichel Project, um dos projetos musicais mais conhecidos em Israel.

22:40 - As apresentadoras estão na sala dos artistas.

22:42 - Lior Suchard está de regresso à antena do Festival Eurovisão.

22:44 - Netta Barzilai atua com "Nana Banana" e Assi e Bar entram também na atuação.

22:54 - Encerrada a votação do público... começa a revelação da votação do júri.

23:30 - A Islândia venceu a votação falsa, seguida da Dinamarca e da República Checa

23:33 - A votação do público segue-se e a Dinamarca "vence" com apenas 1 ponto de vantagem sobre a Islândia.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem/Vídeo: Eurovision.tv

17 comentários:

  1. Anónimo20:37

    O próximo festival da canção vai ser só balandas secantes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:01

      Se chegar a haver Festival da Canção...

      Eliminar
    2. Claro que vai haver! Então vamos á Eurovisão Júnior onde somos massacrados todos os anos, e não havíamos de ir ao principal?
      O que eu acho é que pode haver mudanças no FDC. Talvez a RTP faça menos convites aos compositores e abra mais vagas por concurso aberto ao público.

      Eliminar
    3. Anónimo03:48

      Tou mais entusiasmado para o proximo fdc do que para esta final.

      Eliminar
  2. Anónimo20:38

    Im-Nin’Alu foi um exito internacional dos anos 80 de Ofra Haza, representante israelita em 1982. A canção israelita em 1973 foi Ey-sham por I-lllanit.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. José Luís21:45

      Ofra Haza, representou Israel em 1983 e não em 1982. Ficou em 2º lugar.

      Eliminar
    2. Perfeitamente, mas não teve muita sorte na vida.

      Eliminar
  3. Anónimo20:51

    Expliquem-me uma coisa. Porque é que insistem em dizer que a atuação da Rússia é complexa e exigente? Está-me a falhar alguma coisa ou aquilo é ele a cantar e vários leds com imagens pré gravadas à volta dele?

    ResponderEliminar
  4. Ultra favorito? Isso existe? Mesmo que existisse, não acredito nesse exagero. Talvez seja uma ideia que foi crescendo muito por culpa dos apostadores de meia-tigela. Por mim nem teria passado à final.
    Os meus ultra favoritos são 1- Dinamarca 2- Suíça 3-Austrália 4- Islândia. O resto está mais ou menos tudo ao mesmo nível.

    ResponderEliminar
  5. José Luís21:47

    Holanda merece ganhar, não por esta actuação, mas pela musica em si que parece-me ser de longe a melhor. O staging não é dos melhores mas o homem sabe cantar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:20

      Tem graça que só ontem me conquistou. Acho o staging perfeito para a música. Sempre achei a música boa mas faltava-me qualquer coisa. encontrei ontem. Acho que é o melhor vencedor para a saúde do ESC, porque é uma música que se for promovida pode ter sucesso nas rádios dos vários países

      Eliminar
    2. 'saúde do ESC'
      Concordo
      Essa vitória ajudará alguma coisa a este certame que me está a afastar...

      Eliminar
    3. Anónimo03:48

      Pois, lamento, mas o staging não convence, eurovisao deixou de ser um concurso de SONGS ha muito tempo, nem a interpretaçao funciona. Aquele olhar creepy incomoda, nao ha a inocencia no olhar que o Sobral tinha. O rapaz bem tenta ser dramatico e bate com a maozinha na mesa para mostrar a frustraçao, mas nao chega la. Voz perfeitinha, apenas e só.

      Eliminar
  6. Anónimo21:51

    Olha olha... a sabotarem a Noruega!!! Porque será???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fala de profissionalismo e incompetência dizem-lhe alguma coisa? Esta organização é inqualificável.

      Eliminar
  7. Anónimo23:56

    Quem sabe a Noruega ou o Azerbaijão poderiam lutar pela vitória? E o que fazem? Problemas técnicos. à Noruega muito "acarinhada" por muitos eurofãs, foi crasso o erro, a imagem preta e filmar o cameramen, ao Azerbaijão, descer o coração a laser até à virilha? what?
    Ou seja, fala-se muito da Austrália, da Suiça... então há que juntar e ainda colocar Espanha... Ou seja toca a enjoar o público, ficar confuso, e anular estas entradas.
    Depois fazer asneira noutros como Noruega e Azerbaijão.
    Colocar outros como por ex. Malta bem lá no início.
    E o que sobra? Claro Suécia, Rússia e Holanda. Um deles ganha. O taco a taco este ano irá ser entre os dois.
    No entanto colocar a Holanda depois de Chipre e antes de Grécia, é enfim fazer uma espécie de efeito de acalmia em palco e fazer sobrassair ainda mais a canção. Tipicamente o que Salvador Sobral teve.
    Já a Suécia, depois de uma forte mensagem da Macedónia do Norte, não vá emocionar demasiado o espetador e então colocar alegria, que tal gospel e depois uma secante Eslovénia. Logo a Suécia tem tudo, animar depois de algo forte e deixar os mais sensíveis angustiados, e continuar a ser falada com a entrada esquecível da Eslovénia.
    Por fim outro que irá batalhar pela vitória e que quiçá repetir o resultado em 2016, a Rússia vem a seguir de uma Alemanha que ninguém aprecia, é a última nas apostas e pasme-se... com aquele staging a desmontar e colocar a enorme cadeira da Dinamarca, claro um mini intervalo... que tal pôr o espetador a comentar toda a atuação russa por largos minutos.
    O restante pode ficar no top mas não irão beliscar estes dois: Islândia, Itália, França nenhum deles conseguirá convencer o suficiente.
    Claramente por mais que digam ser independentes bla bla bla, a Eurovisão por culpa da EBU/UER não e isenta e tudo é feito à medida. Quem quer ganhar este ano? Candidatos? Pronto... depois devem escolher aquele que mais lhes enfia no bolso.
    O que mais me estranha é o "senhor disto tudo" "Olá Areia" ser norueguês, recusar novo ensaio da Noruega e não levar com que a NRK volte a organizar o Eurofestival. Talvez porque a NRK foi das poucas que gastou muito pouco com o festival. Ah e só usou luzes tal como Portugal, e não leds!! E que certo ganhar outra vez não esbanjaria como a KAN em leds e depois nem dinheiro tem para organizar e contratar uma produção de nível superior que um espetáculo destes exige.
    Pro ano digam olá Amesterdão 2020, Moscovo 2020 ou Estocolmo 2020. Talvez aposte em Gotemburgo 2020. Afinal a SVT quer igualar a RTE no número de vitórias e já demonstrou que quer variar as cidades que sediam o festival.
    As teorias da conspiração eurovisivas confirmaram-se já amanhã!

    ResponderEliminar